União Européia, rumo a uma federação de Estados-Nação

No seu discurso de 2012 sobre o estado da União, o Presidente Durão Barroso propôs que a UE avance rumo a uma federação de Estados-Nação, tendo também anunciado para este outono um plano que visa aprofundar a união económica e monetária.

No seu discurso sobre o Estado da União em 2012, o Presidente da Comissão, Durão Barroso, defendeu empenhadamente a adoção de um novo rumo e de uma nova forma de pensar para a Europa.

Traçou, assim, em linhas gerais, um caminho para uma maior unidade europeia, tendo em vista vencer a crise e manter a soberania num mundo globalizado. «A mundialização exige mais unidade europeia. Mais unidade exige mais integração. Mais integração exige mais democracia» declarou. Apresentou também ao Parlamento Europeu um «um Pacto decisivo para a Europa», que «exige a realização de uma união económica profunda e genuína, baseada numa união política.»

Além disso, apresentou uma proposta da Comissão sobre a supervisão comum dos bancos da zona euro como um passo decisivo para uma união bancária. De acordo com a proposta, o Banco Central Europeu adquiriria poderes de supervisão sobre todos os bancos, a fim de evitar falências bancárias e de proteger os depositantes.

No seu discurso, Durão Barroso também:

defendeu o desenvolvimento de um espaço público europeu;

descreveu as etapas do aprofundamento da integração europeia e apelou a um debate alargado antes das eleições europeias que se realizarão em 2014;

referiu a proposta da Comissão relativa ao estatuto dos partidos políticos europeus e sugeriu que estes apresentem os seus próprios candidatos ao lugar do próximo Presidente da Comissão.

http://ec.europa.eu/soteu2012/index_pt.htm