Grandes civilizações – O império Romano

A poderosa civilização romana…A nova ordem mundial não se constitui apenas de acontecimentos presentes e até nos dias atuais pode ser visto algumas práticas do passado. Uma das características da era atual está nos patrícios romanos. Maçons, mega empresários e multinacionais continuam governando e escolhendo seus (e não do povo) representantes na política.

Basta-se observar no Brasil a qualidade dos candidatos que disputam as eleições. São pessoas burras e despreparadas. Um verdadeiro produto criado pelos marqueteiros, dessa forma ganha as eleições aquele (a) que conseguir mentir prometendo o que o povo quer ouvir.

 Outra característica herdada do império romano esta no campo da ética. Embora o conceito dessa palavra seja muito diversificado, a positivação (criação de leis) de uma conduta moral deixou de existir e a cada dia se transforma em fonte de lucro, por exemplo: A aprovação da ditadura gay ( PLC.122) pouco se importa com a salvação e conversão ao cristianismo dos homossexuais , mas se importa com o mercado promissor que gasta muito.

 A ética moderna, assim como no passado, procura beneficiar um grupo seleto de empresários. Os patrícios do nosso tempo surgem burlando nas leis para se manter no poder. No caso das leis trabalhistas, eles surgem tirando o direito dos trabalhados e se beneficiam formando cartéis para gerir os contratos de gestão governamental.

 O Vaticano não é uma religião estado como no passado, mas ainda continua tentando ter como líder de todas as religiões o papa. É um cristianismo falso e ainda conta com a ajuda de falsos cristãos protestantes na política espiritual do mundo.

 No caso do idioma universal, ainda não se tem nada parecido com o latim, mas ele deixa o caminho a ser seguido para um dos principais requisitos da nova ordem mundial de Baha’u’llah. Junto ao idioma universal se tem o poder de um exército para garantir as terras conquistadas. O exército romano do passado é uma sombra futura do exército do cristo cósmico Baha’u’llah no futuro.

 Muitos anos depois da queda do império,  a cidade de Constantinopla ( a Nova Roma) recebe o cristo cósmico Baha’u’llah que anunciar ser o prometido do Islã, porém suas palavras não foram aceitas e acabou sendo enxotado de lá, dando continuidade ao seu exílio. Revoltando com a situação, ele revelou a epístola do marinheiro para Shaykh ‘Abdu’r-Rahmám-i-Karkútí. Considerando que ela tinha a forma de pentagrama, já se pode imaginar a praga jogada sobre a vida desse opositor da nova ordem mundial naquele tempo:

 “….Vinte e sete dias depois que aquela Epístola de triste conteúdo fora tão inesperadamente revelada por Bahá’u’lláh, e depois que a comunicação fatídica, pressagiando Sua partida de Constantinopla, havia sido entregue em Suas mãos, numa tarde de quarta-feira (22 de abril de 1863)…” (Shoghi Effendi- A presença de “deus”)

 Hoje, o Estado Islâmico recebeu a revelação satânica de criar um novo califado nos moldes de Constantinopla. São esses fatores que nos levam para a inspiração do pensamento romano no presente século. Não só isso, mas ele está a cada dia presente influenciando o surgimento da besta de 10 chifres.