A “ evolução” do Reality show

Resumo: Fim da privacidade, trabalhar em um regime totalitário e pagar muito pelo alimento de cada dia. Essa é a fórmula que a nova ordem mundial está impondo para a sociedade. Todo esse jogo absurdo trata de uma imposição da superestrurua e do Estado na infraestrutura do mundo moderno.

Foram dezenas de programas apresentados pela globo que tinham a intenção de preparar a sociedade para viver em mundo sem privacidade e vigilância completa. Hoje, estamos rodeados de câmeras em todos os lugares possíveis. Não se existe quase nenhuma liberdade em muitas empresas. Se não bastasse isso, a geração “selfie” chegou para consolidar que ninguém proteste contra ao sistema, pois estão completamente adaptados. Empresas da superestrutura ganharam milhões com o novo mercado e o Estado conseguiu um poder repressor tecnológico. E assim, essa parte da nova ordem mundial ficou completa.

Infelizmente a manipulação não parou por aí e evoluiu. Dois programas de culinária, um apresentado pelo SBT e outro pela Rede Bandeirantes. Ideologias diferentes, mas todas fazem parte do mesmo plano.

Iniciamos a investigação analisando o programa da Rede Bandeirantes, o Masterchef. Ele é mais sofisticado e se dedica a produção de pratos finos. Algumas personalidades da culinária européia explicam conceitos da comida que será produzida de uma forma elegante e educada. Pratos como o Vieira, uma espécie de molusco, chega a custar o valor simbólico de R$.700,00 o quilo.

Como podemos interpretar isso? Imagine em um futuro próximo o mundo em um cenário apocalíptico governado por 10 reis (Apocalipse 13:1) , sendo que cinco representam a “supremacia” da raça européia nessa superestrutura que descrevemos acima. Em um mundo em crise constante eles não vão querer perder o glamour por coisas caras e precisam de trabalhadores que satisfaçam suas orgias alimentares. Já para a infraestrutura, onde está a maioria da população, o recado é bem direto: Acostume a pagar caro pelo seu alimento do dia a dia.

Já o programa do SBT ( cozinha sob pressão) é algo mais baixo e sensacionalista. Ao fundo temos uma música tensa e os pratos são simples. Já o apresentador pressiona o tempo inteiro. Os participantes o obedecem como estivessem em um regime militar as ordens que surgem aos gritos. A abertura faz referência ao inferno tons vermelhos e o fogo que se espalha na faca quase formando um tridente.

O conhecimento é centrado apenas no apresentador que o usa como arma para semear cobrança, rivalidade, discórdia, raiva, tristeza e outros sentimentos negativos. O erro não deve ser perdoado. O trabalho é feito na base da pressão e cumprimento de metas. Infelizmente esse é o novo sistema do mercado de trabalho que está surgindo aos poucos no mundo inteiro. O sentido bi partidário também é explorado, ou seja, equipe azul (PSDB) x vermelha (PT).

O apresentador pode ser visto como uma espécie de anticristo que pressiona para ver suas metas realizadas. Detém todo o conhecimento para si e exige lealdade e reconhecimento dos seus escravos como um ser superior e perfeito.

Ordem illuminati? Globalização? O nome pode mudar, mas infelizmente isso está sendo colocado em prática nas nossas vidas. Já a ordem de Baha’u’llah ainda está adormecida diante dos fatos e para acordar precisa promover a unidade da diversidade nessa infraestrutura e mesmo quando isso acontecer o regime totalitário só mudara o estado de espírito dos escravos da nova era, ou seja, os que antes faziam com raiva farão por amor ao reino da besta que subirá do abismo e do anticristo.

Referências:

https://www.youtube.com/watch?v=_l-YkZ3xjz8

https://www.youtube.com/watch?v=jQtytIycZnU

http://www.gazetadopovo.com.br/bomgourmet/vieira-a-parente-chique-da-ostra/

http://televisao.uol.com.br/noticias/redacao/2014/10/07/chef-do-reality-cozinha-sob-pressao-evita-comparacoes-com-masterchef.htm

Anúncios