O dia em que “michelzinho” não foi para a escola

No dia 28/04/17, dia da greve geral “michelzinho temer” não foi estudar. Esse dia é dedicado ao belo ou a beleza pelos  Baháis. Apenas uma coincidência de datas e nada mais…

Mas algo fica estranho no ar. O que  “michel temer”  que não possui qualquer limite em termos de crueldade com o povo tem em comum com o bahaismo? O monstro de três pés (reforma do ensino médio, previdência e trabalhista )  está quase  pronto para devorar muita gente pelo Brasil. O seu último pé será decidido após o dia do trabalho (  Um feriado que tem origem no sangue derramado, nesse caso enforcamento, do Estado ao povo oprimido ) com a reforma da previdência.

Quando olhamos para a escola das nações temos o início de uma resposta. Trata-se de uma escola para formação de elite. A formação se foca em líderes do futuro, nesse caso da elite aristocrática brasileira  que dará continuidade na opressão ao povo. Pouco interessa a esse presidente miserável conceitos da diversidade, o que ele precisa é que seu pirralho maldito (melhor seria que nunca tivesse nascido)  aprenda como raciocinar acima da média normal das pessoas para poder servir no futuro a política, ao o interesse de empresários e banqueiros.

Infelizmente a política brasileira é isso…Um pequeno grupo de miseráveis em espírito que prensam apenas em si  e nos deleites que a vida pode dar. Isso inclui casamento com mulheres que poderiam ser suas  netas. Para o sustento dessa vida de luxo é necessário sacrificar o povo criando empregos de péssima qualidade em terceirizações, educar para a burrice no ensino médio,  reter o dinheiro da aposentadoria, alias desviar para o pagamento de dívidas políticas/  bancarias e claro aumento de impostos, taxas de serviços e tudo mais até que o povo não tenha mais esperança e viva na miséria absoluta. Simples assim, esse é o plano para o Brasil se nada for feito.

Mario Covas Neto, Michelzinho filho, Eli Correa Filho…os nomes não importam, pois a perpetuação da linhagem na política que destrói nossas vidas estão além das urnas. Nosso salário que é diminuído e não nos pagam o que é devido, pois tudo é desviado, mas que nosso clamor chegue até os ouvidos do Senhor dos Exércitos e que ELE possa vingar sobre esses monstros do presente e do futuro:

“Eis que o jornal dos trabalhadores que ceifaram as vossas terras, e que por vós foi diminuído, clama; e os clamores dos que ceifaram entraram nos ouvidos do Senhor dos exércitos.”  (Tiago 5 : 4)

http://blogs.oglobo.globo.com/lauro-jardim/post/michelzinho-sem-aula-hoje.html?utm_source=Facebook&utm_medium=Social&utm_campaign=LauroJardim

Anúncios

Perdendo a cabeça com a nova ordem mundial

Ghost in the Shell é um mangá  criado por Masamune Shirow. O ano é 2029 o mundo está altamente informatizando e os seres humanos acessam informações através dos seus cyber-cérebros. A obra prima da era digital é a agente cibernética Major Motoo Kusanagi. A tecnologia conseguiu colocar a sua alma humana em um robô.  A major  pertence ao setor 9 que sempre está em rivalidade com o  setor 6 nas investigações.

O conceito de 666 e 999 reflete no protesto que o criador do mangá faz para a sociedade, pois toda essa tecnologia não conseguiu trazer a paz no mundo e muito menos as pessoas são mais felizes. Ele denuncia a guerra dos opostos 666 (tribulação) e 999 (paz) convivendo sem nunca chegar a um consenso.

Esse mundo tecnológico está em andamento na atualidade. No post anterior vimos o início do implante de cabeça e também existe o projeto avatar que vai de encontro com a tecnologia do filme, ou seja, transportar uma alma para um corpo ou objeto cibernético.

Esse desenho recebeu uma versão americanizada na forma de um filme  que adicionou alguns conceitos da nova ordem mundial de Baha’u’llah, nesse caso a igualdade entre homens e mulheres. A major é interpretada pela atriz Scarlett Johansson. O roteiro feminista segue a tradição de usar uma bela e jovem mulher. Dessa forma, o feminismo também pode ser associado ao belo e ao delicado, mesmo diante da supremacia feminina e não da igualdade, pois a personagem Major bate nos homens  que estão em condição inferior.

O filme recebeu o nome “ A vigilante do Amanhã” no Brasil. Talvez a intenção aqui foi focar apenas na ação, dessa forma a mensagem subliminar da nova ordem mundial e seu condicionamento podem operar de forma inconsciente.

O título em inglês, Ghost in the Shell, seria algo como alma ( e não fantasma) em uma concha ou dentro de  uma concha. Essa concha podemos interpretar como uma espécie de receptáculo que hospeda a alma. Isso poderia assustar ou revelar de forma mais aberta as intenções. A ordem iluminista também deixa sua assinatura usando um triangulo onde temos as palavras “in the”.

Ora, tanto o filme como o desenho condicionam para o culto à imagem da besta (alma em um objeto cibernético), mas também a prática de degolação. Esse método de matar tem que ser visto como algo normal pelo cidadão global. Dessa forma, sabendo que é possível colocar uma cabeça ou cérebro em um novo corpo nos opositores a ordem mundial de Baha’u’llah e sua diversidade no futuro, as pessoas ficaram mais “tranqüilas”, pois as cabeças, inclusive as cristãs, podem ter esperança de voltarem. Mas é aí que mora o perigo…seja um cérebro, cabeça ou alma reanimada isso no cristianismo é impossível, pois a alma é salva quando se crê em JESUS. O que pode assumir qualquer uma dessas hipóteses é um demônio.

Transplante de cabeça e cérebro

Numa entrevista publicada ontem pela revista alemã Ooom, o cirurgião italiano Sergio Canavero deu mais detalhes sobre o primeiro transplante de cabeça do mundo, que deverá ser realizado nos próximos 10 meses. No entanto, Canavero também aproveitou para falar sobre seus planos para o futuro, que incluem uma iniciativa ainda mais arriscada: transplantes de cérebro.

Estamos atualmente planejando o primeiro transplante de cérebro do mundo, e eu considero realístico dizer que estaremos prontos em três anos no máximo”, disse o cirurgião. Não se trata, segundo ele, de um próximo passo na evolução da cirurgia, mas de um desenvolvimento separado. “O processo já está encaminhado, nós estamos trabalhando nele em paralelo [ao transplante de cabeça].”

O procedimento, segundo Canavero, envolveria “transportar o seu cérebro para um crânio totalmente diferente”. Em outras palavras, o cérebro (e presumivelmente a consciência e a personalidade) do paciente seria transportado para um corpo “inteiramente novo”. O cirurgião reconhece que o processo pode ser traumático: “Isso cria uma situação nova que certamente não será fácil”.

Por outro lado, o cirurgião diz que o transplante tem “muitas vantagens”: “Primeiro, não há quase nenhuma reação imunológica, o que significa que o problema da rejeição não existe”. Num transplante de cabeça, os nervos, tendões, músculos e veias podem causar grandes problemas caso o novo corpo os rejeite, mas, com o cérebro, isso não acontece. “O cérebro é, de certa forma, um órgão neutro”, diz.

 

Transcendendo a morte

De certa forma, segundo Canavero, os transplantes de cérebro poderiam possibilitar que os humanos vivam para sempre. Durante a entrevista, ele fala sobre a empresa estadunidense Alcor, que congela corpos e cérebros humanos para que eles possam ser “revividos” no futuro. A ideia é que os “clientes” da empresa possam ser acordados em 100 ou 200 anos, quando a tecnologia para isso existir.

Mas o cirurgião italiano diz ter “boas notícias” para eles: assim que o primeiro transplante de cabeça for realizado com sucesso, ele e sua equipe começarão a tentar reviver os primeiros cérebros dos clientes da Alcor. Isso deve acontecer “no máximo em 2018”, segundo ele. O teste, mesmo que não dê certo, permitirá “descobrir se congelar cérebros [para reviver depois] faz sentido ou se toda essa abordagem pode ser esquecida”.

Ainda sobre o transplante de cabeça, Canavero considera que o procedimento, se funcionar, dará à humanidade um novo entendimento sobre a morte. “Nessa fase [quando a cabeça está separada do corpo], não há nenhuma atividade de vida – nem no cérebro, nem no resto do corpo. O paciente está morto, clinicamente morto. Se nós trouxermos essa pessoa de volta à vida, receberemos o primeiro relato real do que acontece após a morte”, comenta.

O sentido da vida

Com esse relato, o médico acredita que “as religiões serão exterminadas para sempre”: “Elas não serão mais necessárias, pois os humanos não precisarão mais ter medo da morte”. O paciente que sobreviver à operação poderá contar se manteve sua consciência, ou se não sentiu nada durante seu período de “morte”.

Nesse segundo caso, Canavero acredita que ficaria provado que o cérebro é que cria a consciência. “Então, começaremos a nos perguntar pelo sentido da vida: eu nasço, eu vivo, eu morro e em algum momento eu envelheço e adoeço. Qual é o propósito da minha vida?” Embora trate-se de uma perspectiva bem deprimente, o cirurgião se mostra mais otimista: “Eu sou pela vida, eu acredito na vida”.

https://olhardigital.uol.com.br/noticia/cirurgiao-que-fara-transplante-de-cabeca-promete-transplantar-cerebros-ate-2020/67900

O Papa no Egito

O Papa Francisco esteve no Egito nos dias 20 e 29 De abril de 2017. Sua visita foi a pedido do Presidente Abdel-Fattah al Sisi, o Grande Imam da Universidade al-Azhar, o xeque Ahmed Mohamed al-Tayeb, o papa copta ortodoxo Tawadros II e pelos bispos católicos. Essa foi a sua 18ª viagem e o Egito foi o 27º  país a ser visitado. A sua missão foi enfatizar a importância do Egito na resolução dos problemas no oriente médio e enfatizar a importância da tolerância religiosas entre muçulmanos, cristãos e a igreja ortodoxa. No caso dessa última ela é uma transição para a igreja protestante.

Francisco, embora pareça não ser o falso profeta apocalíptico, segue a agenda global e obedece a ordem mundial de Baha’u’llah sempre que possível. Primeiramente, podemos observar nos números dessa visita, onde o nove, número de Baha’u’llah, aparece de várias formas, por exemplo:  no final do último dia de visita (dia 29), na viagem de número 18 (1+8=9) e no país de número 27 a ser visitado (2+7=9), dessa forma temos a tríade profana de Baha’u’llah (Apocalipse 13:17) simbolizando seu nome, número e sinal (999).

Agora que o evento foi consagrado a Baha’u’llah, resta ao papa ouvir a melodia da unidade da diversidade religiosa nas leis do Kitáb-i-aqdas de Baha’u’llah (Apocalipse 10):

K-75 “…”Convivei, pois, com os seguidores de todas as religiões, e proclamai a Causa de vosso Senhor, o Mais Compassivo. É esse o próprio diadema de todos os atos, se sois dos que compreendem….” Kitáb-i-aqdas / Baha’u’llah)

E assim, Francisco prega a unidade da diversidade, porém o que muitos não entendem que essa paz religiosa somente será possível se uma mesma espécie de cristo estiver presente em todas as religiões. Claro! Não o verdadeiro, pois a verdade é relativa na ordem mundial de Baha’u’llah. Mas também existe o lado material da viagem através das famosas concordatas do Vaticano para a isenção de impostos.

Para isso a notícia publicada pelo Vaticano caprichou na imagem. O Papa aparece abençoando as pirâmides do Egito,  a lua do islã, onde a estrela de cinco pontas é substituída por uma  cruz dos templários e acima de tudo isso aparece a Pomba descendo do céu, representação do “espírito santo” batizando todo o evento.

Uma primeira impressão pode aparentar que o cristianismo verdadeiro estaria convertendo os corações, mas tal associação de símbolos levam para a unidade da diversidade. Unidade de um mesmo cristo abençoando as religiões com o seu falso “espírito santo” para promover a diversidade.

Ora, as pirâmides são a Tumba que promete o retorno de um  faraó imortalizado ao poder, a lua do islã o Imã Mahdi e a cruz o cristo cósmico trazendo o reino de “deus” na terra.

https://zenit.org/articles/pope-francis-wraps-up-1st-day-in-egypt/

https://zenit.org/articles/pope-francis-wraps-up-1st-day-in-egypt/