O racismo e a civilização do ódio

racismoO futebol em teoria –apenas em teoria – é um dos esportes que mais deveria propagar a unidade da diversidade, nesse caso sobre o princípio do cristo cósmico Baha’u’llah sobre a eliminação de todos os tipos de preconceito. Hoje, temos jogadores de vários locais e raças jogando em um mesmo time, porém o que se vê na prática é algo totalmente diferente.

Ora, como o futebol pode promover a paz? Isso nunca acontecerá de forma alguma, pois é um esporte que promove o ódio, a rivalidade e o fanatismo. O recente caso da partida entre Santos e Grêmio é um desses exemplos. O ódio cega e isso pode ser visto quando os torcedores e a torcedora Patrícia Moreira ofenderam o goleiro Aranha de Macaco entre outros nomes.

Esse é o primeiro sinal de burrice da torcida, pois o jogador é um mestiço e não propriamente um negro. Os  seus cabelos e nariz não são como o da maioria da população negra e mesmo se fosse tal palavra seria absurda, pois a teoria da evolução das espécies está mais do que ultrapassada.

O ódio também se encontra na rivalidade, pois o principal motivo da ofensa foi a derrota do time do Grêmio para os Santos. O sentimento de fanatismo sobrepõe ao ódio. É por isso que temos torcedores negros ofendendo  o goleiro. É o amor a camisa do time, pensam esses malucos.

Duas são as fontes desse ódio puro e concentrado que emerge do mais profundo abismo do inferno.

-Primeira: O bahaismo  chega apenas como filosofia de pensamento nos torcedores e não como fonte de conduta moral. Isso acontece por que não existe uma espiritualização no cidadão global. A filosofia é algo que nunca se chega a um consenso sobre qualquer tema especulado. Isso reflete nas várias formas de pensamento que geram conflitos. Para os Baha’is isso não tem nada demais, pois faz apenas parte de um conceito ridículo de períodos de tribulação (666) e paz (999).

-Segunda: A própria mídia cria  esses  fanáticos doentes usando as mais diversas técnicas como: O grito de goooool do locutor. Até parece que ele está torcendo por alguém….Após anunciar o gol todos os torcedores  (isso independente da cor) se comportam como verdadeiros primatas (não ofendendo o mimoso animal, mas apenas  como título de comparação) urrando, gritando e se batendo nos campos, bares e  em outros lugares.

Ora, o próprio futebol como fonte de manipulação cria o homem, nesse caso o primata generalizado. Nesse caso a teoria evolucionista surge, porém na forma de um pensamento atrasado e estúpido desses torcedores  que deveriam se preocupar em melhorar o lugar em que vivem.

A rede globo sabendo disso tentou logo de mudar o conceito do ódio. Em uma recente entrevista supostos amigos negros da moça disseram o seguinte: “- Ela é gente boa, vai em roda de samba com preto, gosta de preto, fica com preto. Foi na emoção do momento…”. Emoção? O jornalismo da Globo não  tem vergonha? Isso se chama ódio!

Um outro caso supostamente  de racismo foi apresentado entre um jovem casal de namorado. O caso é um pouco estranho, pois como alguém colocaria em sua rede de amigos um bando de racistas. Se isso for verdade está passando da hora dos jovens “facebookianos” e suas manias de self  reverem o conceito de amizade virtual.

https://apocalipsetotal.wordpress.com/2010/08/06/os-12-principios-da-nova-ordem-mundial/

http://www.jb.com.br/esportes/noticias/2014/08/30/policia-chama-torcedora-e-novo-suspeito-de-racismo-a-depor/

http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2014/08/28/jovem-negra-coloca-foto-com-namorado-branco-no-facebook-e-sofre-racismo.htm
cebook-e-sofre-racismo.htm
http://globoesporte.globo.com/rs/noticia/2014/08/amigos-negros-defendem-jovem-que-ofendeu-aranha-ela-nao-e-racista.html

Anúncios