Fala Malafaia…que a ONU te escuta

 No dia 06/05/12, para infelicidade do cristianismo, entrou no ar pela rede Bandeirantes o programa “Fala Malafaia”, do mega pa$tor $ila$ Malafia.

 O programa se caracteriza por entrevistas e debates com um suposto teor de ativismo social e de cidadania. Ele não é novo, a emissora iluminista da Bandeirantes  tinha oferecido esse programa para o mega pastor RR Soares, mas esse desistiu do programa após ser muito criticado pelo seu apoio ao governo comunista de  Lula. O ex-presidente seria o primeiro entrevistado.

 Deixando a Bíblia de lado, expondo o seu relógio de ouro na mídia e passando a militar sobre as coisas desse mundo, o primeiro programa de Malafaia falou sobre o aborto relacionado à anencefalia.

 A TV Bandeirantes está inclinada para as ambições da ONU, promovendo a criação de uma sociedade híbrida inspirada nos ensinamentos de Hegel:

 “Em 1823, um professor alemão de filosofia chamado Hegel criou essa fórmula, esse plano de batalha específico. Hegel propôs que as sociedades fossem governadas pela seguinte fórmula:

 * A existência de um tipo de governo ou sociedade, chamado Tese, provocava o aparecimento do oposto desse tipo de governo ou sociedade, que Hegel chamou de Antítese;

 * Tese e Antítese naturalmente começariam a batalhar uma contra a outra, pois são sistemas exatamente opostos e, portanto, com visões diferentes sobre o mundo;

  * Se a Tese e a Antítese batalharem por um longo período de tempo, sem que nenhum lado aniquile o outro, essa batalha resultará em ambos os lados mudando para um sistema híbrido de governo e de sociedade, que Hegel chamou de Síntese.” ( A Espada do Espírito)

Entende-se por Tese= Movimento feminista e o aborto que foram inspirados nos princípios de Baha’u’llah sobre o fim de toda forma de preconceito.

 Entende-se por Antítese = Os debates de Malafaia.

 A síntese consiste em criar uma legislação global sobre o aborto, no qual esse pastor está se transformando em um líder moral e candidato a uma vaga no Parlamento Mundial de Baha’u’llah.