Sinal verde para a exploração do imperialismo no Haiti

Um pouco depois do post abaixo, o tal Ministro da Defesa anunciou a retirada das tropas brasileiras no Haiti até o final de 2016. Isso não significa que vai iniciar uma era de paz nesse país, muito pelo contrário. Essa notícia, se  isso de fato acontecer, mostra apenas que imperialismo americano consolidou a criação da sua nova colônia escravista.

Os que conseguiram sair por possuírem um pouco mais de dinheiro aceitaram se escravos da mega empreiteiras brasileiras e os que ficaram por lá um futuro de trevas os aguarda. A Meta do Core Group formado por EUA, Espanha, Canadá, EU, ONU e Brasil pretendem  roubar todos os recursos do Haiti pagando apenas ou talvez até menos de um dólar por dia. Era sobre isso que os sindicatos protestavam e os soldados brasileiros atuavam reprimindo as manifestações.

A  as nações  bebem a cada dia do vinho da prostituição babilônica americana, uma forma de ganhar muito e pagando pouco ou quase nada pela mão de obra. Prática que se espalha pelo mundo como na Argentina (plantação de uvas) e Índia, onde pessoas para sobreviverem precisam fazer mil cigarros por dia para ganhar um dólar.

Já para o povo brasileiro, a missão do Haiti trouxe experiência em reprimir manifestações legitimas e pacificas, como criar UPPS corruptas e  inúteis no estilo das favelas cariocas e principalmente…iniciar a nova ordem mundial no de Baha’u’llah sobre a benção americana, onde privatização, tereirização e  quateirização abrirão caminhos para um salário caótico para que os donos desse mundo se enriqueçam em abundância.

“Porque todas as nações beberam do vinho da ira da sua prostituição, e os reis da terra se prostituíram com ela; e os mercadores da terra se enriqueceram com a abundância de suas delícias.”  (Apocalipse 18 : 3)
,

http://www.dw.de/tropas-brasileiras-deixar%C3%A3o-o-haiti-em-2016/a-18466659

Anúncios