As sete cabeças da besta – Parte II

“E a besta que era e já não é, é ela também o oitavo, e é dos sete, e vai à perdição.”  (Apocalipse 17 : 11)

O versículo acima possui uma frase chave para entender melhor quem são essas cabeças que é a frase: “ e é dos sete”. Atualmente, temos três traduções disponíveis para esse versículo, por isso precisamos analisar qual é a melhor tradução para essa parte da escritura. São elas:

1) Almeida Revista e Atualizada  –   E a besta, que era e não é, também é ele, o oitavo rei, e procede dos sete, e caminha para a destruição.

2) Almeida Revista e Corrigida  –   E a besta, que era e já não é, é ela também o oitavo, e é dos sete, e vai à perdição.

3)Nova Tradução na Linguagem de Hoje (NTLH)  –   E o monstro que já esteve vivo, mas que agora não vive mais, é o oitavo rei, que faz parte dos primeiros sete e que vai ser destruído.

A pior de todas e a NTLH (muito usada para “evangelizar” surfistas e outras tribos radicais) , pois ela foi especialmente criada para obedecer os princípios ocultistas da nova ordem mundial para que o verdadeiro prometido, a besta do abismo que é o oitavo rei, não fosse revelado (não confundir com o anticristo que faz parte apenas da besta de 10 chifres). Essa tradução dá a impressão que o oitavo rei é um dos sete manifestantes anteriores.

A palavra que melhor se encaixa na tradução acaba sendo “procede” que está na versão Almeida Revista e Atualizada. Agora precisamos fazer uma rápida leitura da origem dessa palavra no dicionário:

pro.ce.der.1- v. 1. Tr. ind. Derivar-se, originar-se, provir. 2. Tr. ind. Provir por geração; descender.

Ou seja, a palavra proceder está relacionada a uma genealogia ou descendência que também significa um certo grau de parentesco. Isso nos leva para o livro de Gênesis no seguinte versículo:

“E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.”  (Gênesis 3 : 15)

Deus nos diz aqui que devido ao pecado do homem uma  descendência santa e outras pecadora surgiram para se opor ao reinado do verdadeiro Cristo. Elas estão relacionadas com a genealogia de Abraão. Podemos citar como exemplo a genealogia de Maomé que está ligada a Ismael, assim como o Báb (arauto da fé Bahá’i) , fundador do babismo que tinha a função de anunciar a chegada do cristo cósmico Baha’u’llah.

A interpretação também precisa ser feita de forma progressiva e não regressiva, pois quando lemos o versículo de AP 17:10 vemos claramente que o oitavo rei vem de uma seqüência progressiva em relação ao versículo de AP 17:11, ou seja o Apóstolo João descreve os sete reis e depois parte para o oitavo dizendo apenas que esse é descendente dos sete:

E são também sete reis; cinco já caíram, e um existe; outro ainda não é vindo; e, quando vier, convém que dure um pouco de tempo.(Apocalipse 17:10)

Já sobre os montes, eles até podem receber uma interpretação literal, mas a predominância é do sentido espiritual, pois montes são referência ao socorro espiritual. Ora, o ser humano vem ao longo desses anos buscando consolo espiritual no paganismo, ou seja, em seitas como: O islã, budismo, zoroastrismo, hinduismo, judaísmo, bahaismo e outras achando que vão encontrar DEUS nesses montes espirituais errados.

 No versículo desse salmo temos uma referência do sentido espiritual dos montes de maneira correta:

 “LEVANTAREI os meus olhos para os montes, de onde vem o meu socorro.”  (Salmos 121 : 1)

Com esse estudo, é possível desfazer o erro da interpretação dos papas que ganhará espaço na mídia e será aceita como oficial em  breve:

1)Pio XI – Milão, papa de 1922 a 1939

2)Pio XII – Roma, papa de 1939 a 1958

3)João XXIII – Sotto II Monte, papa de 1958 a 1963

4)Paulo VI – Concesio, papa de 1963 a 1978

5)João Paulo I – Belluno, papa de 1978 a 1978

6)João Paulo II – Polônia, papa de 1978 a 2005

7)Bento XVI

Essa interpretação acontece de forma regressiva e transforma o sexto”rei” no oitavo “rei”, sendo que a palavra de DEUS aqui estudada apresenta o oitavo rei como uma pessoa nova. Além disso, nenhum desses papas eram parentes.

O que estão tentando fazer as pessoas aceitarem é algo parecido como 2+2=5.

Obs.: A frase: “e é dos sete” também serve como referência de genealogia. Em muitos lugares até hoje são usadas expressões como: é dos silva, é dos souza e outras para indicar um grau de parentesco. No nosso caso, são de Abraão.

Anúncios