O Sínodo da família e a diversidade gay

De forma lenta a unidade da diversidade que se encontra na ordem mundial de Baha’u’llah vai se propagando pela Terra usando os mais diversos líderes. O Papa Francisco se atenta para a melodia entoada pelo rouxinol místico sobre o princípio do fim de toda forma de preconceito. A diversidade é assim….É como a morte que nunca se farta e sempre busca a quem possa tragar (Habacuque 2:5).

Porém, o Papa Francisco usou a estratégia da jurisprudência em seu sínodo da família. Vamos explorar um pouco mais esse conceito de forma objetiva. De certa forma, em nenhum momento Francisco sai do armário como os gays, lésbicas, travestis e outros s esperam.   Agora vamos para dois momentos do parágrafo 110 do sínodo:

 1) “…Não existe nenhum fundamento para equiparar ou estabelecer analogias, mesmo remotas, entre as uniões homossexuais e o plano de Deus sobre o matrimónio e a família..””

 2) “….Deve evitar-se, para com eles, qualquer atitude de injusta discriminação”» (CDF, Considerações sobre os projectos de reconhecimento legal das uniões entre pessoas homossexuais…”

O Papa Francisco usa de duas proposições contraditórias, onde na primeira nega a analogia e na segunda evita uma atitude injusta aos homossexuais, ou seja, ele respeita e não respeita a homossexualidade ao mesmo tempo.

Esse é o conceito de jurisprudência, ou seja, uma outra forma de poder deve julgar e interpretar o que é correto nessa conduta. É por isso que ele transfere para o Estado essa responsabilidade. Vejamos o parágrafo 24:

 “24. Além disso, é feito notar em grande medida como o que é estabelecido pela lei civil – baseado no positivismo jurídico, cada vez mais dominante – se torne, na mentalidade comum, também moralmente aceitável. O que é «natural» tende a ser definido tal só pelo indivíduo e pela sociedade, que se tornaram os únicos juízes para as escolhas éticas…”

Ou seja, se o Estado positivar as leis o Vaticano lava as mãos para a união gay. Em outros trechos do sínodo ele chega ao absurdo de dizer que o homossexualismo pode até acontecer, desde que seja às escondidas e com o apóio ético do Estado.

Infelizmente o que era para ser resolvido mediante a leitura das escrituras sagradas se transfere para conceitos humanos absurdos. A Bíblia leva para a salvação não só para os gay, mas para outros desvios de conduta mediante a arrependimento e abandono das práticas:

 “Não sabeis que os injustos não hão de herdar o reino de Deus? Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas,” (I Coríntios 6 : 9)

Mas a Ordem Mundial de Baha’u’llah é isso! A diversidade é como bebida forte ou vinho que distorce a simples realidade do plano de DEUS para nossas vidas.

Referência:

SÍNODO DOS BISPOS – II ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DO SÍNODO DOS BISPOS OS DESAFIOS PASTORAIS DA FAMÍLIA NO CONTEXTO DA EVANGELIZAÇÃO INSTRUMENTUM LABORIS Cidade do Vaticano 2014

http://www.vatican.va/roman_curia/synod/documents/rc_synod_doc_20140626_instrumentum-laboris-familia_po.html

http://www.brasilpost.com.br/2014/10/13/gays-igreja-catolica_n_5976516.html

https://apocalipsetotal.wordpress.com/2010/07/27/os-principios-sociais-da-nova-ordem-mundial-%E2%80%93-parte-1/

Anúncios