Uma analogia dos manifestos na Ucrânia, Venezuela e Brasil

Resumo: Três situações com problemas locais, mas que focam em  uma autoridade maior no processo de globalização.

Na Ucrânia, o presidente Viktor Yanukovich não sabe de lado ficar, ou seja, privatizar o gás para a União Européia que está sob o controle do imperialismo babilônico americano ou aderir o jogo sujo da Rússia.

Na Venezuela o imperialismo babilônico americano tenta derrubar o sistema de governo criado por Hugo Chaves, hoje representado por Nicolas Maduro, mais um país que faz o jogo da Rússia.

O Brasil não está sendo disputado pelas grandes potências (elas já exploram à vontade por aqui) , pois as crises internas são criadas automaticamente por aqui. A nova moda estúpida do “ governo alckmin “ e sua polícia militar é usar a tropa de braço contra os Blacks Blocs. A tática lembra muito a do antigo império Romano que foi muito ridicularizada nos gibis de Asterix.
romanos-asterix

O Brasil é um caso à parte e envolve a política podre e imunda praticada por aqui. O PSDB de alckmin (em minúsculo mesmo) defende e aplica a sociologia de FHC, esse por sua vez é inspirado em Durkhein e no positivismo . Esse partido trabalha elaborando formas de burlar as leis para que seus interesses estejam acima de tudo e de todos.

Dessa forma, um grupo de cientistas de elite partidária  elaboram as leis coercivas e ao povo compete obedecer de boca calada, mesmo que fira qualquer direito humano; por exemplo: a tentativa de proibir o uso de sacolas plásticas no mercado e comprar as tais recicláveis criadas por projetos de leis como o do filho de RR Soares, outro  parasita político, é um caso clássico de coerção; porém isso conseguiu ser revertido após a descoberta que o dinheiro economizado  das sacolas iria para a campanha do governador de São Paulo.

Nessa analogia todos os três casos possuem algo em comum. Os interesses das grandes potências ou os interesses egoístas do capitalismo/ comunismo prevalecem sobre a vontade do povo. A questão não é reprimir os Blac Blocs e sim saber o que eles querem que seja alterado no governo.

Esses jovens,  mesmo que de forma errada ou pagos, vêem no vandalismo uma forma de mostrar sua existência. A tendência é que se nada for feito para ouvir os garotos(as) os conflios vão evoluir  para milícia. Essas milícias poderão fazer ataques isolados e em pequenos grupos,  por exemplo: Atirar uma pedra e quebrar os vidros de bancos, pixar,  incendiar ônibus , jogar bombas…e tudo isso de forma isolada sem protestos marcados, dessa forma não tem como a polícia pegar nesse tipo de guerrilha urbana.

Essas são as dores do parto da Nova Ordem Mundial do cristo cósmico  Baha’u’llah, pois em ambos os casos precisam de uma intervenção através de leis internacionais. Mas como Baha’u’llah não saiu do abismo e nem os nove mestres eleitos , bem como o executivo mundial, surgiram,  compete a ONU ficar fazendo pronunciamento através de lorotas  como nessa notícia: “Ucrânia: Chefe da ONU pede diálogo e resolução pacífica para crise.”

http://www.onu.org.br/ucrania-chefe-da-onu-pede-dialogo-e-resolucao-pacifica-para-crise/

Anúncios