Religião

Inwo Messiah“Ninguém de maneira alguma vos engane; porque não será assim sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição,” (II Tessalonicenses 2 : 3)

Na categoria religião vamos acompanhar a apostasia. Sem dúvida a apostasia é o sinal mais importante que temos sobre a vinda de cristo, porém o seu sentido foi modificado devido a interferência católica na produção dos dicionários. Em dicionários como o Michaelis o sentido da palavra apostasia é tratado com ênfase para o abandono desse tipo de fé:

“Apostasia: s. f. 1. Abandono público de uma religião (especialmente da católica), de uma doutrina ou opinião. 2. Abandono do grupo ao qual se pertencia”. Ora, a impressão que se tem é que a apostasia seria apenas uma mudança do entre o cristianismo católico para o protestante.Nada poderia estar mais longe da realidade.

O verdadeiro sentido da apostasia está na troca do cristianismo pelos ensinamentos do filho da perdição. A besta do abismo com o seu poder ecumênico é capaz de congregar todos os povos como profetizado por Habacuque:

“Tanto mais que, por ser dado ao vinho é desleal; homem soberbo que não permanecerá; que alarga como o inferno a sua alma; e é como a morte que não se farta, e ajunta a si todas as nações, e congrega a si todos os povos.” (Habacuque 2 : 5)

O ápice da ordem mundial de Baha’u’llah está na aceitação precoce da igreja aos seus ensinamentos de ordem ecumênica, princípios e símbolos sagrados (nome, sinal e número), por exemplo: Silas Malafaia e Morris Cerullo coneguiram arrecadar alguns milhões no passado com a unção do número 9.

E assim, a apostasia dá os seus passos lentos levando muitos para perdição da unidade da diversidade. Ora, viver em um mundo onde todas as religiões se respeitam só seria possível se possuíssem em comum o mesmo deus. É nesse cenário que surge a ordem mundial de Baha’u’llah promovendo os seus conceitos unificadores em toda a terra.

Para exemplificar o processo de unididade, Baha’u’llah em seu livro Os Sete Vales faz uma comparação com o sol que brilha sobre a face de todos os habitantes da terra:

“….Ele contempla todas as coisas com a vista da unicidade, e vê os brilhantes raios do sol divino, que emanam do ponto do alvorecer da Essência, atingirem igualmente todas as coisas criadas, e as luzes da singularidade refletirem-se sobre toda a criação….”( Vale da unidade)

Esse brilho é um futuro êxtase que os escolhidos para viver na sua nova ordem mundial sentirão através de um batismo com o falso espírito santo.

Anúncios