O controle da água través do commodities ambiental

A nova ordem mundial não se limita ao controle das negociações dos commodities (mercadorias primárias como ferro, água e outros) na BMF ou outra instituição financeira  semelhante, mas sobre como eles serão distribuídos e administrados.

No caso da água, a ordem mundial de Baha’u’llah propõe algo semelhante ao sistema comunista, onde o bem comum será administrado por instituições que representarão o povo em um Parlamento Mundial (a ONU depois de reformada). Na teoria isso é lindo, mas na prática os detentores do poder serão os gananciosos de sempre.

Privatizar a água significa encarecer o produto ao consumidor, por exemplo,  na Austrália, primeiro país a aderir ao novo sistema,  pagava-se A$50-100 por mega litro na década de 90, mas depois da privatização pagam mais de A$2.600,00. Isso significa que se esse plano diabólico continuar as pessoas terão uma espécie de cartão chamado “Bolsa  Água”, algo semelhante ao bolsa família para conseguir algumas gotas de água do governo.

Infelizmente algo pior está ocorrendo no Brasil, pois mega grupos como o “Famur” estão subornando prefeituras no sul do país para ganhar licitações e montar um esquema de corrupção com a água. Nesse caso, a privatização favorece financiamento de candidaturas políticas.

Além de todo esse mal, existe o lado espiritual da privatização da água. Nesse sistema, o Islamismo e o Bahaismo unem-se em nome da unicidade para mudar o comportamento do ser humano.

No caso do Islã, vamos usar um versículo da Surata 113 que diz: “Em nome de Deus, o Clemente, o Misericordioso, dize: Procuro refúgio junto ao Senhor da Alvorada//Contra o mal das criaturas que Ele criou…”

Maomé coloca a culpa no ser humano nesse versículo e é exatamente isso que a nova ordem mundial tem feito em nossas vidas. Mas a blasfêmia mais grave cometida pelo islã é chamar a água de “sêmen de Deus”.

Diante de tudo isso, só restará a justiça divina agir em momento oportuno como descrito abaixo:

“E o terceiro anjo tocou a sua trombeta, e caiu do céu uma grande estrela ardendo como uma tocha, e caiu sobre a terça parte dos rios, e sobre as fontes das águas.”  (Apocalipse 8 : 10)

E para piorar as coisas também temos um imposto injusto sobre as águas minerais.

Resumo da notícia: “Imposto na água – Entre diversos os absurdos que o sistema tributário brasileiro tem, a água mineral, item básico de consumo, paga imposto de 42,7%. A carga que uma simples garrafinha paga tem uma razão: na década de 1990, a água mineral deixou de ser item básico de consumo e passou a ser considerada uma “bebida”, assim como os refrigerantes, passando a pagar mais impostos que a cachaça, que paga 12%…”

Que DEUS dê a paga aos governantes da Terra pelo mal que pretendem fazer! E que nossas orações pedindo justiça estejam diante do todo poderoso em nome de JESUS, pois a economia verde não passa de um mentira e nunca vai melhorar a vida de ninguém.

http://jcrs.uol.com.br/site/noticia.php?codn=74781

http://www.jornalboavista.com.br/site/noticia.php?id=13723&page=o-que-esta-por-tras-da-privatizacao-da-agua-neori-pavan-
http://www.institutocarbonobrasil.org.br/reportagens_carbonobrasil/noticia=728942
http://www.ptnacamara.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=11947:ha-uma-mafia-da-privatizacao-da-agua-atuando-no-pais-denuncia-bohn-gass&catid=1:latest-news&Itemid=108
http://www.famurs.com.br/index.php/areas/meio-ambiente