Fórmulas estúpidas de combater o preconceito

1) Resumo da notícia: “Unesco parabeniza primeira mulher a ganhar ‘Nobel’ da Matemática – A diretora-geral da Unesco, a agência da ONU para Educação, Ciência e Cultura, divulgou uma nota parabenizando a professora Maryam Mirzakhani. Natural do Irã, ela leciona na universidade americana de Stanford e é a primeira mulher a ganhar a Medalha Fields, conhecida como o ‘Nobel’ da Matemática….”

O uso da expressão “Primeira mulher” (também poderia ser o primeiro negro) a executar uma façanha que somente era atribuída a uma  suposta raça superior mostra como o combate ao preconceito inspirado nos ensinamentos do cristo cósmico Baha’u’llah  se torna uma farsa da nova ordem mundial. Se realmente existe algo de ético nesse ato o mais correto seria tratar a ganhadora do prêmio como um ser humano comum e em igualdade com qualquer outra raça ou sexo. Dessa forma teríamos criado um hábito que se transformaria em virtude rapidamente. O que falta é criar o senso de igualdade verdadeiro, mas não é isso que a nova ordem mundial tem em mente.

2) Outra prática absurda em nome da unidade da diversidade está em alguns  restaurantes e churrascarias. Muitas cobram preços diferenciados para homens e mulheres. Nem sempre um homem se alimenta mais do que uma mulher,  mas o que importa é a agenda feminista. No caso abaixo a farça é tão descarada que nos dias de domingo a diversidade é esquecida.

preconceito alimentar

3) O espírito diabólico da agenda feminista também pretende radicalizar no transporte através da proibição dos homens de sentarem dentro de um ônibus :

Resumo da notícia: “ Projeto de lei reserva todos os assentos nos ônibus para mulheres e pessoas com deficiência – Todos os assentos do transporte coletivo urbano de Sorocaba deverão ser ocupados preferencialmente por passageiros do sexo feminino, e não só as gestantes, além de idosos, obesos e pessoas com deficiência ou limitação temporária ou permanente de locomoção. É o que estabelece projeto de lei protocolado na Câmara pelo vereador Marinho Marte (PPS).”

A desculpa política é para “proteger” a mulher de assédio. Claro que um grupo de infelizes praticam esse absurdo, mas acreditar que em  um ônibus coletivo nenhuma mulher ficará em pé já é demais. A solução senhores controladores do poder e das leis desse mundo tenebroso seria investir mais em transporte, pois  um transporte humano e digno evitaria muito mais qualquer tipo de agressão.

Referência:
https://apocalipsetotal.wordpress.com/2010/07/31/os-principios-sociais-da-nova-ordem-mundial-%E2%80%93-parte-4/
http://www.unmultimedia.org/radio/portuguese/2014/08/unesco-parabeniza-primeira-mulher-a-ganhar-nobel-da-matematica/#.U-vubG9x4uI
http://www.diariodesorocaba.com.br/site2010/noticia2.php?id=4519