STF, marcha da maconha e a nova ordem mundial

É notório que a maconha faça muitos estragos em seus usuários. Doenças, pulmonares, perda de memória e dificuldade cognitiva são apenas alguns dos fatores, mas o STF resolveu ignorar esses fatos aprovando a tal marcha. Segundo esses juízes o Artigo 287 do código penal não pode ser interpretado no julgamento da marcha, pois nesse caso temos um  manifestações de liberdade de expressão e não um caso de apologia.

É apologia… e ponto final! Embora os presidentes brasileiros, seja LULA, FHC ou TEMER, estejam ligados aos traficantes, a droga ainda não foi legalizada.  A situação também não mudaria em nada se os presidentes e demais políticos brasileiros passassem a ser traficantes legalizados.  Se quem fornece a droga é um traficante legalizado ou não torna-se algo ilícito e por isso é apologia.

Apologia feita com discursos falaciosos que se escoram em um suposto bem medicinal para a aprovação pelo governo e que também serve para proteger os traficantes.  Percebe-se aqui a triste situação dos juízes do STF que além de libertar qualquer político corrupto também aprovam, mesmo que de forma  indireta, a legalização das drogas.

É comum entre os maconheiros cristãos (isso são eles que se consideram) defender o uso da droga através de versículos Bíblicos como esse:  “pois tudo que Deus criou é bom, e, recebido com ações de graças, nada é recusável” ( I Timóteo 4:4). O que também não se justifica, pois esse versículo foi tirado do contexto da proibição de alimentos e maconha  está longe de ser isso.

Diante desses fatos temos duas conclusões:  uma material e outra espiritual. Na material percebe-se  que esse juízes estão comprados pela corrupção e não julgam nada em nome da justiça e verdade. Na espiritual temos essas justificativas sem qualquer base jurídica ou Bíblica, pois somente um bando de malucos entorpecidos da realidade poderiam aprovar o uso das drogas . É aqui que entra a Ordem Mundial de Baha’u’llah.

Através dos seus sete vales (Apocalipse 10) ,o cristo cósmico da nova era vem tragando as pessoas na unidade da diversidade. Esses , quando tragados pelo amor de Baha’u’llah, não sabem discernir o certo do errado em suas mentes. Vejamos essa voz da unicidade entoada pelo rouxinol místico:

“…O viajante torna-se agora inconsciente de si próprio e de tudo além de si. Não vê a ignorância nem o conhecimento, nem a dúvida nem a certeza; não distingue entre a manhã da orientação e a noite do erro…” ( Sete vales:  Vale do Amor – Baha’u’llah ).

Acaso não é dessa forma que esses malucos estão agindo?

http://www.stf.jus.br/portal/cms/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=182124