Os princípios sociais da Nova Ordem Mundial – Parte11

A onu, através de suas inúmeras agências, tem aplicado 12 princípios sociais revelados por Baha’u’llah em escala mundial para unificar a humanidade. Para que todos se curvem a essa estratégia de unificação as áreas: Social, Política, economia e religiosa (principalmente cristãos desatentos) tem obedecido esses ensinamentos durante séculos. Conheça quais são e como acompanhar a evolução de cada um através das notícias do dia a dia.

11) Uma corte internacional de justiça com poderes absolutos

A criação da corte internacional de Justiça  (CIJ)  foi ensinada aos globalistas por Abdu’l’Bahá, de acordo com as seguintes palavras:

“..Consideramos, por exemplo, a questão da paz universal, acerca da qual Bahá’u’lláh afirma ser imperioso o estabelecimento do Supremo Tribunal: conquanto já tenha sido instituída a Liga das Nações, esta é incapaz de estabelecer a paz universal. O supremo Tribunal que Bahá’u’lláh descreve, porém, levará a cabo essa tarefa sagrada com a máxima pujança e poder…”(Abdu’l’Bahá)

A ineficiência da Liga das Nações provocou mais uma guerra mundial para que fosse criado o primeiro rascunho da Corte de Justiça. A atual CIJ da ONU está localizada em Haia, sua função é emitir parecer jurídico para Assembléia Geral da ONU e o Conselho de Segurança. Um dos poderes da CIJ é decidir se um país tem direito à sua independência ou não, por exemplo Kosovo. No futuro ela também abrangerá as áreas política, econômica, social e religiosa.

A principal função da futura CIJ, através do Tribunal Penal Internacional,  é criar os trâmites jurídicos para matar todos aqueles que não aceitarem a ordem mundial de Baha’u’llah e a sua imagem:

“E foi-lhe concedido que desse espírito à imagem da besta, para que também a imagem da besta falasse, e fizesse que fossem mortos todos os que não adorassem a imagem da besta.”  (Apocalipse 13 : 15)

Existem dois artigos na carta da ONU que  já  foram criados para esse fim. O artigo 93 parágrafo 2 mostra que a comunidade mundial poderá ter parte no Estatuto da Corte.

Artigo 93

2. Um Estado que não for Membro das Nações Unidas poderá tornar-se parte no Estatuto da Corte Internacional de Justiça, em condições que serão determinadas, em cada caso, pela Assembléia Geral, mediante recomendação do Conselho de Segurança.

A comunidade mundial será no futuro o Parlamento Mundial,  onde os representantes do povo (Câmara Alta e Câmara Baixa) formado por  falsos cristãos evangélicos, pelo papa e  por políticos corruptos em geral, esses concordarão para que  matança deva ser executada. E se por acaso se arrependerem, não poderão questionar o parecer da CIJ como descrito no  Artigo 94:

Artigo 94

1. Cada Membro das Nações Unidas se compromete a conformar-se com a decisão da Corte Internacional de Justiça em qualquer caso em que for parte.

Hoje, os templários são os guardiões do futuro tribunal devido à fidelidade que tiveram em guardar o segredo das eras; e proteger o Monte Carmelo até a chegada do prometido de todas as religiões (clique aqui para ler)

Referências:

http://www.icj-cij.org/homepage/sp/

http://www.onu-brasil.org.br/doc7.php

Anúncios