Anteprojeto do estatuto gay quer destruir o conceito de família

Resumo da notícia: “Membros da Frente Parlamentar Mista pela Cidadania LGBT e da Comissão da Diversidade Sexual da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) apresentaram, nesta terça-feira (23), ao presidente do Senado, José Sarney, o anteprojeto do Estatuto da Diversidade Sexual (…) A senadora Marta Suplicy (PT-SP), membro da Frente Parlamentar Mista pela Cidadania LGBT, elogiou o esforço da OAB na redação do anteprojeto….”

Comentário: Em obediência ao principio do cristo cósmico Baha’u’llah sobre a “Eliminação de todos os tipos de preconceitos”, a OAB está tentando implantar uma das mais terríveis fases da agenda gay. Abaixo temos o artigo desse anteprojeto:

Art. 32 – Nos registros de nascimento e em todos os demais documentos identificatórios, tais como carteira de identidade, título de eleitor, passaporte,carteira de habilitação, não haverá menção às expressões “pai” e “mãe”, que devem ser substituídas por “filiação”.

Esse anteprojeto nos leva a refletir sobre a obra de dois autores  que escreveram sobre a nova ordem mundial . São eles:

1) George Orwell em seu livro o Grande Irmão

Em seu livro, Orwell fala sobre a criação de um idioma universal onde a idéia de uma palavra é trocada por outra simplificada. Isso recebe o nome de novilingua.

A palavra “filiação” anula o conceito de mãe e pai, pois qualquer um poderia ter ou adotar um filho que seria educado segundo os conceitos do movimento gay. Partindo desse principio surgiria uma nova palavra, por exemplo,  “dening”  poderia substituir a palavra filiação e nem precisaria escrever qualquer outro nome no documento. Toda vez que o novo termo for pronunciado, as pessoas saberiam que se trata de um mundo movo onde ninguém é de ninguém.

2) Aldous Huxley em seu livro “Admirável Mundo Novo”.

Huxley lança um outro conceito em seu livro que complementa a novilingua  de Orwel. Quem leu o livro ou assistiu o filme sabe que as palavras “pai” e “mãe” são transformadas  em palavrões pelo governo.

E assim, tal como a sociedade descrita nesse livro, voltamos ao mundo de Sodoma e Gomorra, onde todas as pessoas podem manter relações da forma  e com quem quiserem, por exemplo, se uma pessoa for chamada de “filho do cão” não será ofensa, pois tal palavra pode significar o cruzamento entre homem e animal.

“Assim como Sodoma e Gomorra, e as cidades circunvizinhas, que, havendo-se entregue à fornicação como aqueles, e ido após outra carne, foram postas por exemplo, sofrendo a pena do fogo eterno.”  (Judas 1 : 7)

E esse é o nível dos  governantes e autoridades que tentam controlar nossas vidas.

http://www12.senado.gov.br/noticias/materias/2011/08/23/oab-apresenta-anteprojeto-do-estatuto-da-diversidade-sexual-a-sarney

http://www.direitohomoafetivo.com.br/uploads/5.%20ESTATUTO%20DA%20DIVERSIDADE%20SEXUAL%20-%20texto.pdf

Anúncios