A diversidade cultural no Brasil

Mentira, corrupção, manipulação e um verdadeiro atestado de pobreza é o que representa o vale cultura. Mais uma vez a ideologia  da diversidade de Bahá’u’llah é um fiasco na  prática.

Resumo da notícia: “Programa de cultura para trabalhador é tema de debate em Uberlândia -A Comissão de Cultura da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), debate, nesta quinta-feira (22), em Uberlândia, a implementação em Minas Gerais da Lei Federal 12.761, de 2012, que institui o programa de cultura do trabalhador e cria o vale-cultura (..)O programa, instituído sob a gestão do Ministério da Cultura, destina-se a fornecer aos trabalhadores meios para o exercício dos direitos e acesso à cultura…”

Essa notícia apresentada pelo G1 é um tanto simplista demais e sem qualquer teor investigativo ou jornalístico. Dizer que o Ministério da Cultura é responsável pelo evento chega a ser um absurdo. Na verdade, o que está sendo colocado em prática é a agenda global da diversidade cultural da ONU/UNESCO.

Para que o leitor possa entender melhor essa diversidade diabólica, é necessária uma meditação em Habacuque 2:5, pois a diversidade cultural tem como função ajuntar para si todos os povos na ordem mundial de Baha’u’llah através de um fator comum em todos os povos. A sociologia e a Antropologia estudam a formula  universal  da diversidade durante séculos.

Para que se crie o espírito de tolerância da diversidade shows pelo Brasil  com vários gêneros musicais ao mesmo tempo estão sendo criados. Os eventos também contam com a unidade das religiões. Dessa forma , muito em breve teremos um culto de candomblé e evangélico no mesmo local.

O que tem despertado o interesse dos governos é a facilidade de roubar dinheiro facilmente com o projeto. É muito provável que a União Européia observou o vale cultura brasileiro e viu toda a sua potência comercial para ter controle do mundo, por exemplo:

De acordo com o Artigo 8§1  da lei 12761 uma  empresa que deve ao fisco R$.140.000,00 poderá abater 1% do valor e segundo o Artigo 10 § 1 descontar até 10% do trabalhador. Dessa forma a empresa teria uma economia de R$.1.400,00. Se a nossa empresa fictícia tiver 500 funcionários e descontar  10% de cada um teremos o valor de R$.2.500,00, pois o vale cultura custa R$.50,00, ou seja, o governo deixou de arrecadar R$.1.400,00 e passou a ganhar R$.2.500,00. Um verdadeiro roubo!

Assim como o bolsa família, o vale cultura é um atestado de pobreza e miséria para o trabalhador, pois se o mesmo tivesse um salário justo não precisaria dessa esmola cultural. Mas o capital comunista apenas repreende e quando se consegue algum aumento de salário é algo tão inútil que não passa dos 9%. Claro! Negociados com as entidades sindicais que blindam o capital comunista do governo

http://unesdoc.unesco.org/images/0012/001271/127160por.pdf
http://g1.globo.com/minas-gerais/triangulo-mineiro/noticia/2014/05/programa-de-cultura-para-trabalhador-e-tema-de-debate-em-uberlandia.html
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2012/Lei/L12761.htm

Anúncios