Qual o sentido do carnaval ?

Resumo: Parece uma festa sem sentido, mas durante esse evento pode ser visto de uma forma ampla o governo mundial operando para a sua consolidação.

Fica sobre o poder da mídia exercer a mudança de comportamento ao apresentar os desfiles e divulgar as noticias, por exemplo: As escolas de samba praticamente desaparecem da reportagem e prevalece em destaque as tais “musas” do carnaval, em geral personalidades do entretenimento manipulativo.

Muito diferente das musas mitologias que supostamente inspiravam na criação de artes e ciências, as atuais são usadas para influenciar o comportamento despertando o desejo,  a burrice, a inveja e a meta principal a ser atingida por outras mulheres, ou seja, a perfeição do corpo. Hoje, a busca por essa perfeição movimenta um verdadeiro mercado capitalista e ajuda a transformar a saúde em mercadoria, mesmo que em muitos casos terminem em tragédias.

Quase todas as fantasias das musas possuem asas e desfilam seminuas, aqui temos uma representação de uma mistura de anjo caído com entidades da femininas da banda como pomba gira e outras. Dessa forma, temos um sincretismo religioso em busca da unicidade global. Esse sincretismo carnal e religioso recebe ajuda do google, basta digitar a palavra “musa” no buscador que ele retorna um traseiro, objeto de culto em uma idiocracia.

Saindo das musas, vamos rapidamente refletir sobre os carrinhos alegóricos. Os temas são amplos, mas o objetivo principal é passar alguma sensação que esteja ligada ao governo global (fanatismo e fidelidade). No exemplo abaixo a escola usou o Buda como tema. Isso nos leva a meditação esotérica de uma das cabeças da besta descrita em Apocalipse, mais conhecidas como revelação progressiva na ordem mundial de Baha’u’llah, onde temos os principais instrutores da humanidade como: Zoroastro, Buda, Maomé, Jesus, Moisés, Krishna, Báb e Baha’u’llah.

buda carnaval

Agora vamos para o povo. Nesse caso podemos estratificar em dois grupos principais que são:1) O humano como objeto inútil. Esse é aquele infeliz que não possui qualidade ou dinheiro e é usado como tração animal barata para empurrar os carros, 2) A elite: fantasias mais caras custam caro e em geral são usadas por pessoas mas ricas que vão de médicos a empresários. Alguns pobres preferem passar forme para conseguir uma delas.

As pessoas descritas acima representam o mundo socialista, onde todos estão satisfeitos com sua casta social por estarem trabalhando em nome do bem comum. Elas não passam de um mero contraste de cores para exaltar as musas ou o carinho alegórico, mas se sentem gratificadas não apenas pelo bem comum, mas por poderem exibir o seu egoísmo, fanatismo e a avareza por algumas horas.

Se um governo mundial é a junção de todas as formas de governo em uma só (ler Apocalipse 13) não poderia faltar a monarquia. Ela é representada pelas rainhas da bateria (uma bestialidade sensual que representa a Rainha dos céus) ou o   rei momo representado a gula e a tirania.

Acima de toda essa estrutura está o poder supremo distribuído por satanás aos agentes humanos. Traficantes, bicheiros políticos, líderes católicos e falsos evangélicos fazem a partilha do lucro nesse evento. Mas quem se importa com isso? É hora de esquecer os problemas e cair na folia inútil, sem sentido, sem razão, sem lógica, sem objetivo, sem meta, sem vergonha e sem qualquer causa verdadeira….

 “Sabemos que somos de Deus, e que todo o mundo está no maligno.” (I João 5 : 19)

https://estudosdafe.wordpress.com/category/04-a-revelacao-progressiva/

http://g1.globo.com/sao-paulo/carnaval/2015/fotos/2015/02/fotos-desfile-da-aguia-de-ouro-em-sp.html#F1525116