O perigo das estatísticas na era da internet

Quando navegamos pela internet somos rastreados pelas mais diversas empresas de estatísticas. O objetivo é analisar os dados em tempo real e vender todo tipo de informação. O mercado é tão abrangente que vai desde vendas a espionagem.

Esse conceito estatístico em tempo real recebe o nome de “Big Data” (link no final do post). São essas informações que estão criando alguns grupos de cristãos mais preocupados com o número de acessos do que em pregar o evangelho da verdade, tornando assim uma armadilha que faz massagem no ego.

Já para o Google, o conceito do Big Data serve para retirar do seu mecanismo de busca artigos que nos levem a compreensão sobre a nova ordem mundial. Um exemplo disso está na palavra chave que virou pecado para essa empresa, o “Apocalipse”. O Google simplesmente não completa a palavra:

apoclipse do google

A busca pela cultura da futilidade e imbecilidade é tão grave que ao digitar Vovó Mafalda (com todo o respeito ao já falecido Valentino Guzzo) o Google foi capaz de descobrir com precisão o que estava sendo procurado. E isso mesmo escrevendo de forma errada com dois acentos:

google busca

Um dos primeiros links sobre o Apocalipse que chegam como resultado leva para o Wikipédia. Essa empresa em breve fará parte da Biblioteca Mundial que faz parte do Arco da vitória de Bahau’llah (Apocalipse 6 : 2), ou seja, manipulação e desinformação pura.

O texto apresentado é totalmente ecumênico e descreve o Apocalipse como o ponto de encontro da nova era, onde Maçons, gnósticos, magos, católicos, evangélicos, espíritas e outros mais viverão em união com o divino.Um absurdo!

Por esse motivo, segue abaixo algumas ferramentas que tentam não enviar dados para cooperar com essas estatísticas manipuladas para serem instaladas nos navegadores. O estágio de putrefação do Google é avançado, mas não custa nada tentar reverter:

O AdBlock Plus, disponível para Chrome, Firefox, Android e Opera, é uma solução completa para bloquear banners, popups, ads, inclusive vídeos de propaganda no YouTube. A extensão é suportada por mais de 40 inscrições de filtros em diversos idiomas e com colaboração de usuários para fins que vão desde a remoção de publicidade online até o bloqueio de domínios conhecidos por propagarem malwares.

O Do Not Track Me, para Chrome, Firefox, Safari e Explorer, similar ao Disconnect, apresenta uma interface com os cookies e scripts em processamento nas páginas na internet. Você tem a opção de desabilitar todas essas programações ou selecionar quais permite individualmente.

O Ghostery, para Chrome, Firefox, Safari e Explorer, também inibe a ação de cookies e scripts de rastreamento. O programa mostra quais são os itens bloqueados para que você possa dar permissão de execução para as páginas de confiança.

https://apocalipsetotal.wordpress.com/2012/11/12/os-perigos-do-bid-data/