Zumbis do crack vencem a PM e se arrastam pelas ruas fumando

PM escolta ‘procissão do crack’ no 1º fim de semana de ocupação do centro

Sem conseguir cortar tráfico, restou seguir a caminhada forçada dos viciados; moradores reclamam de novos pontos

SÃO PAULO – A estratégia de impor “dor e sofrimento” aos dependentes criou uma situação inusitada no primeiro sábado após a ocupação da cracolândia, no centro de São Paulo. Com o tráfico a todo vapor e sem conseguir cortar a rota de fornecimento da droga, restou à PM escoltar pelas ruas centrais da cidade grupos gigantescos, de até cem pessoas, em uma estranha “procissão do crack”, iluminada pelos Giroflex das viaturas noite adentro. O Estado acompanhou a “peregrinação” entre as 20h e as 23h.

A perseguição aos usuários criou uma “cracolândia itinerante” no quadrilátero entre as Avenidas Duque de Caxias, São João e Ipiranga e Estação da Luz. Em alguns momentos de “folga” na caminhada forçada imposta pela polícia, os grupos paravam para acender os cachimbos e descansar. Depois de alguns minutos, voltavam a andar. Sem destino (..)

Descrença. Os próprios policiais parecem cansados da “procissão do crack”. “Enquanto a droga estiver chegando aqui, não tem jeito. A gente só vai enxugar gelo. Honro a minha farda, faço o meu trabalho, mas não sou ingênuo. Tem corrupção policial, colaboração de comerciante, muita gente envolvida, muita grana nisso aí. Tem de cortar o mal pela raiz”, afirmou um PM logo depois de abordar dois jovens suspeitos em uma das esquinas do bairro.

O cansaço e a falta de perspectiva também foram relatados por outros policiais e guardas-civis metropolitanos, que perderam a fé no resultado final e estão apenas “cumprindo ordens”, segundo eles mesmos.

Comentário: E assim, as leis do cristo cósmico rugem  como leão e em nome da unicidade  através do fim de toda forma de preconceito procurando a quem possa tragar:

“K-162. Se Ele decretar lícito o que desde tempos imemoriais fora proibido(…) a ninguém é dado o direito de Lhe questionar a autoridade…” (Kitáb-i-aqdas – Baha’u’llah).

Anúncios