Vaticano clama novamente por uma autoridade mundial na economia

Encerrou nessa quarta feira (05/12/12)  a 27 Assembléia Plenária do Pontifício Conselho da Justiça e da Paz. Os 40 líderes católicos chegaram a um consenso que foi descrito pelo Padre Jesuíta residente no Brasil Thierry de Guertechin.

Bento XVI já tinha clamado por uma autoridade mundial (entende-se aqui o executivo mundial do cristo cósmico  Baha’u’llah ou o Anticristo) antes. Mas agora essa Assembléia adicionou e corrigiu algumas coisas que estavam erradas no antigo pronunciamento de Bento. São elas: 1) O fim do capitalismo e dos bancos indicando os rumos socialistas e comunistas para o futuro falso profeta; 2) A criação de um imposto universal, possivelmente no estilo da [1]  taxa Tobim e 3)  A misteriosa autoridade universal não é mais os EUA. Abaixo temos o texto do Padre que foi adaptado para o português do Brasil:

“…Na verdade, diante da crise econômica  que já estamos sofrendo há  anos. Está em questão justamente a falta uma  [2] autoridade pública de competência universal e mundial (…) quem detém o dinheiro e o capital manda nessa mundo;  e tem o mecanismo de dominação que é o mecanismo da dívida… Nós vimos na última eleição nos Estados Unidos onde os republicanos diziam que os impostos seriam diminuídos, mas invés dos impostos, os ricos vão emprestar dinheiro.O estado fica preso a classe mais rica, a dos bancos… “

[1] – http://estudosdafe.wordpress.com/2012/01/09/a-taxa-tobin-e-os-alicerces-da-economia-divina/
http://pt.radiovaticana.va/bra/Articolo.asp?c=644792
[2-] http://estudosdafe.wordpress.com/2008/12/12/o-executivo-mundial/

Anúncios