Katy Perry se transforma na mãe gaya no seu novo clip

Resumo: Xamanismo, hinduismo, catolicismo e Bahaismo…Katy faz de tudo em novo clip para levar seus fãs ao oitavo rei

Assim como os demais seguidores da nova era, Katy acredita no ciclo de cristos ou mensageiros de “deus” que surgem para guiar a humanidade. No bahaismo isso ele é conhecido como a revelação progressiva que contem oito reis, sendo que Krishna (representante do hinduismo) é uma delas. No cristianismo esses manifestantes deveriam ser conhecidos como as sete cabeças da besta que levam ao oitavo rei (Ap 13:1).

O clip começa com a queda do avião e Katy e seu companheiro vaidoso ficam perdidos em uma selva. O tema central e mostrar como trabalhar com a energia do tigre. Logo no começo o rapaz é morto pelo tigre para representar o fim da vaidade.

No xamanismo o tigre é o verdadeiro rei das selvas e enfrenta o leão, por isso compete a cantora aprender canalizar a energia do cristo cósmico é preparar o telespectador para a nova era.

A ativação do espírito tigre acontece após ele estar alinhada com o chackra terra. É por isso que o clip louva o meio ambiente, os animais e a energia da floresta. No começo ela estranha a sua nova vida e os animais, mas com o passar do clip desenvolve o amor pelo meio ambiente.

Aos 1:16 ela começa o ritual para invocar o espírito do tigre ( uma espécie de falso batismo do “espírito santo”) e se ajoelha para andar como o animal (qualquer semelhança com a unção de Ana Paula Valadão não é coincidência).

A sua imagem no lago reflete na forma do tigre. Esse lago é uma espécie de poço do abismo representando o falso espírito santo se apoderando dela. Aos 1:31 as luzes da floresta formam a figura do tigre e Katy agora está preparada para entrar na nova era. Essas mesmas luzes sobem até o sol, representando assim a era ambiental do oitavo manifestante solar, ou a ordem mundial de Baha’u’llah.

No restante do clip é apresentado a integração da cantora com o meio ambiente. Agora todos são um em unidade.

Aos 2:08 Ela entra em uma caverna (entende-se aqui inferno) e aprende a invocar a força do tigre através de uma animação. Nela, o tigre espanta os caçadores. Ou seja, o objetivo é botar para correr qualquer um que se opor a agenda da diversidade e causa ambiental.

Katy sai da caverna na forma da mãe natureza cuidando do planeta. Para representar o reinado da Rainha dos Céus, Katy vence o desafio com um tigre e assume o trono da mãe gaya. A sua folhagem serve para iniciar seus fãs nos mistérios do lótus de mil pétalas que é a ativação de todos os chackras, O tigre no xamanismo serve como trono de Shiva Shankara, o Pai-Céu, ou o cristo cósmico Baha’u’llah. O sol da unicidade do oitavo rei brilha para “iluminar” o reinado da Rainha dos Céus, representada aqui pela cantora.

O reinado da Rainha dos Céus, mais conhecida no catolicismo como Nossa Senhora de não sei quantos nomes, e descrito abaixo por Baha’u’llah:

katy roar

“A Noiva mística e admirável, outrora oculta atrás do véu das palavras, agora, pela graça de Deus e através de Seu favor divino, tornou-se manifesta e esplendorosa como a luz irradiada pela beleza do Bem-Amado. Dou testemunho, ó amigos, de que o favor está completo, o argumento se cumpriu, a prova se manifestou e a evidência acha-se estabelecida….”Palavras Ocultas – Baha’u’llah).