Agenda ateísta avança no filme Êxodo

https://www.youtube.com/watch?v=NxelR5d8dUw

 Senta que lá vem bobagem…Nos últimos anos o ateísmo tem usado como fonte o cinema para propagar a sua ideologia , por exemplo: No filme Apocalipse de Nicolas Cage a história passa apenas em um avião que consegue pousar de forma emergencial, após esse incidente DEUS muda idéia é a Terra é restaurada. Já no filme Noé, os demônios protegem o escolhido de DEUS para que ele entre na arca. Logo após o ato de bravura dos capetas, todos são perdoados e estão prontos para voltarem ao reino celestial.

 E agora temos todos os absurdos possíveis em um único filme que tenta ridicularizar a palavra de DEUS ao extremo. Esqueça o sujeito manso de espírito, pois esse Moises gosta de sangue, guerra e morte. Em uma das cenas dois homens com aparência islâmica (e isso muito antes de Cristo) aparecem no deserto e Moisés mata os dois com sua espada.

 O novo Moisés não usa cajado e sim espada. Uma espada que se assemelha a lança esotérica do destino. O uso desse artefato mágico passa a mensagem de que JESUS está morto, algo muito praticado no satanismo e também a idéia de que agora os homens estão no controle de tudo.

 Sua esposa aparece com uma marca bizarra na testa, praticamente uma forma de marca da besta. Quando questionada sobre o que é mais importante em sua vida ela diz Moises e não DEUS. Quando ela questiona o marido ele responde que é ela e não DEUS.

O faraó promete matar mais gente do que DEUS e questiona a sanidade de Moisés ao servir um DEUS que mata crianças. Culpar DEUS pelos acontecimentos provocados pela ignorância humana é um dos pontos fortes do ateísmo.

 Deus aparece na forma de um moleque com aproximadamente 9 anos tentando ser adulto ao engrossar a voz e fica fazendo travessuras se escondendo. Em várias cenas Moisés perde a paciência com esse deus e dá uns gritos nele. Após sair a fuga do Egito o mar não se abre e dá para passar tranqüilamente. Era maré baixa, explicação muito utilizada por ateístas. Os soldados são mortos por uma avalanche nas montanhas e uma tsunami causada por um furacão, ou seja foi uma causa natural, segundo o conceito do filme.   Nesse momento o “deus” do filme desaparece de novo e não ajuda o povo no deserto. Moisés resolve assumir as coisas e fazer quase tudo por contra própria.

 Na cena das pragas sobre as águas os peixes mortos parecem prontos para o consumo em um molho de tomate. Finalmente são criadas as tábuas da lei. O menino deus aparece novamente é pergunta o que Moisés achou. Ele responde que só está escrevendo por que concorda.

 É na legenda do filme que está a explicação para tanta bobagem. O irmão do diretor se suicidou e tudo não passa de uma dedicatória feita por alguém frustrado com o acontecimento. Ótimo filme para quem sofre de insônia…