A síntese de Baha’u’llah no debate Malafaia x Gabi

Quando um desses mega pastores aparecem na TV é algo preocupante, pois as emissoras de TV pertencem ao Estado e não respectivamente aos seus donos (por esse motivo usa-se o termo concessão para conseguir um canal). Essa concessão somente acontece na medida em que uma comissão do Ministério de Comunicações analisa e aprova a grade de programação do pretendente.

Estamos diante de uma transição para o comunismo que faz parte de uma das etapas do processo de globalização (entende-se aqui também nova ordem mundial), por esse motivo tal programação só foi ao ar por estar de acordo com a agenda global. Nesse caso, temos durante toda a entrevista antítese x tese se conflitando para criar  sínteses presentes na ordem mundial de Baha’u’llah e illuminati, cada uma com seus objetivos. São elas:

malafaia

Teologia da prosperidade

Antítese (malafaia) =  Usa versículos fora do contexto para justificar riquezas. Nesse caso, ele  interpretou a  passagem em Filipenses  cap 3 que fala sobre o prêmio da salvação transformando- o em conquistas terrenas.

Tese = A apresentadora percebe que tem algo de errado nesse ” prêmio” , mas não contesta devido a falta de conhecimento bíblico. A situação conflitante continua.

Síntese = Através de interpretações fora do contexto em um futuro muito próximo a teologia da prosperidade levará muitas pessoas a usarem a marca do cristo cósmico em suas testas ou mãos. Para isso bastar associar os nove frutos do espírito com a estrela de nove pontas.

A importância da liderança moral

Tese: A apresentadora enfatiza muito que esse pastor é um líder nato.

Antítese: O pastor se faz de humilde (sendo que não é) apresentando algumas falhas que o torna mais humano. Ex: Não jogar bola direito.

Síntese: A ordem mundial de Baha’u’llah procura exatamente esse tipo de liderança para ficar debatendo inutilidades com o movimento gay no futuro parlamento mundial de Baha’u’llah que surgirá após a reforma da ONU.

Princípios de Baha’u’llah aplicado na entrevista

Durante a entrevista são apresentadas teses sobre o movimento gay  associadas com a ciência x religião, um dos princípios de Baha’u’llah. Além disso, temos a ausência do mal (um dos principais ensinamentos de Baha’u’llah). O pastor em nenhum momento fala sobre a atuação de demônios na mente dos homossexuais e prefere apresentar teorias de genéticas tolas.

A economia divina

A tentativa de processar a revista  Forbes com certeza não será acompanhada, pois ter o nome nela  representa para os banqueiros empréstimos com juros mais baixos aos seus ricos clientes pastores. Estamos na transição do iluminismo para o bahaismo, por isso a atual  bolha de empréstimos serve como plataforma para a nacionalização de bancos. Afinal, o pastor diz na entrevista ter “apenas” dez míseros imóveis, por isso vai  precisar pagar as prestações de alguma forma.

“Viva” a unicidade de Baha’u’llah!

A entrevista não poderia terminar mais ridícula. A apresentadora pede que o deus  dela (o deus da unicidade) perdoe o ponto de vista do pastor sobre a agenda gay. Ele simplesmente concorda que segue o mesmo deus:

Gabi:Que o meu deus (não sei se é o mesmo seu) te perdoe.
Malaf: Ele me perdoa…

http://www.forbes.com/sites/andersonantunes/2013/01/17/the-richest-pastors-in-brazil/
http://blogs.forbes.com/andersonantunes/
https://apocalipsetotal.wordpress.com/2008/12/19/lideranca-moral/
http://www.espada.eti.br/n1007.asp