O que é a verdade na internet?

Se 2016 foi um ano difícil para publicar análises sobre a nova ordem mundial, 2017 será muito pior! Recentemente, em matéria publicada pela revista Isto é ( e que não possui nem o nome do jornalista responsável pela matéria), descreve rapidamente uma parceria monstruosa em busca da tal verdade.

Segundo a matéria, Buzzfeed Brasil, UNESCO, Facebook e Google serão as empresas detentoras da verdade. O projeto conta com cooperação de usuários que vão delatar as notícias consideradas faltas. Se o número de pessoas for satisfatório em outras palavras o site ou blog será retirado do Google e receberá um tipo de selo de alerta no face. Sim! A verdade daqui para frente será o que eles querem!

Isso se tornará algo muito perigoso, pois o conceito de verdade é complexo e também aumenta o risco de sabotagens, por exemplo: Se um grupo de pessoas não gostam de um determinado blog basta dizer ao Google que o site sairá fora de suas buscas, porém na prática nem sempre são pessoas, mas robôs que podem inflar esses números, se bem que nenhuma empresa disse qual é o numero satisfatório de denuncias para que o processo de banimento seja concretizado.

De fato, existe muita bobagem na internet e notícias falsas, mas essa não é uma boa forma de resolver esse problema. E assim, corre o risco de que somente a mídia que serve ao capital seja considerada dona da verdade, juntamente com seus formadores de opiniões (Estadão, Revista Veja, Globo, R7 …) que sonham com a implantação do fascismo neoliberal no Brasil.

Uma das alternativas da ONU é a proposta de algo semelhante ao pensamento crítico filosófico, uma verdadeira arma que traria a verdadeira cidadania, porém aqui no Brasil o atual governo “temer” já fez o grande favor de praticamente retirar a filosofia do ensino médio. O risco que os alunos aprendam apenas idiotices históricas é muito grande, pois as atuais faculdades enfatizam demais a história da filosofia e não ensinam praticamente nada sobre a construção do pensamento crítico.

http://istoe.com.br/credibilidade-da-internet/