Melhores momentos ocultistas no encerramento das Olimpíadas

As Olimpíadas terminaram e não tivemos nenhum atentado terrorista no sentido literal, mas no sentido de educação global foram vários.

Uma boa parte da apresentação final foi dedicada aos líderes morais, mais conhecidos como celebridades fabricadas e agentes facilitadores que manipulam ( A ONU  chama isso de educar) as massas através de suas opiniões.

O princípio do cristo cósmico Baha’u’llah sobre a “ Eliminação de todos os tipos de preconceitos” foi destaque devido a grande quantidade de artistas gays no evento.

 A leis mais importante de Baha’u’llah que ordena o culto ao número nove foi representada por  nove modelos mais famosas da Inglaterra.

A maçonaria esteve presente através da construção das escadas que levam o iniciado para a iluminação de lúcifer. Na foto abaixo temos uma comparação com o que foi feito no evento e uma foto dos graus da maçonaria. Observe que o maçom que representa o Anticristo está com o pé no grau 4 (mistérios do  Mestre Secreto):

Para que ele seja reverenciado no futuro,  a passagem da bandeira olímpica dever ser movimentada quatro vezes.

Outro momento que merece destaque  foi a queima da fênix, ave que representa o imperialismo babilônico sendo destruida  durante o reinado do executivo mundial.Em outro ângulo é possível ver a pirâmide da nota de um dólar indo para o espaço.

“E os dez chifres que viste na besta são os que odiarão a prostituta, e a colocarão desolada e nua, e comerão a sua carne, e a queimarão no fogo.”  (Apocalipse 17 : 16)

Após a destruição a babilônia surge novamente, mas agora sem o poder que tinha antes. É por isso que durante a apresentação uma moça desce vestida de fênix, muito menor que a alegoria montada no centro do palco.

E por falar em candidato ao cargo de executivo mundial, onde foi parar o número um de Baha’u’llah? Talvez o bispo abortista da Record esteja fazendo uma unção especial no “nosso” garoto iniciado nos mistérios do mestre secreto.

O ocultismo que foi passado para o Brasil tem algo de muito assustador, pois a raça negra foi representada por um gari sambando. Embora os organizadores queiram passar para a ONU uma idéia de que não somos um país racista, a meta final é bem diferente, pois isso indica um massacre e perda de direitos mínimos de vida que serão substituídos por entretenimento fútil durante a transição para um governo comunista. Afinal, tudo termina em samba no país do futebol.

Anúncios