A oração de finados bahá’i

O bahaismo tem uma forma estranha de realizar o rito de finados. As orações são voltadas apenas para Deus, pois acreditam que todas as religiões levam ao mesmo caminho. Nesse caso, não existe a necessidade de um salvador e Jesus vira apenas mais um dos manifestantes divinos ou instrutores da humanidade.

A morte é oferecida tanto para o cristo cósmico Baha’u’llah (biblicamente a besta do abismo) e a futura besta de 10 chifres. Isso acontece através da numerologia oculta do mantra “Alláh’u’Abhá” (ELE É O MAIS GLORIOSO). Vejamos com mais detalhes:

São seis linhas onde a palavra “Alláh’u’Abhá”  (ele é o mais glorioso) deve ser repetida 19 vezes. Decompondo o número temos 1+9 que representa a besta de dês chifres. Além do culto ao número 10 também temos o culto ao numero seis, vale lembrar que no conceito bahái o seis nada mais é do que o nove invertido e ele acontece da seguinte forma: O mantra possui seis linhas que devem ser recitadas 19 vezes cada, assim temos 6*19= 114 e 1+1+4=6.

“Tanto mais que, por ser dado ao vinho é desleal; homem soberbo que não permanecerá; que alarga como o inferno a sua alma; e é como a morte que não se farta, e ajunta a si todas as nações, e congrega a si todos os povos.” (Habacuque 2 : 5)

Em outras palavras temos uma oferenda de morte para a implantação da unidade da diversidade que nunca se farta. Isso acontece devido a repetição exaustiva do mantra “Alláh’u’Abhá” . Agora sim colocamos a oração de finados bahái na integra (Obs. A palavra Qiblih está relacionada ao santuário de Baha’u’llah em Israel):

A Oração de Finados é a única oração obrigatória bahá’í que deve ser recitada em congregação; deve ser lida por apenas um crente enquanto todos os presentes permanecem em pé e em silêncio. Bahá’u’lláh esclareceu que a Oração de Finados é exigida somente na morte de um adulto (maior de 15 anos), que a recitação deve preceder o sepultamento do corpo, e que não é obrigatório volver-se ao Qiblih quando ela for recitada.

“Ó meu Deus! Este é Teu servo e filho de Teu servo, que acreditou em Ti e em Teus sinais e a Ti dirigiu a face, desprendido completamente de tudo, salvo de Ti. Dos que mostram clemência, és Tu, em verdade, o mais clemente.

Ó Tu que perdoas os pecados dos homens e ocultas suas faltas, trata-o de um modo digno do céu da Tua generosidade e do oceano da Tua graça. Concede-lhe entrada no recinto da Tua transcendente misericórdia, que existia antes da fundação da terra e do céu. Não há outro Deus salvo Tu, O que sempre perdoa, o Mais Generoso.”

(Que se repita uma vez a saudação “Alláh’u’Abhá” antes de cada versículo e, em seguida, dezenove vezes cada um deles)

“Alláh’u’Abhá.Nós todos, em verdade, adoramos a Deus.

Alláh’u’Abhá.Nós todos, em verdade, nos curvamos perante Deus.

Alláh’u’Abhá.Nós todos, em verdade, somos devotos a Deus.

Alláh’u’Abhá.Nós todos, em verdade, damos louvores a Deus.

Alláh’u’Abhá.Nós todos, em verdade, rendemos graças a Deus.

Alláh’u’Abhá.Nós todos, em verdade, somos pacientes em Deus.”

http://www.bahai.org.br/a-fe-bahai/a-religiao/algumas-leis/funeral