Ética revolucionária da nova ordem mundial

Para entender o caos que a nova ordem mundial de Baha’u’llah gera sobre a Ética aplicando o conceito da diversidade, pegaremos como exemplo o caso da estudante Yasmin Ferreira do Rio de Janeiro que se irritou com as cantadas impróprias de um porteiro durante o seu caminho para a faculdade.

Nada mais do que justa a manifestação dessa jovem que aconteceu de uma forma muito educada de sua parte ao repreender o porteiro. O ato do porteiro em si se classifica como um vício de virtude chamado libertinagem; mas a intenção da imprensa em divulgar tal fato que infelizmente se torna uma rotina não possui nada de ético e leva para a manifestação de um ato  de reciprocidade revolucionário do governo.

O ato revolucionário da Ética pode ser classificado da seguinte forma:  de um lado temos uma jovem burguesa da elite branca e de outro um negro,  porteiro e  pobre vítima do capital. Abaixo temos as palavras do advogado (a) de defesa do porteiro. Parece um absurdo, mas é exatamente assim que a esquerda entende por um ato ético. Observe que a Ética do direito positivado tenta o transformar em vítima:

“Nós vamos procurar os direitos dele, vamos provar que ela não está falando a verdade, que ele foi agredido fisicamente. Vai ser solicitado exame de corpo de delito. E no final vamos provar que uma pessoa humilde como ele não merece estar passando por todo esse constrangimento”

Além disso,  a notícia serve para alimentar o síndrome do pânico do ativismo feminista (outra variação da esquerda ) , ou seja, qualquer gesto totalmente normal  (não se classifica aqui o caso desse porteiro) é visto como machismo.

A Ética do mundo moderno está muito longe de buscar o bem. Ela busca apenas o poder e isso é inerente ao desenvolvimento de hábitos virtuosos. É por isso que se inverte o papel de quem é a vítima durante todo o processo de conduta de um ato. Dessa forma,  toda a conduta cumpre a cada dia a profecia descrita abaixo sobre o caráter moral das pessoas:

Sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, (II Timóteo 3:3)

O maior problema da  Ética  está no estudo da moral que muda com o passar do tempo, criando dessa forma novas leis de conduta, por isso hábitos reprováveis podem,  e de fato serão,  transformados em condutas comuns. Não se trata de defender a direita ou esquerda política, pois a diversidade de Bahá’u’llah atua como juiz em ambas as causas, ou seja, gera apenas o conflito do próximo estágio da humanidade na forma de uma dialética (Tese x Antítese = Síntese).

E assim, infelizmente mais conflitos surgirão em breve, por exemplo: Quem tem direito ao lugar reservado de um ônibus? Uma jovem grávida ou uma idosa? Sobre o ponto de vista ético a vontade é que definirá, ou seja, vencerá o mais forte ou quem  bater mais….

http://www.dm.com.br/texto/180582

Anúncios