A ilusão do black friday

Inwo market_manipulationO que é de fato o black friday? Analisando o pouco do que se sabe da sua origem, um de seus primeiros significados está relacionado a quebra da bolsa de nova York em 1869, mas em geral o adjetivo “negro” é usado para indicar grandes calamidades.

A calamidade está criada pela a superestrutura capitalista através da austeridade econômica que está sendo imposta de forma global e submete o Estado ao Capital (bancos, industrias…). Hoje, em muitos países já não resta muito do salário dos trabalhadores. Taxas, Impostos, Contas de água e luz caríssimas, queda do poder aquisitivo, desemprego e outros artifícios criados para sustentar a superestrutura estão esmagando povos em todo o mundo.

Para o Estado e o Capital, o ser humano é apenas um organismo vivo sem qualquer capacidade cognitiva e que deve ser explorado ao extremo. A preferência é que cada pessoa viva apenas pelo extinto de consumir, mas como não possuem quase nada para dar continuidade ao ciclo de moeda corrente devido a austeridade e pacotes econômicos, os “misericordiosos” donos desse mundo resolvem promover um dia – apenas um dia – para os insignificantes mortais comprarem com algum tipo de desconto.

Quando refletimos sobre o que é o valor no sentido de custo de produção percebemos que o mercado tem usado o pretexto da crise para aumentar os preços em muitos casos, especialmente na alimentação que virou uma bolsa de valor a céu aberto. De fato, existe um aumento no custo, mas nada que justifique aumentos tão abusivos. Sendo assim, essa data nada mais representa do que a retirada dessa maquiagem e a venda do produto pelo valor quase que correto, porém isso é feito apenas em um dia.

Esse evento capitalista também promove e confirma o principio da teoria econômica de que o ser humano não possui limites para o consumo. Por isso, resta ao Estado estabelecer esses limites através da queda de renda salarial.

Aceitar esse sistema imposto pelo capital representa a renúncia de um aumento salarial digno, a dependência eterna de supostas boas ações de políticos e seus financiadores de campanha, pois a crise mundial que nos destrói jamais seria resolvida com esse tipo de vendas.

O Black friday também possui o seu lado espiritual. Na tentativa de despertar o espírito de compras no consumidor, as propagandas soam como a “última de todas as oportunidades” de comprar algo e você não pode ficar fora dessa. O consumo individualista leva para o materialismo que em alguns casos não passa de uma grande vaidade. É justamente essa vaidade materialista que deixará muitas pessoas presas a esse mundo consumista.

A existência humana no seu estado mais sólido de deploração…comer,comprar, beber, vender ou se drogar (sim! Até traficantes aderem ao black) …Um extinto de sobrevivência que não traz vida e sim morte, tal como uma manada quando se abre a porteira e não sabe que logo adiante estará o matadouro.

“Como também da mesma maneira aconteceu nos dias de Ló: Comiam, bebiam, compravam, vendiam, plantavam e edificavam;” (Lucas 17 : 28)

Mas no dia em que Ló saiu de Sodoma choveu do céu fogo e enxofre, e os consumiu a todos (Lucas 17:29)

 

http://g1.globo.com/economia/noticia/2015/11/de-onde-vem-o-nome-black-friday-dez-curiosidades-sobre-data.html

Obs.Faltaria tempo para falar das fraudes