O perigo da era homossexual

No início do mês de Dezembro, em uma parceria entre os poderes do município e estado de São Paulo, ocorreu um mutirão para travestis trocarem de nome. O evento aconteceu no dia 9 de Dezembro de 2016. Isso mostra uma total sincronia com o número da ordem mundial de Baha’u’llah (Ap 13:17) e também o seu princípio que fala do fim de toda forma de preconceito. Ora, a palavra “toda” abrange uma grande variedade de pessoas que podem requerer seus direitos, por isso temos os travestis nesse caso.

Esse poder místico do cristo cósmico, como ele mesmo assevera em seu livro “Os Sete Vales”, entorpece pessoas de uma forma que esses não conseguem diferenciar entre o certo e o errado:”…O viajante torna-se agora inconsciente de si próprio e de tudo além de si. Não vê a ignorância nem o conhecimento, nem a dúvida nem a certeza; não distingue entre a manhã da orientação e a noite do erro….” ( Os sete vales – Baha’u’llah).

O perigo da era homossexual acontece na forma em que distorcem a interpretação de leis para os seus objetivos libertinos. O movimento LGBT conseguiu essa vitória para a troca de nome distorcendo o Artigo 58 da Lei 6015/73. Vejamos o que ela diz: “ (Lei 6015/1973) Art. 58. O prenome será definitivo, admitindo-se, todavia, a sua substituição por apelidos públicos notórios…”

Ora, o apelido é algo que uma pessoa recebe e está relacionado a um defeito, qualidade, local de nascimento… em geral,  uma outra pessoa,  ao observar certos aspectos de outra, acaba mudando  o nome. O apelido  também pode ser ligado a uma demonstração de carinho.

A escolha do nome do travesti acontece em geral de uma forma subjetiva, ou seja, uma escolha que ele mesmo faz para o seu nome e exige que seja chamado assim. É algo arbitrário de uma subjetividade e não dado por uma terceira ou segunda pessoa na maior parte dos casos, por isso essa lei não deveria ser aplicada.

O que temos aqui é uma lei antiga. Um tempo em que ser travesti ou gay jamais seria visto com bons olhos, pois a ética/moral em 1973 era muito diferente de hoje. Dificilmente quem a criou imaginou que no futuro seria tão distorcida.

Mas não é isso que a tal democracia composta por juízes com fraco entendimento da realidade interpretam. O resultado é essa fatalidade , onde o Poder do Estado coopera para que fique mais difícil a pregação da doutrina da salvação cristã para essas almas.

http://www.defensoria.sp.def.br/dpesp/repositorio/0/Cartilha%20retifica%C3%A7%C3%A3o%20de%20nome.pdf

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L6015compilada.htm

https://apocalipsetotal.wordpress.com/2010/07/27/os-principios-sociais-da-nova-ordem-mundial-%E2%80%93-parte-1/

Anúncios