A flexão de gênero do “lulês” e a novilingua do Brasil de Dilma

No começo do mês de Abril, a “Presidente e assaltante de bancos Dilma”  resolveu novamente implantar a palavra “presidenta” no vocabulário brasileiro através da lei descrita abaixo:

O que está em jogo vai muito além de uma simples flexão de um substantivo, pois está sendo implantada mais uma etapa da [1] novilingua comunista brasileira associada com os seguintes princípios da nova ordem mundial de Baha’u’llah.

1) O Fim de toda forma de preconceito

Com essa lei um travesti, embora seja um homem, pode exigir que o seu novo diploma receba um substantivo feminino. As lésbicas também poderão exigir em seus diplomas o substantivo masculino.

2) Igualdade entre homens e mulheres

O movimento feminista  vem aos longos dos anos defendendo de forma falsa os direitos das mulheres para implantar a sua agenda global. Esse movimento tem como meta colocar o homem em um estado de inferioridade, humilhação e desigualdade, por exemplo, o Conselho de Psicologia entende que igualdade entre homens e mulheres representa 90% de mulheres contra 10% de homens na função de psicólogos.

É por esse motivo que no futuro teremos o substantivo feminino em destaque, ou seja, os psicólogos passarão a ser chamado de psicólogas. Outra meta do movimento feminista é transformar homens em gays ou travestis para que fiquem submissos. É por isso que  a antiga sigla  GLTBS (gays, lésbicas, travestis…) foi substituída por LGTBS (lésbicas gays e travestis…) .

3) O Idioma universal

A nova ortografia da Dilma faz com que palavras  que não flexionam  como “presidente” seja excluída do vocabulário. E como sabemos, o caminho da reconstrução da torre de babel é a redução de  letras e palavras, até que a nossa língua se transforme em um texto semi – analfabeto.

4) Novas flexões sugeridas para o governo :

Agente  = Agenta

Estudante = Estudanta

Remetente = Remetenta

Delinqüente = Delinquenta

Que Deus nos dê paciência, pois isso é só o começo de tudo que intentam em fazer:

E o SENHOR disse: Eis que o povo é um, e todos têm uma mesma língua; e isto é o que começam a fazer; e agora, não haverá restrição para tudo o que eles intentarem fazer. (Gênesis 11:6)

[1] – Novilingua – Termo usado por George Orwel em seu livro 1984 para criar  um  regime fascista e totalitário através da redução de palavras.

 http://www.in.gov.br/imprensa/visualiza/index.jsp?jornal=1&pagina=1&data=04/04/2012

Anúncios