Palestinos x Judeus

“Não há solução para o conflito será possível sem o reconhecimento de que ambos os palestinos e os judeus têm uma ligação histórica e religiosa inegável…”

A frase acima foi pronunciada durante um evento em Jerusalém no dia 28/06/16 referente ao velho problema de Judeus e palestinos. Embora de forma muito discreta, o secretário geral da ONU Ban Ki-moon aplicou o conceito da diversidade religiosa Bahá’i, pois tanto Judeus como Palestinos aguardam o mesmo cristo, nesse caso estamos falando de Baha’u’llah.

Ora, somente através da sua manifestação espiritual na forma de êxtase (Apocalipse 17 : 8) ambos os lados serão tocados pelo poder da diversidade e perceberão que sempre serviram ao mesmo cristo cósmico. Quando o objeto de adoração a ser contemplado e seus corações estiverem voltados para o Monte Carmelo, local onde estão as instituições Bahá’is, judeus e palestinos aceitaram pacificamente compartilhar os locais sagrados em Jerusalém de forma mútua.

“…Chama Sião, ó Carmelo, e anuncia as novas jubilosas: Veio Aquele que estava oculto dos olhos mortais! Sua soberania predominante está manifesta; Seu esplendor que a tudo abarca, revela-se…” (Seleção dos escritos de Baha’u’llah)

Observe atentamente a transferência ocorrendo no texto acima entre do Monte Sião para o Monte Carmelo. Quando isso ocorrerá? Não faço a mínimia idéia, mas o condicionamento para a diversidade continua operante a cada encontro em que a ONU atua como intermediária através dos seus agentes.

 

http://www.un.org/apps/news/story.asp?NewsID=54341#.V3Lo9Mu7b_c