Exército do Vaticano está pronto para derramar sangue

“Vós tendes por pai ao diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai. Ele foi homicida desde o princípio, e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso, e pai da mentira.”  (João 8 : 44)

 No dia 06/05/12, os novos soldados do Vaticano prestaram seu juramento para matar ou morrer em nome do papa. Eis um trecho da entrevista:

 Zenit: “É verdade que os guardas suíços estão dispostos a derramar o sangue para defender o papa?”

 Dom Alain de Raemy: “Esta é a espiritualidade que une todos eles, o compromisso que une os guardas suíços mesmo na diversidade da prática religiosa. Basta ver o juramento para entender que a fidelidade ao papa é indestrutível. Eles podem ter dúvidas sobre a fé, e depois do serviço tem quem não vai muito à missa, mas eles sentirão para sempre, para sempre mesmo, essa união com o papa. Este sentimento fica para sempre dentro deles…”

 A escolha dessa data está relacionada ao dia 6 de maio de 1527, quando Carlos V entrou em Roma. Nesse “glorioso dia” 1000 soldados formaram um círculo em volta do Papa Clemente VII e levaram tiros no lugar do mesmo. O então papa exibiu os números de baixa com muito orgulho. Foram 108 guardas mortos do seu lado contra 800 do exército invasor. Sim! A vida desses soldados que se vestem como uns bobos da côrte não  vale mais do que números contabilizados por qualquer ditador fascista que já existiu.

 Mas o exército do Vaticano também já foi à guerra. Durante a Batalha de Leopanto (1566-1572), o Papa Pio V venceu e aniquilou os turcos. A vitória e os mortos foram oferecidos como um culto agradável à Rainha dos Céus.

 Diante desses dois fatos históricos podemos entender melhor qual o papel do exército do  Vaticano no processo de Globalização, são eles:

 1) Estar  pronto para matar, especialmente nós, os  hereges protestantes.

2) Auxiliar o exército mundial do cristo cósmico Baha’u’llah e suas principais potências no Armagedom, que são Gogue e Magogue, ou Rússia e China.

3) Proteger o Papa (agora como falso profeta)  para que o mesmo não caia no lago de fogo. Isso vai ser impossível, pois o mesmo vai chegar nesse local antes do diabo:

 “E o diabo, que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde está a besta e o falso profeta; e de dia e de noite serão atormentados para todo o sempre.”  (Apocalipse 20 : 10)

http://www.radiovaticana.org/bra/Articolo.asp?c=585732

http://www.zenit.org/article-30259?l=portuguese

Anúncios