• novembro 2017
    S T Q Q S S D
    « out    
     12345
    6789101112
    13141516171819
    20212223242526
    27282930  

O sistema de governo mundial

A ordem mundial de Baha’u’llah, tal como ela a concebeu, é uma réplica do sistema britânico de governo. Essa ordem encontra-se descrita na epístola (Ezequiel 3:1) abaixo:

LAWH-I-DUNYÁ -(Epístola do Mundo) – “O sistema de governo adotado pelo povo britânico em Londres parece ser bom, pois é adornado com a luz tanto da realeza como da consulta com o povo. Na formulação dos princípios e leis, uma parte foi dedicada às punições, as quais constituem um instrumento efetivo para a segurança e a proteção dos homens.”

Compete à Organização da Nações Unidas (ONU) se transformar no governo descrito abaixo:

1) O sistema de governo inglês controlado pelo executivo mundial britânico (vulgo Anticristo) e seus nove mestres eleitos:

Organização política

O Reino Unido é uma monarquia constitucional hereditária que tem por Chefe de Estado o soberano (atualmente, a Rainha Elizabeth  II). As duas câmaras do parlamento são: a Câmara dos Comuns e a Câmara dos Lordes. Os 651 deputados da Câmara dos Comuns são eleitos por sufrágio universal por um período de cinco anos, em circunscrições uninominais. A Câmara dos Lordes é composta por Pares do Reino por direito hereditário e por Pares (homens e mulheres) nomeados a título vitalício pela soberana em recompensa de serviços notáveis prestados à nação. Ambas as assembléias detêm poderes de iniciativa legislativa, embora esta seja habitualmente exercida pela Câmara dos Comuns. Após três leituras na Câmara dos Comuns, os projetos de lei são transmitidos à Câmara dos Lordes que pode devolvê-los à primeira com alterações ou sugestões. A Câmara dos Lordes não pode opor-se a uma proposta legislativa que tenha sido apresentada duas vezes na Câmara dos Comuns, mas pode suspendê-la. O poder executivo é exercido pelo Conselho de Ministros (Cabinet) presidido pelo Primeiro-Ministro, sendo ambos responsáveis perante a Câmara dos Comuns.

Do ponto de vista administrativo, o Reino Unido é um Estado unitário em que o Parlamento constitui o órgão supremo.

A CONSTITUIÇÃO

O Reino Unido não tem uma constituição escrita.

Os direitos dos cidadãos são definidos pela combinação de normas oriundas de:

• direito consuetudinário (common law), baseado em precedentes jurídicos

• leis

• convenções

Os documentos constitucionais abaixo são os mais importantes:

• Magna Carta (1215) – limitou o poder da Coroa

• Bill of Rights (1689) – deu mais poderes ao Parlamento

• Reform Act (1832) – reformou o modelo de representação política

• Human Rights Act (2000) – definiu os direitos fundamentais dos cidadãos

Os elementos-chave do Human Rights Act são:

• um código de valores em sintonia com a cultura e a administração britânica

• 14 artigos que englobam princípios como o direito à vida, à liberdade de expressão e à educação.

A MONARQUIA

Sua Majestade a Rainha Elizabeth II é a chefe do executivo, faz parte do legislativo, é chefe do judiciário, comandante-chefe das forças armadas e autoridade suprema da Igreja Anglicana. Atualmente, o papel político do monarca é essencialmente cerimonial e a Rainha age sob a orientação de seus ministros.

A IGREJA (E UM PARLAMENTO MUNDIAL DAS RELIGIÕES)

A Igreja Anglicana, que foi separada da Igreja Católica Romana na época da Reforma no início do século XVI, é a igreja que representa a religião oficial da Inglaterra. O monarca é a “autoridade  suprema” da Igreja e nomeia seus dois arcebispos e 42 outros bispos diocesanos.

LEGISLATIVO

O parlamento é formado pela Rainha, Câmara dos Lordes e Câmara dos Comuns; nesta,

membros eleitos encarregados de representar seus respectivos distritos eleitorais debatem e votam a legislação nacional.

EXECUTIVO

O Governo: primeiro-ministro, ministros e secretários de Estado; ministérios e órgãos estatais subordinados aos ministérios; administrações regionais descentralizadas na Irlanda do Norte, Escócia e País de Gales; autoridades locais e empresas públicas.

JUDICIÁRIO

O poder judiciário é composto por cortes, juízes e advogados que estabelecem normas de direito consuetudinário e interpretam as leis aprovadas pelo legislativo.

O ordenamento jurídico baseia-se em:

• normas de direito consuetudinário e eqüidade – estabelecido por meio da reiteração de sentenças

• leis parlamentares

• legislação da União Européia

O Ministro do Interior/Justiça, (Home Office), é responsável direto pelo sistema jurídico criminal na Inglaterra e no País de Gales. Na Escócia e na Irlanda do Norte, essa função cabe ao Ministro da Justiça e ao Secretário de Estado,  respectivamente.

GOVERNOS LOCAIS

São responsáveis por serviços públicos locais, mantidos com recursos provenientes da coleta de impostos locais e de repasses do governo central.

Há 387 representações de governo locais na Inglaterra. Londres tem 32 conselhos distritais.

As 22 autoridades locais no País de Gales gastam a metade dos 8 bilhões de libras esterlinas previstas no orçamento de serviços públicos.

AGRICULTURA

No setor agrícola, a indústria de laticínios é mais comum na região oeste da Inglaterra; rebanhos ovinos e bovinos são comuns nas áreas montanhosas e de charnecas do norte e do sudoeste. O cultivo de terras aráveis, criação de porcos e aves e horticultura estão concentrados nas regiões leste e sul.

XXX

Como parte de seus planos de conceder mais poderes às regiões, o governo estabeleceu Agências de Desenvolvimento Regional (ADRs) em nove regiões da Inglaterra em abril de 1999. Os objetivos das ADRs são, entre outras coisas, promover desenvolvimento econômico regional coordenado e regeneração, além de reduzir os desequilíbrios econômicos que existem dentro e entre as regiões inglesas de forma a melhorar seus poderes de competitividade.

2) Uma federação mundial de estados como os EUA.

O período da história dos Estados Unidos da América entre 1783 e 1815 caracteriza-se pelos primeiros anos de independência e pela união das treze ex-colônias britânicas para formar um único país. As Treze Colônias haviam lutado bravamente por sua independência durante a Revolução Americana de 1776. O Reino Unido assumiu sua derrota em 1783, e pelos termos do Tratado de Paris, o Reino Unido reconhecia oficialmente a independência dos Estados Unidos da América. O período que estende-se entre 1783 e 1815 caracteriza-se por três fatos. O primeiro foi a criação efetiva do governo americano. Durante os primeiros anos de independência, os Estados Unidos não passavam de uma Confederação de Estados, e efetivamente, um governo nacional ainda não existia. Em 1787, representantes de todos os Estados americanos, bem como outros oficiais importantes, reuniram-se e escreveram juntamente a Constituição americana. Esta constituição definine explicitamente o papel e os poderes do governo federal no país. A Carta de Direitos foi aprovada em seguida. George Washington foi o primeiro Presidente do país, em 1789.

3) LASTRO EM OURO PARA A NOVA ECONOMIA MUNDIAL

O Egito possui obras de valor incalculável como o famoso funerário de Tutancâmon e também uma imensa arqueologia. Esses recursos serão fatalmente confiscados em nome da unidade da diversidade para que seja criado o lastro em ouro da nova economia.

4) UM EXÉRCITO MUNDIAL

Com a Constituição Mundial, será necessário reorganizar os exércitos de todos países, que serão agregados a um só exército mundial, cada país continuará com seu exército, o que irá mudar é o comando do Exército, Marinha e da Aeronáutica.  Exemplo:Serão criados 2 comandos, o EMFAM (Estado Maior das Forças Armadas Mundial) e o EMFAC (Estado Maior das Forças Armadas do Continente), No (EMFAM) serão centralizados os Comandos dos Cinco Continentes, no (EMFAC) é centralizado todos os EMFA dos paises que compõem o Continente.

E por fim… estabelecer uma comunidade mundial que não poderá comprar ou vender sem o sinal de Baha’u’llah (a estrela de nove pontas), o nome de Baha’u’llah ou o número de letras do seu nome (9).

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: