Mulher Maravilha…do feminismo a guerra

“Treinada desde cedo para ser uma guerreira imbatível, Diana Prince (Gal Gadot) nunca saiu da paradisíaca ilha em que é reconhecida como princesa das Amazonas. Quando o piloto Steve Trevor (Chris Pine) se acidenta e cai numa praia do local, ela descobre que uma guerra sem precedentes está se espalhando pelo mundo e decide deixar seu lar certa de que pode parar o conflito. Lutando para acabar com todas as lutas, Diana percebe o alcance de seus poderes e sua verdadeira missão na Terra.”

Já faz muito tempo que a arte se transformou em objeto de lucro e o cinema não poderia ser diferente. A estimativa é que o retorno do investimento foi de 600% de lucro (100 milhões de investimento para um retorno de 600 milhões aproximadamente)  com o filme da Mulher Maravilha, porém existe um grande segredo para isso: use o número do prometido e seus princípios, mas nunca revele o seu nome. Eis o segredo da riqueza de muitos.

Nesse caso foi usado o principio do cristo cósmico Baha’u’llah que fala da suposta igualdade entre homens e mulheres. Suposta, pois a Casa Universal de Justiça e a Guardiania, instituições que preenchem o perfil da besta de dois chifres, não possuem e jamais terão mulheres. Como já observamos e descrevemos em outras análises, não existe conversão ao bahaismo e sim adaptação dos seus ensinamentos de acordo com cada coração ganancioso. Vejamos:

Trata-se de um filme feminista. Isso ficou claro durante uma das primeiras divulgações, onde somente o público feminino foi autorizado a assistir o filme. Ora, não teríamos uma luta por direitos iguais? Que raio de direito é esse em que um se o sobrepõe ao outro? De fato, seria bom ver homens e mulheres unidos trabalhando  por um mundo melhor, mas não é isso que o feminismo quer.

A essência do feminismo sempre foi e será destruir e humilhar o homem ao extremo. O sonho de toda militante feminista é ver filas intermináveis de mendigos pedindo esmola e elas… ocupando todas as vagas de trabalho. O homem é em geral um ser porco e mal educado. Essa mensagem, mesmo não estando explicita no filme foi logo captada por crianças da pré escola nos EUA. Vejamos o que diz essa professora em um diálogo enviado aos produtores do filme:

“Um menino jogou no chão o papel de uma bala e uma menina de cinco anos lhe disse: ‘Não faça sujeira, idiota. Por isso não há homens em Temiscira [lugar da origem do personagem, onde há só mulheres”

Infelizmente existe uma verdade nessa frase infantil. Não todos, mas a maior parte dos homens é porca mesmo! Infelizmente basta sair na rua para ver homens aos montes cuspindo na rua (isso mais devido a cultura do futebol) ou deixando banheiros imundos.

E o que dizer das tendências homossexuais despertadas na infância nesse outro depoimento: “Na segunda-feira, um menino que estava obcecado pelo Homem de Ferro me contou que tinha pedido aos pais um tênis novo da Mulher Maravilha.”

O homem, isso apenas para os mais bonitos, segundo o padrão desse mundo, servem apenas como mero instrumento reprodutor para ser descartado posteriormente.  Essa idéia é exposta no filme quando Diana sai do paraíso das sapatonas ao lado do piloto da segunda guerra mundial. A cena acontece no barco durante a noite.

Claro! O bem (999) e o mal (666) precisam andar juntos. Diana é feminina,  humilde, sensível, educada, culta, charmosa e bonita…Mas isso não impede de usar sua força de semi deusa que está acima dos homens mortais. Para não despertar qualquer desejo no público masculino, a produção do filme tratou logo de dizer que a atriz é casada e tem filhos.

A missão de Diana é acabar com todas as guerras e não apenas a II Guerra mundial. Isso não só a torna jovem e imortal pelo resto das épocas para combater, como uma semi deusa, uma versão feminina de Hércules. É na mitologia Grega que o filme passa para a espiritualidade.

Diana deve enfrentar e derrotar o deus Ares, filho de Zeus e Hera. Ares é o deus  das guerras sanguinárias, da discórdia e do ódio entre os homens, muito parecido com o cavaleiro vermelho descrito  em Apocalipse:

“E saiu outro cavalo, vermelho; e ao que estava assentado sobre ele foi dado que tirasse a paz da terra, e que se matassem uns aos outros; e foi-lhe dada uma grande espada.”  (Apocalipse 6 : 4)

Durante a luta de Diana e Ares, a semideusa desperta o seu poder interior possuindo até os raios de Zeus para atacar Ares. Essa sem dúvida é a mensagem mais importante do filme:

Como vimos, Ares representa o cavaleiro vermelho de Apocalipse influenciando a mente dos homens para se matarem uns aos outros. Com a crescente implantação da agenda neoliberal e seus planos de austeridade que pretendem não só  banir os direitos trabalhistas, mas sobrecarregar o povo com taxas abusivas (fruto das parecerias públicas/privadas), o mundo caminha para uma guerra civil.

De um lado temos os que defendem a agenda dos neoliberais  e o outro formado pelos movimentos sociais. Não vai demorar muito para que sejamos escravos novamente e os poucos que estiverem trabalhando só terão dinheiro para pagar luz, água e telefone. O resto que sobrar é apenas para uma refeição diária.

É por isso que esse conflito da nova ordem mundial se torna transcendente e Diana começa a representar a Rainha dos Céus (a nossa senhora dos católicos), atuando em pró dos movimentos sociais. Pode parecer bizarro, mas aos poucos isso está sendo colocado em prática. Recentemente, o Papa (não que seja ele o falso profeta), representante da Rainha dos Céus na Terra, emitiu uma nota de repudio ao plano de austeridade nas 1 aposentadorias:

“Papa Francisco critica sistemas desiguais de aposentadorias… CIDADE DO VATICANO, 28 JUN (ANSA) – O papa Francisco fez um discurso nesta quarta-feira (28) em que criticou os sistemas de aposentadoria que privilegiam determinados grupos enquanto milhares de idosos precisam trabalhar por anos … “

“…O Papa Francisco voltou a criticar o modelo de capitalismo exploratório e especulador em voga no mundo todo. Para sua santidade, é necessário estabelecer uma nova ordem mundial em que os interesses da sociedade se coloquem à frente do interesse do capital.  O Papa voltou a surpreender e elogiou a atuação das entidades sindicais como uma forma de construir o novo pacto social…”

Tal como no filme,  na vida real a Rainha dos Céus acabará ganhando, pois ela oculta o Cavaleiro Branco que representa o cristo cósmico Baha’u’llah  com sua falsa paz global e bloqueia o cavaleiro vermelho. Vejamos como Baha’u’llah descreve essa vitória:

Ó MEU SERVO! A Noiva mística e admirável, outrora oculta atrás do véu das palavras, agora, pela graça de Deus e através de Seu favor divino, tornou-se manifesta e esplendorosa como a luz irradiada pela beleza do Bem-Amado. Dou testemunho, ó amigos, de que o favor está completo, o argumento se cumpriu, a prova se manifestou e a evidência acha-se estabelecida. Que seja visto agora o que vossos esforços no caminho do desprendimento revelarão. Desse modo, o favor divino foi plenamente concedido a vós e àqueles que estão no céu e na terra. Todo louvor a Deus, o Senhor de todos os Mundos. (Baha’u’llah, Palavras ocultas)

Observe que o símbolo da Mulher Maravilha é a estrela de oito pontas ( a tiara do triunfo) , a mesma que está nos jardins da tumba de Baha’u’llah.

Referências

https://noticias.bol.uol.com.br/ultimas-noticias/internacional/2017/06/28/papa-francisco-critica-sistemas-desiguais-de-aposentadorias.htm

http://brasil.elpais.com/brasil/2017/06/13/cultura/1497340001_298541.html?rel=mas

https://www.cinemark.com.br/filme/mulher-maravilha

https://www.brasildefato.com.br/2017/06/28/papa-francisco-elogia-sindicatos-e-clama-por-novo-pacto-social/

1- Claro! Não estamos na Ordem Mundial de Baha’u’llah e ele nem se manifestou, por isso as palavras do Papa de fato expressam a realidade injusta em que vivemos. É preciso lutar no presente e deixar para sofrer apenas no tempo certo.

Anúncios