O poder do mito em Star Wars

star wars

O que é o mito afinal? O que levou a um novo lançamento da franquia de George Lucas, agora pela Disney?

Nesse mês de Dezembro de 2015 estréia no cinema o novo filme da franquia Star Wars: “O despertar da força”. Essa saga nos faz refletir sobre o poder do mito. O conceito dessa palavra é amplo e pode absorver significados como: mentira, algo ou alguém especial, uma pessoa histórica, uma lenda ou uma narrativa que leva para conduta moral ou ética. mas por hora vamos refletir sobre o conceito de ética e moral desse filme.

A ética assume na forma de normas que devem ser seguidas criando a moral de uma população. George Lucas explora muito os conflitos da nova ordem mundial em seus filmes. Um mundo controlado pela democracia, separatistas, Jedis, Siths e alienígenas, mas acima de todos existe o governo totalitário e a força.

A criação de vários governantes totalitários na franquia do filme mostra como George Lucas tenta adaptar a história conforme a realidade de cada tempo, por exemplo: foram três grandes ditadores do império. O penúltimo foi Darth Vader que foi derrotado pelo seu filho, mas nessa nova franquia surge o novo líder das trevas chamado Kylo Ren. Esse último em uma das cenas “adora” as relíquias de Darth Vader para se inspirar na criação do seu império e elaborar leis “éticas” para conduzir a moral do povo.

O que podemos trazer para a realidade desse mito é que o espírito totalitário do Anticristo vem usando vários personagens de tempos em tempos. Monstros como Júlio Cesar, Galigula, Alexandre o grande e Hitler são alguns exemplos da tirania. Já em nosso tempo, embora um pouco desanimados e entre lutas, aguardamos o surgimento do Anticristo.

A democracia de George Lucas é um sistema corrupto que visa apenas dividir o lucro entre governantes e investidores, mais um mito que representa a realidade desse país. Os jedis são líderes espirituais supostamente apartidários. Desse mito podemos ver os lideres evangélicos, maçons e outras coisas do tipo, já os Siths representam a igreja católica. Os separatistas são em parte a ralé que tenta viver no meio dessa luta de poder espiritual e material. Já o mito do real e o irreal, ou seja, humanos e alienígenas vivendo em uma sociedade fraterna representa a aliança da humanidade com demônios.

Mas é no mito da “força” que se desenvolve melhor o pensamento de George Lucas. Inspirado na filosofia grega, ele junta o motor primeiro Aristotélico com o mundo das idéias de Platão. Como aprendemos? Pela razão platonista ou pela experiência dos sentidos como dizia Aristóteles? Ora, por isso ele juntou as duas em uma.

A força tanto é o imóvel que tudo cria no sentido material aristotélico como a idéia pura que se molda de acordo com o coração dos iniciados na espiritualidade esotérica do antigo platonismo. É aqui que entra a ordem mundial de Baha’u’llah. Através de seus ensinamentos vem conduzindo a sociedade para a unidade da diversidade e ajuntando para si todos os povos em uma grande “fraternidade” universal governada por um executivo mundial, mais conhecido biblicamente como o reino da besta que subirá do Abismo. É por isso que o mito de Star Wars é algo que se renova e se adapta a cada era até que a ordem Mundial de Baha’u’llah seja imposta.

E assim, dia após dia continuamos acompanhando o poder do mito, uma conduta ética de tirania que conduz a moral do cidadão global. Muito mais que isso o mito também se transforma na grande mentira de paz e felicidade para o mundo.

“E por isso Deus lhes enviará a operação do erro, para que creiam a mentira;”  (II Tessalonicenses 2 : 11)

Anúncios