Conceituando os vingadores no filme Guerra Civil

Parte dos princípios de Baha’u’llah a criação de uma força internacional, mas o que está sendo feito? Como os países estão colaborando para a criação do maior Estado opressor de todos os tempos? (…mais)

Resumo do filme: O recém criado grupo de vingadores aparece para proteger a terra, porém o ato heróico se transforma em um verdadeiro desastre. Matam muito mais pessoas com os erros  cometidos do que salvam. Observando isso a ONU propõe um tratado/resolução criado por 117 países, onde o grupo só poderá ser acionado quando for requisitado pelo painel da ONU, ou seja, ficam submissos a agência internacional. Começa então a rivalidade entre vingadores se dividindo em dois grupos: Os que apóiam a ONU com o seu tratado e os que não apóiam.

Até o ano de 2015 os filmes trabalhavam muito com mensagens subliminares, mas agora estão mais reflexivos e conceituais. Esse filme é muito chato, mas tem como proposta a multiplicidade de significados para a reflexão e escolha do telespectador.

Essa guerrinha boba entre vingadores pode ser vista de diversas formas como: Uma guerra de vaidades entre poderosos,  um guerra civil entre partidos de direita e suposta esquerda ou a matança de inocentes em nome do bem maior, mas vamos nos deter nessa reflexão na ONU e seu relacionamento com os vingadores.

São 117 países que somados dão o número 9, representando a ordem mundial de Baha’u’llah. Biblicamente falando, dá para comparar com o seguinte versículo:

“E os dez chifres que viste são dez reis, que ainda não receberam o reino, mas receberão poder como reis por uma hora, juntamente com a besta.” (Apocalipse 17 : 12)

Nesse ponto de vista, os vingadores assumem o papel de líderes que possuem o controle do exército mundial que surgirá com a futura reforma da ONU. Devido aos personagens serem humanos modificados, ou seja, superiores aos demais podemos comparar com os dez chifres. Já o tratado da ONU como uma nova carta dessa agência que reinará sobre as nações, representada no filme com o nome de tratado de Sokovia. Painel da ONU? Teremos aqui uma ditadura ecologicamente correta oprimindo os povos? Pelo que tudo indica sim.

Saindo da tela para a realidade. Pouco se tem feito na criação do exército mundial. Ainda estamos no estágio em que os membros da OTAN devastam o oriente médio e outros locais para explorar e transformar em colônias. Já o governo brasileiro, continua na política corrupta fazendo o serviço sujo no Haiti pensando que vai conquistar uma cadeira no Conselho de Segurança da ONU. Drones vigilantes, identificação biométrica por voz, rastreamento,  pessoas geneticamente  motificadas, controle mental ou robôs humanos ..o cenário está a cada dia mais preparado.

De resto o filme dá até sono… As tradicionais cenas de ação e   vaidade a flor da pele por se acharem o máximo. Apenas para tumultuar os conceitos, os autores misturam na trama a disputa entre a Hydra x Shield, mas o objetivo aqui é levar para o mundo da fantasia dos quadrinhos.

Se a arte do cinema continuar assim não vai demorar muito para que isso desapareça. A qualidade está tão ruim que assistir de graça na internet já sai caro, mas mesmo assim esse filme faturou milhões.

Anúncios