O começo e o princípio

Certa vez na antiga Pérsia   Muhammad Husayn se converteu ao Bahaismo, sendo um dos primeiros a crer na declaração de  Mirza Hussain Ali Nuri na cidade Shiráz.  Mirza Hussain passou a se chamar Baha’u’llah (A glória de DEUS) ao se declarar o oitavo manifestante  divino na terra. Isso  após ser revestido de poder pela Rainha dos Céus quando estava preso. Crendo nessa promessa, Muhammad perguntou ao seu mestre quando seria a volta de Cristo. Baha’u’llah  agraciou seu discípulo  mudando o seu nome para  Vafá que significa fidelidade e lhe escreveu a seguinte epístola:

“…Perguntaste sobre o assunto da Volta. Sabe tu que o fim é semelhante ao começo. Assim como consideras o começo, de igual modo deves considerar o fim, e ser daqueles que verdadeiramente percebem. Não, antes, considera tu o começo como sendo o próprio fim, e assim, inversamente, a fim de poderes adquirir uma percepção clara… “(Epístolas de Baha’u’llah, Suriy-i-Vafá)

Essa resposta não possui qualquer base Bíblica e distorce toda a realidade das escrituras, pois não existem um sinônimo  entre as palavras fim e começo, muito pelo contrário. Quando lemos MT 24:21 a volta de Cristo JESUS será marcada por um tempo de aflição jamais visto:

“Porque haverá então grande aflição, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem tampouco há de haver.”  (Mateus 24 : 21)

A nossa investigação paira sobre o  pensamento de Baha’u’llah  e sua interpretação do que é o começo. O que de fato ele entende por começo? Qual a essência da sua rede semântica de pensamento  e analogia?  Ora, nem sempre começar algo se refere ao ponto zero no espaço e tempo, por exemplo:  uma pessoa pode ser formada em matemática e depois começar uma universidade de medicina.

Dessa forma percebe-se que nessa analogia entre fim e começo temos o caos como marco divisório.  Temos aqui uma era de decadência moral, religiosa, econômica e  política  antecedendo não a manifestação de JESUS, mas a de Baha’u’llah para o início de uma nova era. Na busca dessa essência que liga a analogia entre fim e começo temos o caos.

De fato, tal pensamento tem muito significado, pois esse é  um lema muito usado em outras seitas. Destacamos aqui a maçonaria pelo seu grande poder financeiro e sua influência política que usa o lema “ Ordo ab Chao” (Ordem no Caos).

Já o princípio, e isso quando buscamos por sua essência primeira, segue outros sentidos semânticos, embora em uma primeira análise possa parecer um sinônimo de começo. Aqui trata-se do marco de zero no tempo e no espaço. Algo relacionado a palavra inicio. Vejamos essas palavras de JESUS:

“Eu sou o Alfa e o Ômega, o princípio e o fim, o primeiro e o derradeiro.”  (Apocalipse 22 : 13)

Embora a essência da palavra princípio esteja relacionada ao início  (como nesse caso) ela também recebe novo significado de conduta moral, por exemplo: É muito comum quando uma pessoa possui uma certa conduta e quando tentada a se desviar dela pense ou diga:  Não posso fazer tal coisa, pois isso fere os meus princípios.

Chegamos agora no momento de grande gravidade que o corre nas traduções Bíblicas. A palavra principio está sendo substituída pela palavra começo, especialmente nas traduções bíblicas na linguagem de hoje. Essa tradução e conhecida na produção e venda de Bíblias alternativas como: A Bíblia do Surfista,  Bíblia do Gay e outras….

Embora em alguns versículos a palavra começo possa ser associada ao início de algo,  com o passar da leitura a palavra começo se transforma em algo a ser inserido no tempo e espaço. É aqui que se encaixa a ordem mundial de Baha’u’llah que promete um novo começo em transformar a terra no paraíso da diversidade, mas como vimos o começo não  é um principio de conduta moral, o que permite surgir uma sociedade totalmente fria e violenta.

Anúncios