• outubro 2018
    S T Q Q S S D
    « set    
    1234567
    891011121314
    15161718192021
    22232425262728
    293031  
  • Anúncios

Ele está de volta

Cine pipoca Apocalíptica.

Como Hitler subiria ao poder em nosso tempo? A resposta está nesse ótimo filme. Não só ele, mas outros malucos como o futuro presidente eleito pelo IBOPE aqui no Brasil:

Anúncios

Maconha legalizada na África do Sul

Muitas pessoas na África  do Sul ficam sem entender como uma corte aprovou algo tão inútil e estúpido no lugar de tantas coisas mais importantes, ainda mais se tratando da África. A resposta para isso só pode estar nos raios da diversidade do cristo cósmico Baha’u’llah, mais especificamente na carta magna do seu governo global, o Kitáb (Apocalipse10):

162 .”Se Ele decretar lícito o que desde tempos imemoriais fora proibido, e se proibir o que sempre se considerara legítimo, a ninguém é dado o direito de Lhe questionar a autoridade…” (Kitab-i-aqdas, Baha’u’llah)

E assim, o que era errado (666)  virou certo (999).  Mas os principais articuladores para a causa de Baha’u’llah, nesse caso falamos do fim de toda forma de preconceito, foi o movimento rastafári africano e com argumentos bíblicos, logicamente errados claro! Como esse:

“E disse Deus: Eis que vos tenho dado toda a erva que dê semente, que está sobre a face de toda a terra; e toda a árvore, em que há fruto que dê semente, ser-vos-á para mantimento.”  (Gênesis 1 : 29)

Nesse caso, o movimento rasta africano deveria ter continuado a leitura Bíblica no próximo versículo, onde temos a definição das “ervas” que são para o mantimento, ou seja, trata-se de verduras para alimentação apenas isso:

“E a todo o animal da terra, e a toda a ave dos céus, e a todo o réptil da terra, em que há alma vivente, toda a erva verde será para mantimento; e assim foi.”  (Gênesis 1 : 30)

Talvez a legalização da maconha na África seja a que mais se aproxima do que acontecerá em um futuro próximo no Brasil. Como apresentado em outros posts, o Uruguai resolveu transformar o tráfico em Estatal, já no Canadá a maconha foi transferida para a iniciativa privada; porém na África foi abriu-se de  forma definitiva a plantação para uso pessoal, onde cidades como Londres, Vancouver no Canadá e Amsterdam vão faturar muito com a venda de sementes.

São essas sementes o ponto de ligação aqui no Brasil. A legalização do tráfico apenas regularizará a atuação de políticos traficantes e o ex presidente FHC  tem muito interesse nesse causa,  inclusive se tornou um palestrante e ativista da causa.

E assim, a Ordem mundial de Baha’u’llah une todas as tribos com o seu abraço da diversidade. Socialistas e capitalistas sabem muito bem como lucrar com isso, mesmo que seja acabando com a vida das pessoas no mundo inteiro.

https://www.bbc.com/news/world-africa-45559954

https://the-junky-g.com/Online_Shops/South_Africa/

https://apocalipsetotal.wordpress.com/2010/08/06/os-12-principios-da-nova-ordem-mundial/

A evolução da maconha no Canadá

Grande parte da diversidade da Ordem Mundial do cristo cósmico  Baha’u’llah  começa através da arte, onde a apreensão do “belo” é absorvida pelo telespectador. Isso acontece especialmente nos filmes e séries.

Uma série canadense que mostrou muito bem essa diversidade foi “Orphan Black” a idéia central passa pelo empoderamento feminino, mas também mostra como está a situação do uso de drogas por lá.

O roteiro dessa série que fala da clonagem humana  revelou Tatiana Maslany, uma atriz fantástica e super simpática que  criou personagens  distintos. Nesse caso temos várias clones no mundo das drogas. Sarah trafica cocaína e  Alison  ácido, cogumelos e comprimidos.

Mas o uso da maconha ficou para a personagem Cosima (foto). Uma moça bonita, simpática, super fofa, inteligente e que todo mundo ama. Cosima aparece várias vezes com os seus cigarros de maconha de todos os tipos. Ela também incentiva a plantação de maconha “caseira”. Cosima é ativista da causa LGBT e da legalização das drogas.

Também temos a traficante cristã Alison Hendrix. Entre louvores e apresentações na igreja, a irmã Alison sempre tem um comprimido escondido em sabonetes para oferecer. Não só os comprimidos, mas também armas. Alison é a santa, a vadia, a mãe, a pecadora… No vídeo abaixo ela comemora cantando  o adultério que cometeu e encontra a esposa furiosa ao som de “I’m a Bitch” (Eu sou uma vadia). Claro! Depois de umas tragadas da erva:

Já a clone Sarah prefere algo mais social e discreto.  Logo no início da série ela rouba cocaína do namorado para vender. Claro! Anda com um quilo da droga tranquilamente nas ruas. A clone Suicida Beth não pode ter uma folga que vai cheirar cocaína o tempo todo, mas essa termina se matando.

A droga rola solta em Toronto e a polícia faz vista grossa.  Indo para o real:  “”tem sido muito fácil para os nossos filhos obter maconha..”, disse o Ministro canadense Justin Trudeau. Essa facilidade pode ser vista nessa série, onde as pessoas vendem drogas tranquilamente . Não apenas para os pobres, mas a classe média que vive em suas lindas casas no Canadá.

Mesmo diante dessa legalização do trafico pelo Estado. Claro! Somente empresas credenciadas pelo governo em uma parceria pública privada podem vender. Mas; ainda existe um pouco de luz. Diretores de escolas tentam de todas as formas proibir o uso em ambiente educacional. Eles perceberam que o Estado  é  um perigo para a população, pois não importa em que país legalize drogas, o governante quer apenas seu povo alienado. Além disso, o Estado não se importa com a salvação da alma de ninguém.

E assim, ficou um exemplo para o Brasil evitar essa tragédia da diversidade. Tudo começou com o relaxamento do Estado e foi evoluindo (ou seria regredindo?).Dessa forma, a droga não foi legalizada o que aconteceu foi apenas a oficialização e a perda da alma de muitas pessoas que entraram nesse abismo da diversidade.

O ex presidente FHC está louco para fazer algo que já tem no mundo legalizado da maconha, ou seja, traficar (ops vender) sementes de maconha. Não sabemos se ele também está investindo na criação de universidade de maconha com certificação como acontece no Canadá, mas tudo caminha para isso. Claro! Ainda dá para evitar que a juventude seja perdida no abismo  da Besta do abismo e toda diversidade.

“Ele a todos levantará com o anzol, apanhá-los-á com a sua rede, e os ajuntará na sua rede varredoura; por isso ele se alegrará e se regozijará.” (Habacuque 1 : 15)

https://cannabistraininguniversity.com/enroll-now/

https://torontocannabisseeds.com/

https://www.ctvnews.ca/canada

A Inglaterra e as conseqüências do desarmamento

159.Proibiu-se-vos o porte de armas, salvo se essencial, e permitiu-se que vestísseis seda. (Kitáb-i-aqdas, Baha’u’llah)

E assim, os trovoes, raios e relâmpagos da diversidade invadiram a Inglaterra (Apocalipse 10:3). Seus governantes não conseguiram resistir ao clamor descrito acima que fluiu  da pena do cristo cósmico Baha’u’llah.

Na década de 90, a Inglaterra aprovou a lei contra armas de fogos (Firearms – Amendment), uma lei que de certa forma baniu o uso de armas. A última pesquisa realizada entre os britânicos (2017) a polícia chegou a disparar apenas um tiro no ano passado.

Mas é uma ilusão acreditar que a ordem mundial de Baha’u’llah traz alguma paz. Muito diferente do cristianismo, onde as leis de DEUS são escritas nos  corações  das pessoas e não em tábuas, a s leis de Baha’u’llah são dispersas  como fumaça. Elas não se fixam no coração e em lugar nenhum, ou seja, cada um se comporta de acordo com o seu coração. Se for luz será luz e se for trevas será trevas.

E agora? Como matar o  próximo ou satisfazer a vontade de fazer justiça com as próprias mãos?  O Homem é o lobo do homem. O filósofo Hobbes de certa forma estava certo. O ser humano é um lobo devorador  que em seu estado natural inclinado para as trevas precisa de sangue.

A solução britânica foi usar a velha faca. Basta uma rápida pesquisa em sites de notícias como a BBC que a quantidade de mortes por objetos cortantes é assustadora. Facas, machados, tesouras…vale tudo para saciar a sede pelo sangue:

https://www.bbc.co.uk/search?q=stab#page=3

Essa conseqüência do desarmamento e sua necessidade de “renovar” os homicídios  pelas pessoas também aparece em Apocalipse 13:10:

“Se alguém leva em cativeiro, em cativeiro irá; se alguém matar à espada, necessário é que à espada seja morto. Aqui está a paciência e a fé dos santos.”  (Apocalipse 13 : 10)

“matar à espada” …Temos aqui uma profecia do futuro e as pessoas continuarão se matando espetando umas as outras . Nesse caso temos uma perseguição aos cristãos que forem deixados para trás pela sociedade da diversidade. E assim, mais uma vez podemos confirmar como as conseqüências dos ensinamentos de Baha’u’llah são nocivos para humanidade.

Talvez para um Bahá’i tudo isso seja normal por se tratar de uma inversão de valores (isso no sentido número) , onde 999 representa a paz e 666 tribulação. Uma não pode ficar separada da outra, pois tudo faz parte do mesmo governo.

Diversidade à francesa

O bahaismo infelizmente é assim…cada um interpreta a diversidade como quer. Alguns  livros que raramente são vendidos  escritos pelo cristo cósmico Baha’u’llah quando encontrados em livrarias são classificados como filosofia. Uma filosofia que na realidade não tem essência nenhuma em busca da verdade, mas do relativismo conceitual e sai atropelando qualquer princípio moral.

A bola da vez está acontecendo em Paris, onde temos dois casos  bizarros de diversidade, feminismo e agenda ambiental entrelaçados.   O primeiro é a agenda feminista que  está presente com a lei do “fiu fiu”. A intenção é multar  o homem quem estiver assobiando para uma mulher em aproximadamente 90 Euros.

A multa do “fiu fiu” pode ser classificada como multas de conduta moral positivados após uma reflexão ética bizarra , ou seja, outras multas  podem ser incluídas como: falar palavrão, atravessar fora da faixa, cuspir na rua ( os jogadores de futebol entrarão em desespero no futuro)  e por aí vai.  Esse tipo de lei se torna mais simbólica do que prática, pois falta tecnologia  de monitoração para ser aplicada, embora Baha’u’llah tenha deixado essa recomendação para um tempo futuro como descrito abaixo:

“52. Decretamos que uma terça parte de todas as multas seja destinada para a Sede da Justiça…”(Kitáb-i-aqdas, Baha’u’llah)

Como descrito acima no Kitáb ( Apocalipse 10:2) , todo valor estará centralizado na Casa Universal de Justiça e Guardiania que representam a futura besta de dois chifres, mas no presente elas ainda não passaram pela reforma administrativa necessária, pois Baha’u’llah ainda dorme no abismo até o dia da sua manifestação.

O segundo caso é o ápice do absurdo em nome da consciência ambiental e agenda feminista. Mictórios estão espalhados nas ruas de Paris: “São mictórios vermelhos e bem expostos espalhados pela cidade… São ecológicos, têm palha dentro deles e foram desenhados para não ter odor”, diz a [1] notícia.

Em nome da consciência ambiental, a diversidade da França sai atropelando qualquer pudor dessa vez. Não é por acaso que muitas pessoas estão lutando para tirar esse absurdo das ruas. De fato, um sexista doente não deixará de se exibir.

Podemos ver a agenda feminista no caso desses mictórios também. Não é de hoje que o feminismo tem o sonho de tratar o homem como um animal, nesse caso especificamente como um cachorro que fica procurando um poste “ambiental” e ecologicamente “correto” para realizar suas necessidades.

 

http://www.novastecnologiass.com/a-dificuldade-de-tirar-do-papel-as-leis-contra-o-fiu-fiu-09-03-2018-patricia-campos-mello/

[1] https://www.bbc.com/portuguese/geral-45209910

Maconha! Estatizar ou privatizar ?

“…Muitos países nos estão consultando, como o Canadá, por exemplo…”( Diego Olivera, secretário geral da Junta Nacional de Drogas do Uruguai)

Em 2017 o Uruguai legalizou o uso de maconha e “exportou” a idéia para o Canadá, mas não por completo. No Uruguai o traficante legalizado é o Estado e no Canadá o governo resolveu passar o tráfico para a iniciativa privada, algo bem no estilo do PSDB por aqui.

Empresas canadenses como Canopy Growth e Cannabis Quebec  diversificaram o argumento para fortalecer a legalização do tráfico através dos derivados de maconha como  bebidas, pirulitos  e outros. Dessa forma, um amplo mercado se abriu.

De fato, não existe qualquer diferença entre a forma de legalização da droga, pois em  ambos os casos a supra estrutura da elite explora a base formada por pessoas comuns. Seja o Estado ou empresas tudo visa apenas o lucro, por esses senhores de idade  comemoram com grande alegria esse novo mercado no Canadá.

Empresas e o Estado pouco se importam com os males que a maconha faz ao consumidor. Infelizmente essa é a unidade da diversidade do cristo cósmico Baha’u’llah colocada em prática, nesse caso o fim de toda forma de preconceito que se transformou em fonte de lucro por traficantes legalizados.

É  bem provável que Bahá’is não aprovem o uso de drogas, mas isso não importa, pois quem coloca seus princípios em prática dificilmente será um Bahá’i e sim Estado ou empresas. Infelizmente o Canadá está predestinado a viver com um número enorme de pessoas chapadas nas ruas. Uma verdadeira idiocracia, onde o povo além de ser manipulado e induzido ao vício por qualquer um dos sistemas e seus líderes lucrando muito com isso.

 

https://brasil.elpais.com/brasil/2017/07/01/internacional/1498915815_792114.html

https://www.cbc.ca/news/canada/montreal/quebec-cannabis-marijuana-legalization-1.4702260

http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2018-06-20/canada-legaliza-maconha.html

O empoderamento feminino nas séries

A diversidade da ordem mundial de Baha’u’llah não é algo bom! Não basta olhar apenas para o lado doce e sim em todo o seu aspecto que encontraremos o seu lado amargo. Se por um lado existe um certo grau de igualdade por outro existe a grande chance de uma pessoa perder a salvação da sua alma ao prática os ensinamentos da apocalíptica  besta do abismo.

Como não se tem muito espaço para ser implantada através da política no mundo devido a corrupção em vários níveis, a sua unidade da diversidade encontra na arte o instrumento fértil para se propagar. Filmes, nesse caso séries, tentam despertar o sentimento de cartártico da vontade geral. Vontade essa que quando despertada tenta mudar a moral de uma nação modificando suas leis em nome da diversidade.

E assim, seja Netflix, BBC e outras possuem a função de propagar essa diversidade, nesse caso falamos da suposta igualdade entre homens e mulheres ,  para despertar a  vontade geral do povo. Vejamos algumas delas:

Lucifer : O príncipe demônio se cansou do inferno e decidiu viver na terra atuando como ajudante de uma investigadora. O principio Bahái aqui adotado é  que o mal nada mais é do que a ausência do bem. Existe uma deixa para o executivo mundial de Baha’u’llah, pois Lucifer é Inglês. Para atrair o público feminino  escolheram  um ator “bonitão” para o papel, pelo menos grande parte das mulheres aprovaram o demônio galã.

Gotham: Conta a história na visão do comissário Gordon e o Batman é apenas um garoto em crescimento. O feminismo é levado a sua meta final. Bárbara, ex- esposa de Gordon, vira uma criminosa lésbica e funda o clube das sereias. Para demarcar o seu território com a frase “Homens não entram”   suas ajudantes matam os homens, transpassam os seus corpos com estacas/lanças  e deixa-os pendurados na frente do seu bar.  Sonho de toda feminista (inclusive as  feministas evangélicas que conheci)!

Arrow –  O arqueiro verde, herói da DC Comics, segue um roteiro parecido de Gottam. Sua ex  ( A canário) vira lésbica .

Super Girl –  Leva ao ápice do empoderamento, pois a cidade está não mão da heroína que tem uma irmã adotiva lésbica.

Orphan Black – Aborda a clonagem humana. As cloninhas mais queridas lutam para sobreviver  no meio de conspirações do governo e empresas exploradoras. O destaque vai para Tatiana Maslany, uma atriz muito fofa e talentosa que interpretou vários personagens ao mesmo tempo. Embora sejam mais (12 no total) , nove personagens se destacam na série. Já temos o número de Baha’u’llah logo de início!  Nessa série a diversidade feminista é levada ao extremo  em toda a sua amplitude feminista nos personagens. Vejamos alguns:

 

1) Elizabeth “Beth” Childs – Uma policial feminina. Sensível , delicada e frágil.Uma pessoa triste que  vive uma crise em seu relacionamento. Ora, ela é a única mais comum da série, por isso se suicida  na estação  diante de um trem em movimento.

2) Alison Hendrix – Uma mãe de família dedicada e dona do lar. Devido ao seu jeito politicamente correto se acha inferior em relação as outras  e luta contra seus vícios como drogas diversas, maconha e álcool.

3) Sarah Manning – A clone principal. Sarah é mãe independente, onde o pai de sua filha Kira não passa de um instrumento para reprodução. Rapidamente ele é descartado e desaparece.

4) Raquel – Empresária sex, fria e calculista que detém o poder. Gosta de bater nos homens  em suas relações sadomasoquistas.

5) Cosima – Uma cientista lésbica super simpática e inteligente. É a cientista querida de todos na série.  Aqui temos a lésbica que embora  goste de outra mulher é totalmente feminina.

6) Tony Sawicki – É uma lésbica com tendência masculinas. Constantemente toma hormônios para ficar com barba.

7) Helena Manning –  É uma assassina desmiolada criada pela igreja. O feminismo em muitos casos gosta de destacar que a igreja aliena a pessoa e tira sua liberdade. Irmã gêmea da “seestra”  Sara Manning  são as únicas que podem procriar, por isso são mais cobiçadas pelo governo e empresas. O DNA das “seestras” podem tanto curar as demais como ser uma arma na mão do governo. Abaixo temos um ótimo momento musical das duas:

8) Krystal Goderitch – É a “periguete” da série.  Embora seja sex e burra, conhece seus direitos e luta contra a clonagem humana. Sua falsa aparência permite passar ilesa aos ataques  dos empresários e governos.

9) Veera “MK” Suominen – E por fim, a cloninha nerd que domina o mundo da informática, posto no qual o feminismo pretende usar para varrer os homens da face da terra por completo.

Já o racismo…: Esse é o lado doce das séries. Artistas negros (as) são considerados pessoais normais e com sentimento. Não existe a idéia racista tipo o “primeiro negro” a fazer qualquer coisa, o que dá a idéia de  uma lenta evolução da raça, sendo que isso não existe.

E assim continuamos até que a ordem mundial de Baha’u’llah crie essa tal vontade geral do povo, onde pessoas no mundo inteiro clamarão por reformas morais positivadas.

https://feministfrequency.com/2016/05/06/freq-3-the-many-faces-of-tatiana-maslany/

https://twitter.com/tatianamaslany

Narcisismo. Um produto da evolução humana

“Abandonando a moralidade social convencional e focando apenas no que é ser bem-sucedido”, ele diz, “o narcisismo pode parecer um traço muito positivo”.

O texto acima, matéria de Sean Coughlan (BBC), revela como o ética moderna caminha para o abismo de uma sociedade.  Ser bem sucedido não significa destruir vidas supostamente inferiores para se manter no poder ou viver apenas em função de si próprio.

A igreja moderna, ênfase para a igreja evangélica, por possuir mais envolvimento com a teoria da prosperidade,  mostra esse narcisismo evangélico diariamente. Igrejas como a UNIVERSAL e suas divisões mais insignificantes como ( Mundial, Plenitude e outras), usam  os famosos testemunhos de riquezas conquistadas através de uma barganha com “deus” , na qual nada é exigido em termos de comportamento ou até mesmo conversão.

Antes da chegada do Whatssapp a os seguidores do cristo cósmico Baha’u’llah fizeram declarações que já teríamos a tecnologia necessária para unificar o povo, porém sem especificar se era algo social ou financeiro. Em um primeiro momento essa antiga entrevista parece tratar também do aspecto social.

O Whatss criou um novo lixo de ser humano. Saí o homosapiens e entra o “homem inclinatus” , pois não são poucos que andam com a cabeça inclinada acessando  celulares durante quase todo o dia. Acabou-se a era da amizade e de  conversas com o próximo. O mundo se esfriou de uma forma profética, gerando os amantes de si mesmos:

“Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos,”  (II Timóteo 3 : 2)

Narcisistas são amantes de si mesmos  e possui um alto grau de impaciência,  mais conhecido como imediatismo. Eles ou  elas não suportam um diálogo reflexivo. Tudo que se fala deve ir direto ao assunto e se isso não acontecer usam a famosa frase: “ Eu sei você já disse isso”. Essa é uma palavra bem grosseira e mal educada. Ninguém possui uma memória do tipo banco de dados com todas as palavras ditas em vida para que jamais se repita uma ação.

Ora, a evolução do narcisismo é a crueldade e apatia com o próximo, ou seja, em um regime totalitário global  como a ordem mundial de Baha’u’llah, onde  quem ama apenas  a si mesmo sobre todas as coisas será capaz de entregar o seu próximo ao governo.

Não são poucas as pessoas que adoram tirar fotos como esse beijinho nas redes sociais. Essa é a tal necessidade de viver em um mundo irreal, onde ficam no aguardo de uma curtida. No caso dessa moça pode ser o seu batom, óculos ou simplesmente a mensagem de que está tudo bem sempre, coisa que não existe na prática em nossas vidas.

O mais grave é que esses pesquisadores  acham isso um produto da evolução humana, mesmo diante de tantos fatores negativos:

“…O pesquisador argumenta que tais traços de personalidade não devem ser vistos como  “bons ou maus”, mas como “produtos da evolução” e “expressões da natureza humana…”

https://www.bbc.com/portuguese/geral-44612562