A depressão

CAUSAS DA DEPRESSÃO

A situação existencial está entre as principais causas deste mal. É como se vive no trabalho, no lar, na escola. O emprego que não oferece recompensa, mas não pode ser deixado porque não há outro em vista; muita tensão de horários e prazos; tensão doméstica, econômica, déficit de sono, pouco exercício físico, problemas pessoais, problemas de criação, problemas na infância, problemas de relacionamento, distância de Deus, a meia-idade (difícil para o homem, ainda mais difícil para a mulher), desapontamentos, enfermidade, depressão após o parto, rejeição, alimentação inadequada, efeito de entorpecentes, perda de emprego, perda de posição, perda de pessoas queridas por morte, divórcio, abandono etc., etc.

Outras depressões não têm sentido aparente, porém, na verdade, são provocadas por um desequilíbrio interno, como desordens glandulares ou hipoglicemia.

A verdade é que a depressão é uma condição da qual Satanás se aproveita para tornar o povo de Deus inútil para a Obra do Mestre, e o Inimigo usa o estado de pressão para levar a sentimentos de culpa, e mesmo o conhecimento da graça e da misericórdia do Pai não parece ter poder para ajudá-los. Assim vem a autocondenação. Entende o cristão deprimido que Deus dá perdão, mas não o experimentou ou acha que não foi salvo ou que perdeu a salvação (coisa que a Bíblia não ensina), ou ainda que cometeu o pecado imperdoável (sem saber defini-lo). Satã ataca o cristão com o cansaço que deprime, e, assim, vem o sentimento de fraqueza, ansiedade e medo. Medo da morte, medo do amanhã, mede de gente, medo de coisas específicas, e medos maldefinidos também.

A BÍBLIA E A DEPRESSÃO

A Bíblia não discute a depressão, mas há narrativas e exclamações que deixam transparecê-la. É o caso do Salmo 69, do 88 e do 102. A Palavra de Deus se caracteriza pelo realismo, razão porque não esconde o sofrimento da depressão. Jó (capítulo 3), Moisés (Números 11.10-15), todo o Povo de Israel (Êxodo 6.9), Elias (1Reis 19), Jonas (4.1-3), Jeremias (as Lamentações), Pedro (Mateus 26.75), Jesus no Getsêmani (Mateus 26.37,38). O Novo Testamento Vivo verte a experiência de Jesus do seguinte modo: “… (Jesus) levou Pedro e os dois filhos de Zebedeu, Tiago e João com Ele, e começou a sentir-se cheio de angústia e tristeza. Então disse-lhes: ‘Minha alma está cheia de pavor e tristeza, a ponto de morrer… fiquem aqui… fiquem acordados comigo'”.

No entanto, em todos os casos acima o que levaria ao desespero cede lugar à esperança, e repousa na fé inabalável em Deus, e na certeza da vida abundante. É tão somente recorrermos às expressões do Salmo 34.15-17 ou Mateus 5.11,12, João 14.1; Romanos 8.28, e a palavra de Paulo, apóstolo, em Romanos 15.13: “Ora, o Deus de esperança vos encha de todo o gozo e paz na vossa crença, para que abundeis na esperança pelo poder do Espírito Santo”.

UM PASSO ALÉM DA DEPRESSÃO

Deus não quer que soframos e nos dá ajuda a quem se acha deprimido. A primeira coisa que o crente tem de compreender (podemos chamá-la de primeira etapa ou primeiro passo) é que necessita de Deus porque não pode ajudar-se a si próprio. Um bom lembrete são as palavras do Salmo 23: “O Senhor é o meu pastor… guia-me… tu estás comigo”. O de que necessitamos é dependência de Deus. Ele prometeu Sua presença viva e constante conosco:

“Quando passares pelas águas, estarei contigo, e quando passares pelos rios, eles não te submergirão. Quando passares pelo fogo, não te queimarás, nem a chama arderá em ti”(Is 43.2).

Jesus ensina que veio para que tenhamos uma vida plena, diferente, melhorada, especial, rica de bênçãos, ou, para usar suas próprias palavras, “vida abundante”. Por essa razão, não podemos entender como pode um crente em Jesus Cristo recusar a maravilha dessa vida especial e diferente que Cristo oferece para viver na pequenez e limitação de uma vida cheia de depressão?!

O segundo passo é o seguinte: se vier a depressão física, será preciso um tratamento médico. Se a causa for outra, busque um terapeuta, um psiquiatra cristão, um psicanalista, ou um pastor treinado em aconselhamento. No entanto, como cristãos temos algo a nosso favor: é um conhecimento de nós mesmos, e de Deus e de Sua graça.

A terceira coisa é que a depressão deve ser combatida com armas espirituais. Em depressão, não fique só:

* Busque companhia, um amigo, um confidente com quem dividir a carga;

* Trabalhe: a atividade física há de aliviar a tensão;

* Transforme a tristeza em algo criativo; empregue seu tempo;

* Aja com fé; a fé crê que Deus está presente mesmo nas trevas.

O quarto passo: não fique remoendo injustiças ou fracassos. Peça a Deus que o ajude a esquecer o passado, a perdoar os que pecaram contra você e a se perdoar.

Uma quinta etapa é usar a arma do louvor, pois é uma terapia espiritual. Aliás, a sabedoria popular até ensina que “Quem canta seus males espanta”. Quando louvamos, adoramos; quando louvamos, oramos; quando louvamos, agradecemos; quando louvamos, pedimos. Louvamos a Deus pelo que Ele é e pelo que fez em Jesus Cristo.

Um exemplo de depressão vencida é a história do profeta Elias. Por três anos, batalhou vitoriosamente contra os quatrocentos e cinqüenta profetas do deus Baal. Recebeu uma ameaça de morte da rainha Jezabel (1Rs 19.2), entrou em depressão (v.4), esqueceu-se do poder de Deus e fugiu cento e cinqüenta quilômetros no deserto.

Na sua história, há quatro fatores para vencer a depressão:

* Descanso (vv.5-8). Elias descansou, alimentou-se e viajou mais quarenta dias;

* Desabafo (vv. 9,10). Deus lhe disse, “Elias, conte-me o que aconteceu com você”, e ele desabafou. Faça o mesmo: conte a Deus, conte a um bom amigo que lhe seja instrumento de Deus;

Elias tece uma nova consciência de Deus (vv. 11,12). Na entrada da caverna estava Elias: o vento forte quebrou as pedras, o terremoto deslocou os montes e o fogo foi devastador. São todos demonstrações poderosíssimas da grandeza, majestade e força do Criador, “mas o Senhor não estava lá” veio uma brisa tranqüila, suave e calma… e Deus ali estava. Elias, portanto, não estava só!

Se assim é, volte à atividade! Volte à vida! (vv. 13-16). Deus diz a Elias duas coisas:

(1) você foi chamado para ser profeta, por isso irá ungir três homens, um dos quais irá sucedê-lo, e

(2) Deus lhe assegura que sete mil fiéis estão do seu lado. Você, meu irmão em Jesus Cristo, está na mesma condição: foi chamado para as riquezas da graça de Cristo, recebeu a unção do Espírito Santo, tem ao seu lado a unidade dos fiéis, da igreja que o ama e ora por você.

Texto completo em:

http://www.militarcristao.com.br/estudos.php?acao=texto&id=90&pagina=0