A importância do terrorismo

chargeAno novo morte nova! Parece que todo ano se inicia apenas quando surge um uma fatalidade, dessa vez a “sorte” da morte caiu sobre a França na forma de atentados.

A mídia global não para de anunciar os protestos contra a liberdade de expressão, mas o cenário lógico nos bastidores dos acontecimentos caminham para algo muito pior:

 Mudança de conceito – Vivemos em uma época que palavras recebem novos sentidos, por exemplo: a identificação pelo sexo masculino ou feminino vem sendo substituída pela identidade de gênero, dessa forma a agenda gay encontra um espaço na sociedade para se infiltrar.

 Mas outros conceitos também estão sendo implantados. Nesse caso, liberdade de expressão está recebendo o conceito de “aprovação da falta de respeito”. Ora, sabendo que os radicais islâmicos não toleram ofensas a Maomé, os jornalistas poderiam muito bem respeitar uma religião que possui uma minoria sedenta por sangue e louca para ser provocada. Claro que nada justifica essas mortes, mas esses malucos não toleram absulutamente nada.

No “brasil” pododemos citar como exemplo de respeito religioso: A não destruição de imagens católicas e a não publicação de fotos de Baha’u’llah, como no caso desse blog, especialmente a que permanece trancada em Haifa no Monte Carmelo.

 Propagação do ateísmo – O motivo dessas Charges não é outro a não ser promover o ateísmo, doutrina que sempre procura expressar um deus cruel, desumano e inútil como nessa charge do jornal. A função do ateísmo é converter vários para a ordem mundial de Baha’u’llah, pois se não aceitaram a verdade de Cristo receberão a operação do erro.

 Repressão geral em nome da proteção contra o terror – Agora os governos de extrema conservadora, seja de direita ou esquerda, estão livres para implantar qualquer sistema repressivo de vigilância e esperam ter o aval da população.

 Propagação do califado de forma mundial – Se por um lado as pessoas ficaram chocadas, o evento serve para recrutar mais terroristas no mundo inteiro, pois muitos psicopatas sentem prazer em degolar pessoas ao assistirem os vídeos, o que se transforma em uma convocação voluntária para a guerra santa.

É por isso que o Estado Islâmico adora degolar jornalistas. Quanto mais mortes, mais o movimento será reconhecido no mundo.

 E a ONU e seu Conselho de Segurança. Por qual motivo não fazem nada? Ora, para eles degolação é apenas uma questão cultural. Afinal, sai mais barato enviar uma notinha de repúdio para a imprensa do que fazer alguma ação.

 

 

http://operamundi.uol.com.br/conteudo/noticias/39115/em+escolas+francesas+jovens+de+origem+muculmana+rejeitam+homenagem+a+charlie+hebdo.shtml

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: