O Papa no Egito

O Papa Francisco esteve no Egito nos dias 20 e 29 De abril de 2017. Sua visita foi a pedido do Presidente Abdel-Fattah al Sisi, o Grande Imam da Universidade al-Azhar, o xeque Ahmed Mohamed al-Tayeb, o papa copta ortodoxo Tawadros II e pelos bispos católicos. Essa foi a sua 18ª viagem e o Egito foi o 27º  país a ser visitado. A sua missão foi enfatizar a importância do Egito na resolução dos problemas no oriente médio e enfatizar a importância da tolerância religiosas entre muçulmanos, cristãos e a igreja ortodoxa. No caso dessa última ela é uma transição para a igreja protestante.

Francisco, embora pareça não ser o falso profeta apocalíptico, segue a agenda global e obedece a ordem mundial de Baha’u’llah sempre que possível. Primeiramente, podemos observar nos números dessa visita, onde o nove, número de Baha’u’llah, aparece de várias formas, por exemplo:  no final do último dia de visita (dia 29), na viagem de número 18 (1+8=9) e no país de número 27 a ser visitado (2+7=9), dessa forma temos a tríade profana de Baha’u’llah (Apocalipse 13:17) simbolizando seu nome, número e sinal (999).

Agora que o evento foi consagrado a Baha’u’llah, resta ao papa ouvir a melodia da unidade da diversidade religiosa nas leis do Kitáb-i-aqdas de Baha’u’llah (Apocalipse 10):

K-75 “…”Convivei, pois, com os seguidores de todas as religiões, e proclamai a Causa de vosso Senhor, o Mais Compassivo. É esse o próprio diadema de todos os atos, se sois dos que compreendem….” Kitáb-i-aqdas / Baha’u’llah)

E assim, Francisco prega a unidade da diversidade, porém o que muitos não entendem que essa paz religiosa somente será possível se uma mesma espécie de cristo estiver presente em todas as religiões. Claro! Não o verdadeiro, pois a verdade é relativa na ordem mundial de Baha’u’llah. Mas também existe o lado material da viagem através das famosas concordatas do Vaticano para a isenção de impostos.

Para isso a notícia publicada pelo Vaticano caprichou na imagem. O Papa aparece abençoando as pirâmides do Egito,  a lua do islã, onde a estrela de cinco pontas é substituída por uma  cruz dos templários e acima de tudo isso aparece a Pomba descendo do céu, representação do “espírito santo” batizando todo o evento.

Uma primeira impressão pode aparentar que o cristianismo verdadeiro estaria convertendo os corações, mas tal associação de símbolos levam para a unidade da diversidade. Unidade de um mesmo cristo abençoando as religiões com o seu falso “espírito santo” para promover a diversidade.

Ora, as pirâmides são a Tumba que promete o retorno de um  faraó imortalizado ao poder, a lua do islã o Imã Mahdi e a cruz o cristo cósmico trazendo o reino de “deus” na terra.

https://zenit.org/articles/pope-francis-wraps-up-1st-day-in-egypt/

https://zenit.org/articles/pope-francis-wraps-up-1st-day-in-egypt/

Anúncios