Convivendo com a injustiça

Era um dia qualquer e após um dia sofrido de trabalho resta sentar na sala é ligar a TV. As velhas injustiças de sempre alimentam a alma diante do tubo ou agora LCD mágico. Políticos que nunca serão presos são apresentados na forma de reality show diário, famosos fabricados pela mídia ostentam suas riquezas e a suposta perfeição que possuem. A política se transforma na ética repressora não só tirando direitos trabalhistas, mas aprovando leis que levarão o país a uma miséria. E assim, a dança da impunidade penetra na alma.

Se não bastasse a injustiça mundana ainda se tem a religiosa. Monstros que se dizem cristãos, embora sejam descritos em II PEDRO 1:2, não conseguem ver a si mesmos. Canalhas dos mais sortidos gastam seus milhões conquistados usando a coerção e também em cultos sensacionalistas.

Esses são bem conhecidos: Valdemiro Santiago, RR Soares, Edir Macedo, Silas Malafaia e para completar o time não se pode deixar de incluir o mais novo “apóstolo” de Cristo, Agenor Duque. Todos esses enriqueceram em poder, dinheiro e influência política, passando muito longe do evangelho da verdade.

E assim, convivemos com as injustiças da vida. É interessante observar que esses não são punidos e na maioria dos casos possuem suas vidas prolongadas, por exemplo: nem mesmo o câncer foi capaz de nos livrar de lula ou dilma, mas isso acontece para que se cumpra a palavra de DEUS:

Ainda que o pecador faça o mal cem vezes, e os dias se lhe prolonguem, contudo eu sei com certeza, que bem sucede aos que temem a Deus, aos que temem diante dele. (ECLESIASTES 8:12)

As escrituras sagradas nos direciona para uma perspectiva de visão futura para sobreviver no meio dessas injustiças, pois um dia esses ímpios receberão seus castigos:

Porém o ímpio não irá bem, e ele não prolongará os seus dias, que são como a sombra; porque ele não teme diante de Deu (ECLESIASTES 8:13)

O verbo se direciona para o futuro, ou seja, temos que viver o presente com a esperança de que no futuro a justiça de DEUS entrará em ação. Se não fizermos isso fatalmente deixamos a santificação de lado, pois no presente parece que a justiça de DEUS não está sendo aplicada nesse mundo. No começo é um pouco difícil ter essa perspectiva, mas é necessário treinar a cada momento quando a injustiça entra nas nossas almas. Algo semelhante sobre essa perspectiva também é descrita nos Salmos:

“NÃO te indignes por causa dos malfeitores, nem tenhas inveja dos que praticam a iniqüidade.” (Salmos 37 : 1)

Que DEUS possa nos ajudar em nome de JESUS a não deixar que o sentimento de injustiça entre nos nossos corações ao ponto de pecar.