A “nova” economia divina no Brasil

Resumo da notícia: Novo ministro da Fazenda pode ser conhecido hoje

Com recusa do presidente do Bradesco, nomes do economista Nelson Barbosa e do ex-secretário do Tesouro Joaquim Levy ganham força para substituir Guido Mantega.

 Ler tal notícia chega a dar repúdio. Ora, o que vai mudar? Nada! Absolutamente nada. Depois de eras com moedas do tipo, cruzeiro, cruzado e cruzado novo não teremos o “ cruz credo! “, moeda que causaria o espanto devido ao seu valor inflacionário, no lugar do real não vai existir.

 O motivo é simples…os ajustes econômicos continuam sendo os mesmos, pois os conselhos de Abadul’Bahá, filho do cristo cósmico Baha’u’llah continuam sendo colocado em prática:

 “…Os corações devem estar tão unidos, o amor deve se tornar tão predominante a ponto de os ricos espontaneamente oferecerem auxílio aos pobres e tomarem a iniciativa de estabelecer estes ajustes econômicos permanentemente….” (23 DE JULHO DE 1912 Palestra de Abdu’l’Bahá no Hotel Victoria Boston, Massachusetts)

 Como dito várias vezes por aqui, a ordem de Baha’u’llah quando colocada em prática encarna o sistema ideológico vigente, nesse caso o do PT e do PSDB que apresentam suas soluções imbecis como:

 1) A taxa de inadimplência – Basta renegociar a dívida em mais parcelas com o banco

2) Alta dos alimentos em mercados e restaurantes – Compre e parcele no crédito.

3) Taxa de Juros- Cada vez mais altas para perpetuar a miséria.

4) Impostos – Nunca pagamos tanto para não receber nada

5) Ajuda pequenas empresas e comércios – esperem o natal ou qualquer outra data comemorativa manipulada para ter um pouco de lucro, mas só um pouco, pois a maior parte será para pagar dívidas futuras.

6) Ajuda para grandes empresas e empreiteiras – Continuam fazendo a farra com o dinheiro público através de privatizações, parcerias públicas privadas, fundações….

7) Ajuda para os pobres- Multipliquem-se! Gerem mais miseráveis no mundo! Vivam do bolsa crack, família e outras esmolas do governo.

8) Baixa da inflação: basta criar supermercados fictícios onde tudo está mais barato e colocá-los nas estatísticas.

http://www.em.com.br/app/noticia/economia/2014/11/21/internas_economia,592122/novo-ministro-da-fazenda-pode-ser-conhecido-hoje.shtml

Anúncios