O legado da copa

Atualização:  Solicitação da presidente  Dilma à Casa Universal de Justiça   (Apocalipse 13 : 11) para emitir um parecer sobre a importância da  unidade da diversidade no futebol.

Se torna um alívio o fim da insuportável copa do mundo de 2014. Pelo menos parte do estado de imbecilização e fanatismo popular  fica temporariamente desfeito, mas isso não impede que o trágico legado tenha início. Muitas pessoas choraram de informa inconsciente não pelo jogo, mas pelo papel de otárias que fizeram e sempre farão em todas as copas, mas podem se alegrar que tem muito mais…O legado da copa pode ser resumido em uma única frase : “ódio puro e concentrado do mais profundo abismo do inferno”.  É a instalação dos tempos difíceis descrito em II Timóteo 3 (1-4) . Vejamos abaixo como e feito esse processo através do reinado da besta do abismo

Óptica, semiótica e manipulação mental

a) Uma análise sobre a percepção visual da abertura da copa também leva para o resultado do jogo. Observe as sete pessoas segurando a bandeira. Como perderam de sete gols  isso faz muito sentido. Os méritos da copa não foram para a ordem Illuminati e sim para  a ordem mundial de Baha’u’llah, representada pela estrela de nove pontas e seu número pelos nove “canarinhos”. Afinal, o conceito de diversidade universal foi bem explorado no evento.

abertura copa

Diante de tal fato, a estrela de nove pontas virou uma homenagem para a comunidade Bahá’i, pois a presidente do Brasil e do PT solicitou  uma ajuda sobre a  implantação da unidade da diversidade:

dilma bahá'i

http://news.bahai.org/story/1008?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+bwns%2Frss+%28Bah%C3%A1%E2%80%99%C3%AD+World+News+Service+Headlines%29

b) A idolatria  pela  bandeira pode ser melhor entendida quando acompanhamos o que acontece em uma ilusão óptica, por exemplo: Se olharmos 30 segundos somente no pontinho do desenho abaixo e olhar para uma folha em branco  piscando veremos a bandeira.

IlusaoDeOpticaBandeiraBrasil

Processo semelhante acontece nos órgãos dos sentidos gerando o fanatismo, nesse caso audição e visão. Após a intenção ser motivada pela mídia e o comércio com aquelas bandeirinhas ridículas, os órgãos encarnam o objeto sensível (a bandeira). É por isso que um bando de malucos saem comprando bandeiras e colocam nas casas, carros,  janelas, pintam  ruas e inclusive a cara transformando-se em verdadeiros palhaços.

O fim da euforia  e a geração do ódio

E agora devidamente vestidos como palhaços os torcedores são fisgados pela TV. O fanatismo aumenta a cada jogada e quando sai um gol entram em êxtase. Esse é o procedimento normal, mas diante da derrota e com o fim do êxtase fica um espaço vazio na alma. Como preencher esse vazio? Ora, os mais fracos fazem isso através da manifestação de ódio.

Esse é o motivo de tantos assaltos, depredações, arrastões e outros delitos que aconteceram; porém esse é o começo do surgimento de milícias revolucionárias brasileiras. Com o fim desse jogo estúpido e inútil algumas pessoas começarão a refletir sobre a realidade.

O problema é que o PSDB e o PT instalaram verdadeiros órgãos repressores para se manterem no poder  e não querem a participação popular. Essa intenção  cria uma reciprocidade agressiva por parte da população e sua manifestação fatalmente acontecerá e os meios mais prováveis pra isso são: Queimar ônibus, pichações, queimar carros para parar uma avenida, destruir semáforos para provocar caos no trânsito, invasões coordenadas  e até explosões nos pilares de monotrilhos. Um ato violento externo de forma súbita é muito mais difícil de ser reprimido pelo governo.

O valor do povo
A copa deixou claro que o povo não tem valor algum, pois mesmo jogando em casa os jogadores pouco se importaram com os moradores do seu país.

A corrupção
Eles perdem e nós que pagamos a conta! A FIFA saiu praticamente isenta de impostos e superfaturou os ingressos se aliando aos cambistas. Por causa da copa os imóveis e preços em geral  tiveram o seu valor aumentado (especialmente em Brasília e São Paulo).

Com o fim do aumento de  salário que está blindado pelos sindicatos  o poder aquisitivo vai desaparecer mais ainda, criando dessa forma uma crise associada ao ciclo de ódio e uma decadência social e moral jamais vista. Infelizmente esses são fatores que antecedem a retirada de Baha’u’llah do abismo.

“SABE, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos.”  (II Timóteo 3 : 1)