Magazine Luiza oferece até 70% de desconto

Fantam 3,2,1..Eba!!! Chegou o grande dia, anunciavam os cartazes nos pontos de ônibus. E assim, milhares de pessoas pelo Brasil dormem ou passam a madrugada em filas na esperança de comprar qualquer coisa no Magazine Luiza.

Existe um conceito Marxista no qual acredita-se que o comunismo seria implantando em um ponto de equlibrio na microeconomia entre a oferta e a demanda ou entre os meios de produção e o capital, mas nada poderia estar tão distante, pelo menos no tempo em que vivemos.

A ordem é compre e compre sem parar! É bobagem esse negócio de reino de DEUS no céu nos queremos aqui e agora companheiros. Foi o próprio presidente lula que motivou as classes mais populares. Muitas pessoas não sabem disso, mas tal ato ajuda a maquiar a imagem desse país para os investidores estrangeiros quando a macroeconomia apresenta o PIB. Investimentos que surgem na forma de privatizações e terceirizações, gerando mais pessoas dependentes das líquidações.

A ONU, futuro governo mundial, sobrevive também de doações que os países membros fazem através de uma porcentagem do PIB; dinheiro que acaba financiando mais guerras e gerando pessoas sem moradia jogadas nos campos de refujiados pelo mundo.

Muias pessoas não perceberam, mas as compras foram centradas em celulares. A cada dia os aparelhos estão ficando mais sofisticados e caros quando vendidos no preço normal. Isso representa um maior risco de arrastões feitos por membros dos pancadões, aquela música rídicula que ostenta a vida do crime, mas apoiada pela grande mídia e o governo.

O correto seria investir na educação para que essas pessoas não precisassem ser humilhadas nas lojas, mas isso criaria um cidadão crítico e nenhum governo do PT ou PSDB quer que aconteça.

 “Como também da mesma maneira aconteceu nos dias de Ló: Comiam, bebiam, compravam, vendiam, plantavam e edificavam;” (Lucas 17 : 28)

 

http://economia.uol.com.br/album/2015/01/09/liquidacao-promete-ate-70-de-desconto-e-atrai-fila-de-clientes.htm#fotoNav=1

Anúncios