• abril 2017
    S T Q Q S S D
    « mar    
     12
    3456789
    10111213141516
    17181920212223
    24252627282930

Aborto e o direito de decidir

Resumo da notícia: “Para 64% dos brasileiros, o aborto é decisão exclusiva da mulher. A pesquisa foi feita pelo IBOPE Inteligência em parceira com o grupo Católicas pelo Direito de Decidir (CDD)…”

Será que a matemática, nesse caso estatística, é sempre a verdade? A experiência empírica foi considerada? A coleta de amostras é compatível com a realidade da população? Parceria IBOPE e Abortistas…isso não soa como algo tendencioso?

A grande maioria da população não imagina que a notícia acima está relacionada com a ordem mundial de Baha’u’llah, nesse caso com o seu princípio de igualdade entre homens e mulheres. A dicotomia bahái surge não união dos opostos pela unidade da diversidade, ou seja, o bem e o mal unidos pelo mesmo ideal.

Na agenda feminista temos causas boas como a luta para diminuir a agressão contra as mulheres e as denuncias contra a exploração da mulher como objeto,  porém o lado ruim vem incluso na forma da agenda abortista. A síntese desse processo é o que chamamos de diversidade, pois o bem e o mal não podem deixar de estarem associados. Para os Baháis o conflito da dicotomia é apenas um processo de transição para a unidade da diversidade  denominado luz (999) e trevas (666).

Já do ponto de vista Bíblico a questão do aborto  seria resolvida  facilmente. Ora, relação após o casamento e concepção de filho desejada por ambas as partes resolveriam facilmente o problema do filho indesejado. Claro! Associado a um planejamento familiar, mas pelo fato da palavra de Deus ser algo simples existe a necessidade de normas éticas/morais complexas e humanas para analisar os vários tipos de abortos.

Não vamos generalizar os abortos, mas apenas refletir sobre a concepção irresponsável de um filho, também chamado de filho indesejado. Antes que a futura criança seja rejeitada pelo pai ou pela mãe é esse tipo de aborto que o movimento feminista “luta” para conquistar.

Uma espécie de lei do “ventre livre”, onde em cada gravidez acidental a futura mãe pode descartar e mandar sugar através de máquina o intruso (os) indesejado (os) quantas vezes quiserem, pois é esse o nome que as feministas dão para a futura criança.  E assim, a agenda feminista conseguiu manipular a opinião pública dando pulos de alegria a cada vez que um jornal sensacionalista qualquer mostrar um bebê achado no lixo e coisas do gênero.

Existe também a falta de conscientização por esse movimento dos riscos e do lucro para a máfia médica que está louca para abocanhar esse mercado “promissor”. Vejamos algumas:

1) Mesmo que seja pelo SUS, aumento de preços para os procedimentos se esse absurdo for aprovado. Ora, toda cirurgia é invasiva e causa conseqüência ao corpo que não são relatadas.

2) Problemas de ordem psicológica e psiquiátrica. Sentimento de culpa, tormento na alma pelo resto da vida,  desequilíbrio mental, transtorno bipolar são apenas alguns dos aperitivos para o aborto.

3) Sacrifício  indireto ao santanismo para Moloque ou outros deuses, por exemplo: na notícia publicada temos uma moça com a seguinte frase em um cartaz: “Seu machismo bate na minha pomba e gira”. É uma frase de duplo sentido é também pode ser entendida do ponto de vista espiritual, pois  conseqüência de relacionamentos instáveis aumenta o risco de gravidez. Já o machismo é qualquer ato de moral como os conceitos Bíblicos referente ao tema.

“E da tua descendência não darás nenhum para fazer passar pelo fogo perante Moloque; e não profanarás o nome de teu Deus. Eu sou o SENHOR.”  (Levítico 18 : 21)

Resumindo: Direito de decidir sem ao menos ter uma reflexão real das conseqüências não é direito e sim imposição de um grupo social na sociedade.

 

http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/politica-brasil-economia/63,65,63,12/2017/04/04/internas_polbraeco,586120/64-dos-brasileiros-entendem-que-o-aborto-e-decisao-exclusiva-da-mulhe.shtml

https://apocalipsetotal.wordpress.com/2010/08/06/os-12-principios-da-nova-ordem-mundial/

Os amuletos mágicos e nova ordem mundial

Os  desenhos estão se destacando por divulgarem os princípios do cristo cósmico Baha’u’llah através de amuletos para as crianças. Nesse caso, estamos referindo a igualdade entre homens e mulheres que recebe como brinde a agenda feminista.Claro! A velha unidade da diversidade e seu misticismo coletivo.

Helena de Avalor

 

Esqueça os príncipes agora é a vez das princesas encantadas e seus reinos. Helena é uma jovem de 16 anos e latina. Mas que raio de igualdade é essa que está sendo colocada em prática? O correto seria que nesses desenhos o príncipe e a princesa governassem juntos com o mesmo poder. O que temos é o poder centralizado apenas no feminismo.

O lado bom do desenho  está na ajuda em combater o preconceito que os americanos possuem com os latinos.

A história inicia com a chegada de uma feiticeira má que deseja tomar o reino de Avalor. Sabendo disso, o feiticeiro da família real de Helena coloca a sua família em um quadro. Helena tenta enfrentar a feiticeira má, porém é salva pelo amuleto, ficando dentro dele. Mas após 41 anos o feitiço perde efeito e Helena inicia seu reinado ao lado de sua família.

O fato de ter ficado dentro do amuleto permitiu que ela tivesse contato com espíritos, recebendo dessa forma a  iniciação nos mistérios do xamanismo e tem um animal falante como espírito guia. Antes da iniciação de ser coroada ela dá para sua irmã mais nova Isabel um livro para anotar duas invenções.

Helena é regida pelo número 5, por isso sai do amuleto após  41 anos (4+1=5). Ora, esse é o número que representa a estrela de cinco pontas, o famoso pentagrama de Baphomet. O amuleto representa a unidade da diversidade uma nova era do reino de satanás, onde o feminismo entra em destaque com sua agenda. Observe que ela não envelheceu e se manteve jovem pelo poder da magia. Já o seu espírito guia é uma raposa. Esse animal representa a intuição, a habilidade de criar estratégia, astúcia, pensamentos rápidos e vida em harmonia com a natureza, todas essas são qualidade que Helena desenvolverá em suas aventuras.

Baha’u’llah também aparece nesse desenho quando Helena dá para sua irmã um livro em branco para anotar suas experiências. O livro possui uma estrela de oito pontas, símbolo usado por Baha’u’llah para representar o oitavo manifestante divino ou o oitavo rei descrito no livro de Apocalipse. A sabedoria mística de Isabel está relacionada em descobrir invenções que promovam a unidade da diversidade.

Moana

Essa outra heroína também é uma princesa e reinará no futuro, tal como Helena de Avalor. Moana pertence a uma tribo da polinésia e foi escolhida pelo oceano para recuperar o coração da deusa Te Fiti, mas para isso ela precisa da ajuda do deus trapaceiro Maui que roubou o coração da deusa Te Fiti, trazendo destruição das ilhas.

Esse desenho está relacionado a um futuro mais distante quando a terra supostamente será transformada em um paraíso ecológico, idéia muito praticada pelos aderentes da nova era, inclusive Bahá’is, por exemplo: Ao observamos o templo do Chile percebemos que ele está distante da cidade e no alto de uma montanha repleta de verde. Ora, é daquele lugar que a comunidade  Baha’i acredita que  construirá  vilas sustentáveis quando os grandes centros forem devastados.

Te Fiti representa a mãe gaya, mãe natureza e por aí vai…. e a restauração da Terra depende da devolução do seu coração, uma pedra no formato de esmeralda. No seu coração está o poder da criação, da diversidade e da unidade. Em outras palavras, é como o cristo cósmico fosse transformado em amuleto que somente  pode funcionar se estiver no coração da mãe gaya.

Ora, uma vez que Baha’u’llah recebeu poder através da Rainha dos céus, o desenho de Moana representa essa união. Outra mensagem importante do desenho é entre o bem e o mau  são variações da mesma coisa (999 e 666). Te Fiti sem seu coração se transforma em monstro destruidor, mas unida com ela cuida  e transforma a Terra.

 

Assassin’s Creed

Inspirado no famoso jogo, temos uma guerra entre duas sociedades secretas (templários e assassinos)  pela maçã do éden. Dentro da maça está o código genético que controla o livre arbítrio de todos os homens e os templários Ingleses (juntamente com o Papa)  querem essa jóia mais do que tudo na vida.

Vamos imaginar como fica a questão do livre arbítrio após a manifestação espiritual de Baha’u’llah no mundo. Ora, pessoas de todas as religiões, salvo os que não tiverem escrito os seus nomes no livro da vida como descrito em Apocalipse,  tomarão a mesma decisão de adorar a besta no lugar de deus. Ou seja, Baha’u’llah representa  o fim do livre arbítrio e também o objeto de desejo que os ingleses tanto precisam para dominar o mundo,  pois ele escolheu essa nação para reinar sobre os habitantes da terra através de um executivo mundial ao lado do Papa em um futuro próximo.

SPFW 43 e a unidade da diversidade

São Paulo Fashion Week ou SPFW 2017 é um dos eventos de moda mais aguardados pelas pessoas do ramo. Se a Ordem Mundial de Baha’u’llah não encontra muito espaço na política devido ao novo governo americano e agenda fascista neoliberal com suas austeridades, o jeito foi migrar para outras áreas. É impossível saber se os organizadores possuem contato com a comunidade Bahá’i, por isso pode ser que nesse caso a inclinação da diversidade seja de origem espiritual.

Um  primeiro olhar no evento, a moda parece algo bizarro. Roupas ridículas e estúpidas  são apresentadas e em alguns casos modelos ganham milhões para andar de forma bizarra em um pequeno espaço.  Andar e usar a maior parte das roupas que são apresentadas é algo para palhaço.

Mas nesse mundo acontece a captura estética. Ela pode estar no tecido, no decote, nas cores ou na estampa usada. É nessa captura que surge novas roupas usadas pelo povo comum  que não só ditam o padrão a ser seguido, mas também a conduta moral. É na conduta moral que entra a unidade da diversidade do  cristo cósmico que também pode ser capturada. Para esse exemplo capturamos dois momentos da Fashion Week.

O primeiro no desfile de João Pimenta. Ele aborda o princípio Baha’i referente ao fim de toda forma de preconceito. O estilista trabalha com moda masculina nesse desfile e na coleção foram apresentadas roupas afeminadas e muitas saias masculinas. É o homem que vira mulher! Nesse desfile também temos várias camisas com um olho, representando que é possível a harmonia entre a ordem iluminista do olho que tudo vê e o bahaismo.

https://www.youtube.com/watch?v=-zOmAKSWIk8

O segundo exemplo é o desfile da Ellus. Aqui é abordado o conceito de paz (999) e tribulação (666). O desfile começa com roupas próximas do cotidiano e com pessoas de diversas raças (loiras, negras e brancas)  e idade, claro que o padrão físico  foi mantido (atlético para homens e magro para mulheres).

Aos 5:58 do vídeo um rapaz e uma moça vestem as mesmas roupas,  entram sem camisa e com uma calça preta  bem abaixo da cintura para enfatizar as roupas íntimas brancas (algo que se vê muito entre os jovens hoje em dia).  A moça desfila fumando um cigarro, representando o poder do feminismo e o descaso com o choque da opinião pública ao lançar a fumaça. É a mulher que vira homem!

https://www.youtube.com/watch?v=g5cbydM0J2k

Mas no final (15:52) podemos observar a farsa da diversidade.  Pois os mortais comuns ficam em fila para ver a elite da Ellus entrar na passarela. Claro! Não é formada por negros e o que vemos é  total predominância de descendentes europeus.

A “boa” conspiração

Você está preparado para a nova ordem mundial? Compreendendo o que é, como é e quais seus objetivos finais.

https://www.youtube.com/watch?v=Wi3gbErofQY&feature=youtu.be

Nesse vídeo que foi apresentado na TEDx Goiania, um Bahá’i muito influente de Brasília chamado Washington Araújo expõe alguns alicerces da Ordem Mundial de Baha’u’llah. O evento Tedex tem como função espalhar propostas (tecnologia, espiritualidade e saúde)  para se viver em mundo globalizado.

A boa conspiração, isso segundo a ordem mundial de Baha’u’llah, consiste em algumas mudanças na atual ordem iluminista que vivemos nos dias atuais. Entre esses males produzidos pelo capital  temos: A ganância dos governantes no PIB (Produto interno bruto), sociedade de consumo descartável, crises e guerras causas pelo neoliberalismo capitalista, distúrbios mentais causados pelas  atuais redes sociais e principalmente a falta de solidariedade entre as pessoas.

A solução é abraçar os princípios de Baha’u’llah e caminhar para uma nova sociedade. São esses princípios que recebem o nome de “boa conspiração”. Bahá’is acreditam que a substituição  da sociedade materialista do “ter” pela ordem  espiritualista do “ser “de Baha’u’llah resolverão os problemas em que vivemos.

Como exemplo ele cita a igualdade entre homens e mulheres, porém  isso na prática tem e continuará trazendo junto os ideais feministas, entre eles a legalização do aborto.

http://www.bbc.com/portuguese/brasil-39190495

Essa transição do “ser” de Baha’u’llah no futuro vai radicalizar mais ainda, transformando a humanidade em agentes do estado e servos de Baha’u’llah, ou seja,  bate de frente com as profecias bíblicas  do Apocalipse que levam para o reino da besta do abismo, onde esse pacto global será selado com o nome, número e sinal da besta do abismo:

“…Quando se perguntar às pessoas do futuro: “Qual a sua nacionalidade?”, a resposta será: “Pertenço à nação da humanidade. Vivo à sombra de Bahá’u’lláh. Sou servo de Bahá’u’lláh. Sou do exército da Suprema Paz.”…” ( A paz universal – Abdu’l’Bahá).

Ora, dessa forma a diversidade se transforma em ditadura e quem não for fiel ao governo deverá ser excluído da sociedade global. Outra pergunta que fica no ar é: O que fazer com o Whatss e o Face, visto que eles são causadores de distúrbios sociais?

Redes sociais aumentam sensação de solidão, diz estudo. Rede sociais estão fazendo com que nos sintamos mais solitários, aponta um estudo realizado por psicólogos americanos. <http://www.bbc.com/portuguese/geral-39178058&gt;

Dessa forma, podemos concluir que não existe uma conspiração do bem e sim do mal. Conspiração é algo que se maquina de forma secreta. Ora, basta sair na rua e perguntar para as pessoas se conhece Baha’’u’llah e seu governo mundial. Um sim só entre dezenas de milhões de pessoas.

Hitler, o Anti Racista

Como se faz uma invasão multicultural.

O multilinguismo e o idioma universal

torre-babelO multilinguismo tem como meta preservar a diversidade de várias línguas maternas, por exemplo: estima-se que no Brasil tenha cerca  de 274 línguas indígenas. Isso acaba exigindo uma educação diferenciada para cada tribo, respeitando sua cultura local.

E assim, no dia 21 de Fevereiro é comemorado de forma bem oculta o dia do multilinguismo. Suas origens estão na ONU, mas também na Casa Universal de Justiça e Guardiania (Apocalipse 13:11)  através da seguinte lei deixada pelo cristo cósmico Baha’u’llah em seu livro Kitab-i-aqdas, a carta magna do seu governo mundial ( Apocalipse 10:2):

118-“Vosso Senhor autorizou aqueles que desejam instruir-se nos diversos idiomas do mundo a fazê-lo, para que difundam a Mensagem da Causa de Deus no Oriente e Ocidente, e falem dEle entre os povos e raças do mundo, a fim de revivificar os corações e ressuscitar os ossos decomponentes”. (Kitab-i-aqdas, Baha’u’llah)

Mas qual seria a relação do multilinguismo com o idioma universal da nova ordem mundial de Baha’u’llah? Para responder essa pergunta precisamos recorrer rapidamente ao estudo da semiótica (signo,significado e significante). O signo é a união entre o significado e seu significante, ou seja, o som surge primeiro e depois as palavras,  após isso a sua compreensão e escrita que pode ser aplicada a um objeto qualquer. Uma vez que o objeto pensante seja identificado ele pode ser substituído por outro signo em sua compreensão verbal.

Aff! Ficou meio filosófico e abstrato demais, mas vamos simplificar: por exemplo: Vamos imaginar que uma tribo indígena chame o objeto caneta de “  canexete”. A didática de ensino na escola não deve usar a palavra caneta, mas o “canexete” e só depois de respeitada e ensinada ma língua materna associar o “canexete” com a caneta. É esse mesmo tipo de substituição do signo por outro que leva a um idioma universal, ou seja, se por convenção universal  do futuro a palavra caneta seja a palavra “cane” essa nossa hipotética tribo indígena estará apta a fazer a associação com o “canexete”. Dessa forma o idioma é preservado e a diversidade cultural é adicionada a ordem mundial de Baha’u’llah,

http://www.ihuonline.unisinos.br/index.php?option=com_content&view=article&id=5988&secao=467

http://www.unmultimedia.org/radio/portuguese/2017/02/multilinguismo-na-educacao-e-tema-do-dia-internacional-da-lingua-materna/

http://www.plataformadoletramento.org.br/alfabetizacao-indigena/

A diversidade e os verdadeiros traficantes

De fato, um mundo globalizado será formado por todas as tribos. Deve-se ter espaço para maconheiros, usuários de crack, LGBTS e outros tipos de desvios sociais. Isso chama-se unidade da diversidade. O fim de toda forma de preconceito da Ordem Mundial do cristo cósmico Baha’u’llah.

O que levaria um senhor de 85 anos a “lutar” tanto pelo direito dos maconheiros (ops!!! Direitos humanos)? Estaria inalando o aroma da unidade da diversidade  de Baha’u’llah ou um interesse financeiro? É provável que tenha unido o inútil ao desagradável, por exemplo:  Vejamos a sua solução dele para os viciados em drogas em uma entrevista:

Em suas viagens e experiências para conhecer melhor o problema das drogas no mundo, que tipo de abordagem e política pública o sr. conheceu que lhe chamou a atenção como exemplo positivo?

São diversos exemplos. Os que mais me chamam atenção são as políticas que reconhecem que algumas pessoas vão usar drogas sempre, mas que é possível reduzir os danos envolvidos nesse uso.

As salas de uso seguro, por exemplo, existem na Suíça desde 1986. São lugares onde pessoas que têm problemas sérios de dependência de determinada substância recebem-na em quantidades e com qualidade controlada para fazer uso sob a supervisão de pessoal de saúde, cortando o vínculo dessas pessoas com o mercado ilegal.

Esse senhor chama-se Fernando Henrique Cardoso, um dos responsáveis pelo início do caos e fim dos direitos sociais na presidência da república brasileira. Como pode um homem tão idoso pensar apenas em poder?  Com essa idade deveria se preocupar com a morte e tentar se arrepender de tantos males que fez para a população, mas não…se comporta como fosse um jovem da década de 70 louco por maconha. Louco não para ajudar os dependentes, mas induzir a um vício mais “leve” e supervisionado, em outras palavras, se não tem cura deixa fumar…Tenha paciência!

Mas por outro lado, qual governante não queria ter uma população de imbecis que se preocupam apenas em fumar maconha enquanto o grande traficante fatura milhões. Esse é o sonho de qualquer fascismo neoliberal e isso independente do partido (esquerda ou direita).

Esse é o poder do controle em vendas das sementes de maconha que ele vem durante anos tentando conquistar espaço no Brasil, ou seja, ser o traficante legalizado.  A conquista do seu poder começou com a criação da Comissão Global de Políticas sobre Drogas. Ora, o que estamos assistindo é apenas uma transferência do crime organizado para políticos organizados…

E assim, com a desculpa esfarrapada de direitos humanos vem negociando no mundo esse precioso mercado com outros monstros semelhante a ele.

https://apocalipsetotal.wordpress.com/2010/08/06/os-12-principios-da-nova-ordem-mundial/

https://noticias.terra.com.br/brasil/faltam-politicos-corajosos-no-debate-sobre-drogas-diz-fhc,41201b0a81b10a6584775d871c34ef00cttwhjxx.html

 

O impasse na descriminalização das drogas

Na nova ordem mundial o conceito de unidade de diversidade pode ser entendido como um mundo sem qualquer tipo de preconceito, onde várias tribos urbanas vivem de forma pacífica. Totalmente utópico, mas é essa meta. Como positivar na forma de leis esses projetos (…mais)

Somente através de DEUS podemos saber o que acontece nos bastidores da descriminalização, pois de outra forma é praticamente impossível acreditar que a Ordem Mundial de Baha’u’llah está envolvida em oculto nessa tramitação.

Não por força do bahaismo  no poder legislativo, mas na atuação do espírito e na subjetividade de cada Juiz do STF no Brasil através de seus princípios, nesse caso nos referimos ao fim de toda forma de preconceito.

O processo estava com o Ministro Teori, mas com a sua morte não se sabe o rumo que se dará para a legalização em especial da Maconha. O desespero daqueles que reinam sobre a Terra é tamanho que o mês de Janeiro acaba com uma crise carcerária, onde dezenas de marginais foram degolados no melhor dos estilos Estado Islâmico. E assim, criaram mais um argumento para a legalização, ou seja, dar anistia aos presos por tráfico de pequeno porte. O fato é que isso ainda vai gerar muita discussão e nem sabemos se chegará a alguma conclusão ainda nesse ano.

Talvez isso acontece devido a essa tramitação ser materialista de mais. Se a legalização fosse para fins cerimoniais religiosos poderia seguir um caminho mais fácil. Talvez em um futuro distante as coisas mudem.

https://noticias.terra.com.br/brasil/morte-de-teori-afeta-debate-sobre-descriminalizacao-das-drogas,bc5610aacb2f4104b9974699fd58526596ji7k4z.html