Pensamento hebreu x grego

Existe uma diferença enorme entre as duas formas de pensamentos mais conhecidas.  De um lado o povo de DEUS e a sua forma brilhante  de interpretar a verdade e de outro filósofos gregos com o seu relativismo, ou seja, a especulação filosófica fica penas em um eterno ciclo.

Muita parte  dos absurdos de profecias (podemos também chamar de profetadas) que circulam na internet  são inspiradas na forma grega de interpretar a Bíblia. Abaixo seguem alguns exemplos:

1) A maiêutica de Sócrates

“Conhece-te a ti mesmo”.Essa é a frase mais conhecida do filósofo grego que é comparado por muitos como  uma espécie de “Jesus” da filosofia, embora tenha usado a frase do oráculo de Delfos. A técnica de Sócrates que deu origem praticamente  a toda filosofia, também conhecida como parto de idéias, se resume em  fazer tantas perguntas sobre o mesmo tema  até que o interlocutor chegue a conclusão de que nada sabe. Essa é a essência do pensamento grego.

Porém, no pensamento hebreu deve-se primeiro conhecer a DEUS para depois conhecer a si mesmo:

“Mas o que se gloriar, glorie-se nisto: em me entender e me conhecer, que eu sou o SENHOR, que faço beneficência, juízo e justiça na terra; porque destas coisas me agrado, diz o SENHOR.”  (Jeremias 9 : 24)

Ora, na medida em que vamos lendo as escrituras,  aceitando como verdade e praticando os ensinamentos  o caráter de DEUS é revelado em nossos corações. Isso não aconteceu nessa passagem descrita em Jeremias, pois o povo preferiu o pensamento grego em seus corações, voltando assim a pecar e muito.

2) A palavra fé

No pensamento hebreu, a palavra fé não significa apenas crença, mas também submissão aos ensinamentos de DEUS descritos na Bíblia. Porém, no pensamento grego significa apenas crer. Isso explica a origem da apostasia sobre a teologia da prosperidade, por exemplo. Se observamos o Sacerdote Abortista da IURD basta ter fé e dar  o dinheiro para ele que a pessoa ficará rica. Como diz os filósofos: O que é crer? Pode ser a crença que mais lhe atrair.

3) Ação x conhecimento

A palavra filosofia significa amigo da sabedoria, ou seja na cultura grega o conhecimento possui mais valor que a ação. Já para o pensamento hebreu a ação possui muito mais valor. É por isso que o verbo indicando ação se destaca nas escrituras:

“E chamou Jacó aquele lugar, onde Deus falara com ele, Betel.”  (Gênesis 35 : 15)

Porém, devido ao nosso pensamento enraizado no grego, mesmo lendo o versículo na ordem muitos interpretam mentalmente como: “ Jacó chamou aquele lugar…”.

Isso parece sem importância, mas quando vemos no modo prático chega a ser assustador, por exemplo: Aristóteles foi mestre do imperador Alexandre.Como o conhecimento prevaleceu as ações de Alexandre, elas foram as mais depravadas possíveis. Um exemplo no cristianismo está nas ações do Pastor Marcos Pereira, imortalizado ao dizer  sua frase: “Saudades do seu…”. Bom…acho que não preciso completar os pontinhos.

4) Trabalhando com a diversidade de pensamentos

Essa diversidade de pensamentos acaba não levando a lugar algum, por esse motivo  a forma grega de interpretar  Bíblia trabalha com vários versículos retirando-os  do contexto. Vamos ver alguns  exemplos:

a ) O bahaismo incorporou um pouco do pensamento grego em sua doutrina. A passagem abaixo  fala sobre o novo nome de JESUS. Eles ( os Baháis)  entendem que é o novo nome de JESUS é o  cristo cósmico Baha’u’llah ou uma outra variação qualquer com 9 letras:

“A quem vencer, eu o farei coluna no templo do meu Deus, e dele nunca sairá; e escreverei sobre ele o nome do meu Deus, e o nome da cidade do meu Deus, a nova Jerusalém, que desce do céu, do meu Deus, e também o meu novo nome.”  (Apocalipse 3 : 12)

Essa variação de nome deu origem também as Testemunhas de YAOHOSHUA, outra seita que interpreta tudo errado (destacamos aqui um tal de Rubens do Verdade Oculta, por exemplo):

O pensamento hebreu não é dessa forma, pois analisa outros versículos em busca de uma verdade única. Nesse caso, a expressão “a quem vencer” está em outras cartas que inclusive falam de ser fiel até a morte. Ora, se o vencedor encontrará a vitória na morte o novo nome de JESUS será conhecido apenas na Glória eterna e não aqui, ou seja, trata-se de um galardão futuro.

b) Quem é Abadom do livro de Apocalipse?

“E tinham sobre si rei, o anjo do abismo; em hebreu era o seu nome Abadom, e em grego Apoliom.”  (Apocalipse 9 : 11)

Como vimos acima, o pensamento grego de ler a Bíblia não trabalha com múltiplas verdades e se apega ao que mais lhe agrada, por esse motivo a interpretação pode ser tão absurda e ridícula que um cristão grego pensará  que Abadom é  JESUS. Acharam  isso absurdo? Então leiam sobre a conclusão  que esse pastor –isso mesmo pastor – chegou em seu blog :

“…Pode parecer algo estrondoso, mas o homem que vem sobre várias formas trazer a justiça de Deus, que recebe vários nomes, e que está representado como “Abadon” no livro de apocalipes, seria o próprio Jesus Cristo…”

http://pastorreinaldo.xpg.uol.com.br/abadon-apolion.html

Já no pensamento hebreu Abadom é um demônio do abismo, porém,  devido ao pensamento grego, quando esse dia chegar muitos cristãos não vão acreditar que seja o reinado de Abadom, nesse caso Apolion do grego,  atormentando seus servos e sim algo bom ou um processo de purificação espiritual vinda de DEUS.

Observe atentamente a ênfase da palavra hebreu sobre o grego nesse versículo. Isso mostra  a diferença de pensamento, ou seja, no pensamento cristão  hebreu Abadom é um demonio, mas para o pensamento  cristão grego muda para Apolion. No caso desse pastor ele chegou a Apoliom, mesmo chamando-o de Abadom.