A rotina dos zumbis brasileiros e americanos

Depois que o caso foi abafo pela mídia, tudo voltou a ser como antes na cracolândia. O trrabalho do poder público (totalmente inspirado no fim de toda forma de preconceito criado por Baha’u’llah)  foi concluido com perfeição. Os traficantes que monopolizavam a cracolândia foram dispersos e agora todos os zumbis passeiam livremente podendo escolher o fornecedor preferido que vende a “melhor” pedra.

Mas a tecnologia do google street parece que não foi bem recebida por lá. Abaixo temos algumas cenas interessantes.
Primeira cena: Polícia  do lado direito e zumbis do lado  esquerdo.
1) Zumbi revoltado com o google aponta algo semelhante a uma arma para o carro
2) A policia consegue achar uma pessoa suspeita na cracolândia  para ser revistada
3) Ao fundo da cena de abordagem. O rapaz arruma ou está depenando o carro?
4) Zumbi “curtindo” a nóia ao lado do orelhão

Segunda cena policia do lado esquerdo e zumbis do lado direito. As pedras vão rolar…


1) Traficante serve pedras para quatro clientes.
2) Graças ao Ministério Público e ao fim da privatização da droga agora  existe a diversidade de forncedores e um outro rapaz sai com suas pedras em outro ponto.
3) O “sortudo”, segunndo o conceito da divesidade,  encontra uma pedra dando sopa no chão. Todos olham com inveja a “grande” descoberta.

Esquerda e direita! Direita e esquerda  A marcha dos zumbis e da política continuam dia e noite. Eles nuncam se encontram e a imprensa aprenseta isso como policiamenteo eficaz. Palhaçada!

Já os zumbis americanos caminham no sentido oposto da diversidade brasileira. Como o batismo com o falso espírito santo causará um desvio mental muito grande, as pessoas estão sendo treinadas para correr e tentar sobreviver a um ataque zumbi:

Resumo da notícia: “Mantenha a forma e corra ‘por sua vida’ fugindo de ‘zumbis’ nos EUA – O que te faz correr? Certamente, todo corredor já teve que responder a essa pergunta alguma vez. Mas você já imaginou participar de uma prova na qual a motivação é “correr por sua vida”? A questão aqui não envolve saúde ou bem-estar, mas “chegar vivo” ao fim do trajeto após escapar de “zumbis famintos”. Você não leu errado, o objetivo do evento é esse mesmo: fugir de “mortos-vivos”. Assim é a “Run for your lives” (“Corram por suas vidas”), uma prova criada nos Estados Unidos na qual os participantes encaram um percurso de 5 km cheio de obstáculos e “não correm apenas contra o relógio, correm de zumbis devoradores de cérebro e contaminados por vírus”, segundo os organizadores…”

http://globoesporte.globo.com/eu-atleta/noticia/2012/10/mantenha-forma-e-corra-por-sua-vida-fugindo-de-zumbis-nos-eua.html