Ícones evangélicos

Vamos iniciar agora a nossa investigação analisando os ícones evangélicos. Essas representações do objeto buscam a virtude da natureza divina? Para buscar a resposta dessa pergunta vamos analisar alguns poderosos e riquíssimos líderes evangélicos do Brasil. São eles: Edir Macedo ( mais conhecido como o bispo abortista), Valdemiro Santiago, RR Soares e Agenor Gomes.

“Defino um ícone como sendo um signo que é determinado por seu objeto dinâmico em virtude de sua natureza interna”. Essa foi uma frase deixada por Pierce que nos serve para a compreensão desse estudo. Como descrito existe um vínculo entre o objeto e sua natureza interna em cada um desses poderosos, isso segundo a astúcia que possuem.

Vamos começar pelo mais rico de todos, o bispo abortista da IURD. Após muitos anos construindo templos normais , o ser resolveu criar o seu ícone evangélico. Nesse caso, o Templo de Salomão. O local é repleto de seguranças prontos para baterem em quem fizer qualquer gesto suspeito, é extremamente proibido o uso de celulares, sendo esses confiscados na entrada e se por motivo de força maior alguém chegar atrasado será recebido com as portas trancadas. Não adianta clamar ou implorar por ajuda que as portas não vão se abrir. Segundo o líder da seita, tudo isso é necessário, pois é a casa de DEUS.

Ora, tal argumento apenas mostra o desejo da sua natureza egoísta que prevalece, pois sabendo que transformou o seu ícone em um objeto de adoração e que deve ser temido, o mesmo pretende abocanhar o maior número de fiéis. Fiéis que encontram as portas abertas para todas as religiões no melhor estilo unidade da diversidade de Baha’u’llah, pois associa outros ícones menores que levam para o culto ao judaísmo (Arca , quipá…) , duas religiões completamente diferentes.

O nosso segundo homem mais rico é RR Soares que também é uma cria do bispo abortista que fundou sua própria igreja, além de ser dono de enumeras transmissoras de TV no Amazonas. Em locais mais distantes existem placas com o nome da igreja e claro a foto do Missionário. Nesse caso ele se transforma no ícone. Essa estratégia é fundamental para que o investimento feito na TV tenha efeito sobre o observador. Alguém poderia perguntar: Que igreja é essa? Ah! É a do RR Soares da TV.

Já o terceiro homem mais rico o Apóstolo boiadeiro ou o rei do gado evangélico usa uma estratégia parecida. Como não poderia ser diferente, mais uma cria da IURD. Seus templos também possuem o nome da sua igreja e a sua foto, porém ele traz como complemento do seu ícone a sua esposa. Dessa forma temos o ícone do casal exemplar que deve ser imitado e seguido. A propaganda também passa a idéia de um homem sólido (digamos perfeito) em quem as pessoas podem confiar, pois é casado.

E por último Agenor Gomes, mais uma cria do bispo da IURD. Sensacionalista, escandaloso, histérico e polêmico. Ele também se transforma em ícone. Dentre as suas virtudes evangélicas duas se destacam mais. Seu ícone está em se achar um Apóstolo de Cristo e a nova reencarnação do profeta Elias, pois costuma- se vestir de pano de saco para atrair fiéis. Apesar de usar a mesma técnica de associação líder x igreja, o diferencial está na autoridade do profeta Elias que ele supostamente possui. Temos aqui um ícone repleto de falsidade que não se contentando como Apóstolo também quer o ministério de profeta.

Conclusão: O ícone é uma forma de apostasia, pois coloca todos esses seres na frente do evangelho da verdade . Suas bizarrices e auto-promoção de imagem na forma de ícone tornam-se magnéticas, atraindo todos metais preciosos do povo para si mesmo.