O “mudra” envagélico do Apóstolo Agenor Gomes

agenor gomes

“Aqui o sentido, que tem sabedoria. As sete cabeças são sete montes, sobre os quais a mulher está assentada.” (Apocalipse 17 : 9)

Não vamos explorar toda a rica simbologia desse versículo nessa oportunidade, mas nos deteremos nessa reflexão sobre as cabeças e os montes. As cabeças são as lideranças espirituais ou os sete principais criadores de grandes religiões e os montes um local onde as pessoas buscam por socorro espiritual, ou seja nas religiões.

Reparamos que durante o uso do tom agressivo da sua encenação o Apóstolo Agenor Gomes explora muito o uso do dedo indicador. Após uma sessão de gritos histéricos e balbuciar palavras sem qualquer sentido, o mesmo aponta o dedo indicador para as câmeras de TV e lança uma profetada. Logo em seguida seus fiéis entram em êxtase e repetem a palavra amém. Quando ele aponta seu poderoso dedo para uma ” ovelha” ela não resiste e cai no chão como estivesse tendo um ataque epilético.

Como não existe nada no evangelho que fala sobre o uso do dedo indicador em cultos que inclusive é capaz de derrubar as pessoas pelo suposto poder de “deus, buscamos seu significado no esoterismo, mais especificamente no budismo, onde a prática do MUDRA é muito adequada para a explicação do fenômeno.

Para esse esoterismo a energia divina desce para sustentar a vida na forma de Chakras. O equilíbrio da energia cósmica de nosso corpo e do planeta acontece dentro da divisão dessas energias em elementos que são: a água, o fogo, a terra, o éter (espaço) e o ar. Entre os cinco elementos cósmicos, o dedo indicador é representado pelo elemento ar.

É esse sopro “divino” de energia esotérica o responsável por derrubar pessoas aos montes durante os cultos, mas ainda existe outro poder oculto no dedo indicador. Ele é o portal para o terceiro olho. Quando esse chakra está aberto, o iniciado nos mistérios maiores recebe a iluminação de profetadas através do selo esotérico que está localizado na testa e entre os olhos.

Um pré condicionamento para usar a marca da besta? Sim! Exatamente isso, pois os seus valores espirituais abrem o terceiro olho do iniciado e a prática de qualquer rito esotérico de outras religiões se torna aceitável, levando  para a consolidação final, ou seja, usar a marca do cristo cósmico Baha’u’llah, a estrela de nove pontas, no meio da testa. O Buda é um dos manifestantes divinos que faz parte das sete cabeças contidos na revelação progressiva Bahái.

https://estudosdafe.wordpress.com/category/04-a-revelacao-progressiva/

“Conheço as tuas obras, e o teu trabalho, e a tua paciência, e que não podes sofrer os maus; e puseste à prova os que dizem ser apóstolos, e o não são, e tu os achaste mentirosos.” (Apocalipse 2 : 2)

http://ocaminhodomeio.com.br/mudras/index.html